Documento revela que Facebook poderia ter virado uma “Wikipédia da vida privada”

Steven Levy, conhecido editor da Wired, conseguiu colocar as mãos em algo que ele talvez nunca imaginou encontrar: um diário de Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook, datado de 2006 e que mostra algumas das primeiras ideias que ele tinha para a rede social.

Levy teria conseguido o acesso a 17 páginas de um desses diários e, ao conversar com algumas pessoas que trabalharam para a empresa bem no começo, foi possível perceber como essas anotações eram importantes para Zuckerberg, que costumava deixar cópias de algumas dessas páginas na mesa de seus funcionários para que eles pudessem se inspirar em suas ideias.

De acordo com Levy, a maior parte do diário fala apenas sobre a rotina de estudos de Zuckerberg e de como ele utilizava o período de aulas para pensar no tipo de coisa que ele precisava introduzir ao Facebook. Assim, as páginas estão repletas de ideias para novos produtos, fluxogramas de programação, listas de funções que deveriam ser implementadas e gráficos de crescimento.

Na época, o Facebook ainda era uma rede social fechada e só podia ser acessada utilizando a rede de uma faculdade ou colégio, e uma das ideias que Zuckerberg mais discutia nesse período era a possibilidade de torná-la aberta para qualquer pessoa. Outra ideia pensada na época era a implantação de um feed de notícias, que hoje existe na plataforma.

Mas nem todas as ideias foram implementadas na versão final do Facebook: uma delas é algo que Zuckerberg chamou de “Dark Profiles”, que seria uma espécie de “página pública” para pessoas que não possuem um perfil no site, seja por falta de conhecimento do que seria a rede social ou até por intencionalmente não querer participar daquilo. Assim, tendo em posse apenas o número e o e-mail da pessoa, qualquer um conseguiria criar um perfil para aquela pessoa sem a autorização dela.

Esse perfil, então, se tornaria algo público e qualquer pessoa poderia atualizá-lo com informações sobre aquela pessoa, como estado civil, local de nascimento, local de trabalho e qualquer outra informação pertinente — basicamente dando à vida privada de qualquer pessoa o “tratamento Wikipédia”. No fim, ainda que a rede social tenha feito alguns testes com a criação de perfis escondidos para pessoas que ainda não estão no Facebook, a ideia foi abandonada e nunca implantada na plataforma.

Outra história interessante revelada pelas páginas obtidas por Levy é a lenda de Zuckerberg ter recusado uma proposta de compra do Facebook pelo Yahoo por US$ 1 bilhão.

Na verdade, Zuckerberg havia até concordado com a venda, mas quando já estava tudo certo para a assinatura dos papéis, o CEO do Yahoo, Terry Semel, pediu uma renegociação do valor, alegando que a empresa tinha perdido muito dinheiro com a desvalorização das ações. Foi esse pedido de renegociação que fez com que Zuckerberg desistisse da venda.

De acordo com Levy, a maior parte dos cadernos e diários de Zuckerberg do começo do Facebook foram destruídos por questão de privacidade — o que é uma pena, pois esses documentos poderiam dar mais detalhes sobre como foram os primeiros anos da empresa. As dezessete páginas que Levy teve acesso foram disponibilizadas na íntegra, e podem ser lidas (em inglês) no próprio site da Wired.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

MDZhB: a misteriosa rádio soviética que segue emitindo sinais e ruídos há quase 50 anos

Uma misteriosa estação de rádio segue ininterruptamente transmitindo somente ruídos estáticos interrompidos por sons robóticos há mais de quatro décadas. Conhecida como UVB-76 ou MDZhB, os sinais da rádio são transmitidos de dois diferentes pontos da …

Atmosfera da Terra primitiva pode ter sido tão tóxica quanto a de Vênus hoje

Pesquisadores tentaram reproduzir o equilíbrio delicado entre os gases que evaporaram do oceano de magma e a atmosfera que eles podem ter criado, e descobriram que esta seria fina e composta por dióxido de carbono …

Enorme monolito misterioso descoberto no deserto de Utah

Uma ocorrência totalmente comum. Você está em um helicóptero sobrevoando uma região remota do sul de Utah contanto cabras e bodes selvagens, quando de repente avista um monolito inexplicável saindo do solo. A KSL TV, relatou …

Funcionário de funerária é demitido após tirar selfie com corpo de Maradona

Foi demitido o funcionário da funerária responsável pelo velório do ex-jogador Diego Armando Maradona que tirou uma foto ao lado do caixão com o corpo do astro, enterrado nesta quinta-feira, dia 26, na Grande Buenos …

Museu de Londres reunirá relatos de sonhos de britânicos na pandemia

Projeto visa documentar mudanças no sono causadas pelo confinamento e pela crise gerada com a covid-19, além de coletar narrativas sobre o período para gerações futuras. Mudanças no sono aparentemente têm sido comuns durante a pandemia …

'O Gambito da Rainha': série da Netflix ignora sexismo no xadrez, diz ex-campeã

Existem várias cenas comoventes em O Gambito da Rainha, a série da Netflix que conta a história fictícia de Beth Harman, uma jovem prodígio do xadrez da década de 1960. Em uma delas, um jogador experiente …

Detectada "partícula fantasma" no Sol que confirma teoria da década de 1930

Uma equipe internacional de cientistas conseguiu, pela primeira vez, detectar diretamente a presença do ciclo carbono-nitrogênio-oxigênio (CNO) na fusão nuclear do Sol. Este ciclo representa uma das reações de fusão pelas quais as estrelas convertem hidrogênio …

Musk acertou? Tesla se aproxima dos US$ 500 bilhões de valor de mercado

Nesta segunda-feira (23), a Tesla atingiu o valor de mercado de US$ 498 bilhões. E isso em um momento em que não se sabe se a empresa vai conseguir atingir a sua meta de entregar …

Papai Noel é considerado 'trabalhador essencial' na Irlanda

Na mesma semana em que novas restrições de viagem foram colocadas em prática no Reino Unido e na Irlanda diante dos estragos causados pela segunda onda da pandemia de covid-19 na Europa, a Irlanda fez …

Especialistas da ONU advertem sobre viés racista em algoritmos

Os países devem fazer mais para combater o racismo, principalmente nos algoritmos de inteligência artificial utilizados para reconhecimento facial e controles policiais. Essas ferramentas podem reforçar discriminações, alertam especialistas da ONU. Segundo a especialista jamaicana …