Hackers russos são acusados de planejarem ataques contra as Olímpiadas do Japão

Hackers russos estariam planejando uma nova onda de ataques contra a organização das Olímpiadas de 2020, que aconteceriam neste ano, no Japão, e foram transferidas para 2021 devido à pandemia do novo coronavírus. Mais uma vez, o motivo seria uma retaliação ao banimento de atletas do país sob acusações de doping, em uma campanha que contaria com o apoio do próprio governo da Rússia.

A acusação, desta vez, foi feita pelo governo do Reino Unido, que aponta uma série de operações de “reconhecimento” que teriam sido realizadas por um grupo chamado Sandworm. Na mira estariam os organizadores, patrocinadores e serviços de logística envolvidos nas Olimpíadas e nas Paralimpíadas, que acontecem na sequência e também foram adiadas para 2021.

O documento remonta a outro caso semelhante, registrado durante os últimos Jogos de Inverno, realizados em 2018 na Coeria do Sul.

Na ocasião, o governo dos Estados Unidos acusou a Rússia de lançar um ataque hacker que afetou os sistemas durante a abertura da competição, dificultando o acesso de espectadores à cerimônia e causando falhas na transmissão ao vivo do evento, bem como no acesso à internet por jornalistas, membros da equipe e até mesmo visitantes do site oficial. O motivo, novamente, foi o banimento da delegação russa por acusações de doping.

Também nesta segunda (19), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou o indiciamento de seis pessoas pelo envolvimento com o Sandworm e diferentes operações de hacking, incluindo o ataque às Olímpiadas de Inverno.

De acordo com o governo americano, os criminosos estariam envolvidos em operações internacionais voltadas para interesses políticos do governo da Rússia, bem como planejando novos ataques contra eventos de importância.

Entre as ocorrências que contaram com o envolvimento do grupo estão ataques à infraestrutura de energia da Ucrânia, a desfiguração de sites oficiais do governo da Georgia, a criação do malware NotPetya e tentativas de interferir nas eleições de 2017, na França.

Com o uso do malware OlympicDestroyer, ainda, fazem parte do indiciamento os ataques aos Jogos de Inverno de 2018 e golpes voltados a dificultar as investigações sobre o envenenamento do ex-espião Sergei Skripal, juntamente com sua filha, Yulia. Foi este o caso, também de dois anos atrás, que levou ao envolvimento direto do governo do Reino Unido na guerra cibernética russa.

Segundo o relatório do Departamento de Defesa, o Sandworm estaria ligado diretamente à agência de inteligência das Forças Armadas da Rússia, trabalhando na internet em prol dos interesses políticos e internacionais do país.

O indiciamento dos seis militares, então, vem como uma tentativa de tirar da operação alguns dos responsáveis por tais golpes, em uma investigação que também conta com a participação de forças de segurança do Reino Unido, que confirmou o processo em seu próprio comunicado, bem como outros países.

Como resultado das investigações, seis oficiais de inteligência foram indiciados por crimes de conspiração para cometer fraude digital e roubo de identidade — um deles, inclusive, já respondia a crimes semelhantes pelo envolvimento em tentativas de manipular as eleições americanas de 2016. De acordo com o governo americano, nenhum dos processados está preso.

Além de publicarem o alerta e revelarem a participação na investigação que levou ao indiciamento, o Reino Unido levantou um alerta sobre a possibilidade de os ataques que deveriam ter acontecido neste ano ainda serem realizados em 2021. Na visão do Reino Unido, há um alerta frequente quanto às operações do Sandworm e os organizadores dos Jogos foram informados sobre a possível iminência de golpes, principalmente tentativas de ransomware ou roubo de dados de atletas, patrocinadores e público.

O banimento da delegação russa foi confirmado em 2016, devido à descoberta de um programa estatal de doping. Os atletas do país que passaram pela análise puderam competir nos Jogos Olímpicos de 2016, que aconteceram no Brasil, mas de forma independente e sem carregarem as cores de seu país de origem; o mesmo deve acontecer agora, nos Jogos de 2020 que acontecerão no ano que vem.

Até lá, a Rússia tenta reverter a decisão por meio de uma apelação ao Tribunal Arbitral do Esporte, entidade que regula eventos e práticas esportivas internacionais.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …