Desmatamento da Amazônia disparou 278% mês passado, segundo dados de satélite

Neil Palmer / Wikimedia

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazônia brasileira próxima à Manaus

De acordo com novos dados de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do Brasil, o desmatamento da Amazônia aumentou cerca de 278% em julho deste ano comparado a julho do ano passado.

Isso significa a perda de 2.253 quilômetros quadrados de vegetação, uma área maior que a cidade de São Paulo e quase duas vezes maior que a cidade do Rio de Janeiro – é a mais significante já registrada desde que o INPE começou a monitorar o desflorestamento utilizando a metodologia atual, em 2014.

Recentemente, no último 2 de agosto, Jair Bolsonaro demitiu o diretor do INPE Ricardo Galvão após este ter divulgado dados de satélite que mostraram um aumento de cerca de 88% do desmatamento em junho de 2019 comparado a junho do ano passado.

Bolsonaro, que fez campanha para a presidência prometendo abrir comercialmente a Amazônia para as indústrias madeireira, agrícola e de mineração, disse que os dados do INPE eram “mentirosos” e que Galvão deveria estar “a serviço de alguma ONG”.

Em resposta, de acordo com o Estado de S. Paulo, Galvão afirmou que o presidente fez “ataques inaceitáveis” que mais parecem “conversa de botequim” e que sua atitude foi “pusilânime e covarde”. Quem substitui o físico, engenheiro e membro da Academia Brasileira de Ciências na direção do Instituto é o coronel da reserva da Aeronáutica Darcton Policarpo Damião.

Segundo o Live Science, o governo de Bolsonaro também anunciou que contrataria uma empresa privada para assumir o monitoramento do desmatamento da Amazônia. Ainda, sugerindo censura, Bolsonaro afirmou que a divulgação de tais dados prejudica a imagem do país e que gostaria de recebê-los antes de eles se tornarem públicos.

Os dados que mostram o aumento absurdo do desmatamento na floresta vêm do programa de monitoramento por satélite do INPE chamado DETER (Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real).

Lançado em 2004, seu objetivo é ajudar os cientistas do INPE a identificar e prevenir o desmatamento ilegal na Amazônia. A demissão de Galvão não é uma surpresa, uma vez que os sete meses de governo de Bolsonaro foram recheados de decisões políticas contra a legislação ambiental e pró interesses comerciais.

A Amazônia é a maior floresta tropical remanescente do planeta. Sua importância para o clima mundial é indescritível, uma vez que o “pulmão da Terra” é um enorme compensador das nossas emissões de carbono, absorvendo até 2 bilhões de toneladas por ano.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …