Os egípcios já faziam cosméticos há 3.500 anos

(dr) Laurence Godart

Cientistas sintetizaram tintas e cosméticos com cerca de 3.500 anos, uma descoberta feita graças ao fato de a equipe ter desenvolvido uma nova técnica de datação de compostos carbonatados inorgânicos.

Os carbonatos de chumbo foram alguns dos ingredientes mais importantes tanto em tintas antigas como em cosméticos. No entanto, enquanto que a datação por carbono é comumente utilizada para determinar a idade de itens históricos feitos de vegetais ou animais, a análise de materiais inorgânicos é diferente e menos direta.

O carbono-14 radioativo é continuamente produzido na atmosfera e incorporado nas plantas durante a fotossíntese. Quando um organismo morre, deixa de absorver carbono fazendo com que a proporção de carbono-14 diminua à medida que o elemento se decompõe gradualmente. É esse acontecimento que dá aos cientistas uma forma de identificar a idade dos restos de plantas e animais.

Agora, uma equipe de cientistas liderada por Lucile Beck, da Universidade de Paris-Saclay, na França, mostrou que durante a fabricação de carbonatos de chumbo, o carbono-14 que contém dióxido de carbono atmosférico é incorporado no material.

Isso fez com que a equipe conseguisse distinguir carbonatos sintéticos de chumbo daqueles com origem natural, explica o site ChemistryWorld.

Assim, a equipe de especialistas examinou em detalhe amostras de cosméticos antigos mantidos no Museu do Louvre, em Paris, incluindo um pó encontrado em um túmulo em Erétria, na Grécia, e outros pigmentos encontrados em câmaras funerárias egípcias construídas durante os reinados de Amenhotep III e Tutancâmon.

Os cientistas utilizaram a espectrometria de massa para analisar os materiais e, assim, comparar as idades às datas conhecidas de outros objetos encontrados nos mesmos lugares, como moedas ou inscrições.

As idades dos carbonatos de chumbo que coincidiam com o período do túmulo em que foram descobertos fez com que a equipe concluísse que esses compostos deveriam ter sido criados artificialmente, partindo do princípio de que os carbonatos mais antigos do que os túmulos devem ter sido minerais criados através de um processo natural.

Dessa forma, a equipe mostrou que enquanto os antigos egípcios extraíam cerussite (PbCO3) de minas locais, eram capazes de produzir o próprio fosgenite (Pb2Cl2CO3). Mil anos depois, nota o artigo científico publicado recentemente na Nature, os gregos começaram a produzir cerussite sintético, que pertence ao grupo dos carbonatos de chumbo.

A técnica usada pela equipe de Beck poderia ajudar a autenticar obras de arte antigas, isto porque o branco do chumbo – uma mistura de cerussite e hidrocerusite (Pb3(CO3)2(OH)2) – era o pigmento mais usado no mundo da arte antiga.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Voyager 2 da NASA já entrou no espaço interestelar

Pela segunda vez na história, um objeto feito pelo homem alcançou o espaço entre as estrelas. A sonda Voyager 2 da NASA saiu da heliosfera – a bolha protetora de partículas e campos magnéticos criada …

Freiras desviam 500 mil de escola católica para jogar em Las Vegas

Duas freiras norte-americanas admitiram terem desviado fundos escolares estimados em 500 mil de dólares para realizarem viagens aos cassinos de Las Vegas, anunciou esta semana a arquidiocese de Los Angeles. O desvio de fundos destinados a …

Uma selfie em meio aos protestos em Paris: “metáfora do nosso tempo”

Uma foto do jornalista russo Ilya Varlamov está correndo o mundo, sendo considerada por muitos internautas como um documento que “capta de forma precisa o espírito da nossa era”. A imagem de uma jovem tirando uma selfie …

Experiências de quase-morte: luz no fim do túnel pode ter explicação

Pessoas que estiveram à beira da morte afirmam ter visto uma luz branca brilhante no fim de um túnel e encontrado familiares ou animais de estimação. Apesar do tom sobrenatural, a ciência consegue explicar o …

Setenta anos depois, teste de DNA reúne mãe e filha pela primeira vez

Genevieve achava que sua bebê recém-nascida tinha morrido no parto. Mas não: foi adotada por uma família da Califórnia que mentiu sobre suas origens. Agora, mãe e filha se conheceram graças a um teste de …

“Lobisomem da Sibéria”: maior assassino em série da Rússia era policial e matou 78 mulheres

Um ex-policial russo, já condenado a prisão perpétua pela morte de 22 mulheres, foi sentenciado nesta segunda-feira (10) na Sibéria por mais 56 homicídios, o que o torna no maior assassino em série da história …

Pacto Global para Migração da ONU é aprovado por mais de 150 países

O Pacto Global para uma Migração Segura, Ordenada e Regular das Nações Unidas (ONU) foi aprovado nesta segunda-feira (10) por mais de 150 países presentes na conferência intergovernamental da organização na cidade marroquina de Marraquexe. A …

Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social

O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Abi-Ramia Caetano, foi eleito para o cargo de secretário-geral da Associação Internacional de Seguridade Social (2019-2024). Ele será o primeiro brasileiro a ocupar a posição. Em …

Professora diz aos alunos que o Papai Noel não existe (e é demitida)

Uma professora substituta, em uma cidade norte-americana, já não vai voltar a ser chamada para dar aulas – além do Papai Noel, ela também “matou” o Coelhinho da Páscoa e a Fada do Dente. Por todo …

Maior quebra-cabeças do mundo é uma ilha congelada na Rússia

Localizado entre o Oceano Ártico e os mares gelados do norte da Sibéria, o aglomerado de rochas, conhecidas como as Ilhas da Nova Sibéria, é frio e remoto. As ilhas são uma tela quase desabitada coberta …