Os egípcios já faziam cosméticos há 3.500 anos

(dr) Laurence Godart

Cientistas sintetizaram tintas e cosméticos com cerca de 3.500 anos, uma descoberta feita graças ao fato de a equipe ter desenvolvido uma nova técnica de datação de compostos carbonatados inorgânicos.

Os carbonatos de chumbo foram alguns dos ingredientes mais importantes tanto em tintas antigas como em cosméticos. No entanto, enquanto que a datação por carbono é comumente utilizada para determinar a idade de itens históricos feitos de vegetais ou animais, a análise de materiais inorgânicos é diferente e menos direta.

O carbono-14 radioativo é continuamente produzido na atmosfera e incorporado nas plantas durante a fotossíntese. Quando um organismo morre, deixa de absorver carbono fazendo com que a proporção de carbono-14 diminua à medida que o elemento se decompõe gradualmente. É esse acontecimento que dá aos cientistas uma forma de identificar a idade dos restos de plantas e animais.

Agora, uma equipe de cientistas liderada por Lucile Beck, da Universidade de Paris-Saclay, na França, mostrou que durante a fabricação de carbonatos de chumbo, o carbono-14 que contém dióxido de carbono atmosférico é incorporado no material.

Isso fez com que a equipe conseguisse distinguir carbonatos sintéticos de chumbo daqueles com origem natural, explica o site ChemistryWorld.

Assim, a equipe de especialistas examinou em detalhe amostras de cosméticos antigos mantidos no Museu do Louvre, em Paris, incluindo um pó encontrado em um túmulo em Erétria, na Grécia, e outros pigmentos encontrados em câmaras funerárias egípcias construídas durante os reinados de Amenhotep III e Tutancâmon.

Os cientistas utilizaram a espectrometria de massa para analisar os materiais e, assim, comparar as idades às datas conhecidas de outros objetos encontrados nos mesmos lugares, como moedas ou inscrições.

As idades dos carbonatos de chumbo que coincidiam com o período do túmulo em que foram descobertos fez com que a equipe concluísse que esses compostos deveriam ter sido criados artificialmente, partindo do princípio de que os carbonatos mais antigos do que os túmulos devem ter sido minerais criados através de um processo natural.

Dessa forma, a equipe mostrou que enquanto os antigos egípcios extraíam cerussite (PbCO3) de minas locais, eram capazes de produzir o próprio fosgenite (Pb2Cl2CO3). Mil anos depois, nota o artigo científico publicado recentemente na Nature, os gregos começaram a produzir cerussite sintético, que pertence ao grupo dos carbonatos de chumbo.

A técnica usada pela equipe de Beck poderia ajudar a autenticar obras de arte antigas, isto porque o branco do chumbo – uma mistura de cerussite e hidrocerusite (Pb3(CO3)2(OH)2) – era o pigmento mais usado no mundo da arte antiga.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

NASA não consegue “despertar” Opportunity, a sonda adormecida em Marte

Os especialistas da NASA não conseguiram reestabelecer ligação com a sonda marciana Opportunity, embora o volume de pó na atmosfera de Marte já tenha reduzido a níveis muito próximos dos normais, revelou a agência norte-americana. “Neste …

Centenas de argentinos fazem renúncia coletiva ao catolicismo

Quase duas semanas depois da rejeição da legalização do aborto pelo Senado argentino, centenas de cidadãos participaram de uma apostasia coletiva no último fim de semana em Buenos Aires. O objetivo dos manifestantes era não apenas …

Cientistas identificam destino fatal da perdida 8ª Maravilha do Mundo

Os Terraços Rosa e Branco da Nova Zelândia, conhecidos como a 8ª Maravilha do Mundo, desaparecerem misteriosamente há mais de 130 anos. Agora, um grupo de cientistas acredita ter descoberto o que levou ao fatídico …

Revelada identidade das múmias do enorme sarcófago preto do Egito

No início de julho, um enorme sarcófago negro foi descoberto em Alexandria, no Egito. O misterioso túmulo foi aberto dias depois e os especialistas identificaram no interior três múmias danificadas pela água que tinha se …

2 mil anos depois, a rede de estradas romanas ainda gera riquezas

“Todos os caminhos levam a Roma”. Todo mundo já ouviu dizer e a ciência já nos mostrou que o ditado popular é realmente verdade. Um novo estudo mostra agora que a riqueza gerada pelas estradas …

Com apenas 3 anos, Ophelia tem um QI superior ao de Einstein

Ophelia Morgan-Dew tem apenas 3 anos, vive na cidade de Herefordshire, no Reino Unido, e pode ser o mais novo gênio do mundo. A menina fez o teste para medir o QI e os resultados …

Ex-diretor da CIA admite recorrer à Justiça contra Donald Trump

O ex-diretor da CIA John Brennan admitiu neste domingo (19) recorrer à Justiça, depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter cancelado seu acesso a informação confidencial e à Casa Branca. “Se esse é …

Roraima volta a pedir ao STF limite de entrada de venezuelanos

O governo de Roraima voltou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão temporária de entrada de imigrantes em território brasileiro para tentar conter o perigo de conflitos e o “eventual derramamento de sangue …

Aumento do Judiciário compromete orçamento de 13 Estados

Metade dos 26 estados ligou o alerta orçamentário: o aumento que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concederam a si mesmos – ainda depende de aprovação no Senado – pode inviabilizar a folha de …

Universidade de São Paulo abre inscrições para curso gratuito sobre Harry Potter

O universo de Harry Potter continua conquistando gerações. Desde o lançamento do primeiro romance em 1997 (A Pedra Filosofal), foram mais de 450 milhões de cópias vendidas, traduções para 73 idiomas e o surgimento de …