Elon Musk revela seus planos para hackear cérebros humanos

Uma das empresas do multi-empresário Elon Musk, a Neuralink, está trabalhando em uma tecnologia inovadora baseada em “fios” ou eletrodos que serão implantados no cérebro humano.

O objetivo de tal tecnologia? Conectar nossos cérebros a potenciais interfaces computacionais, como a internet. Por enquanto, os fios ultrafinos serão testados para fins médicos, mas a longo prazo a ideia é “alcançar uma espécie de simbiose com a inteligência artificial”.

Obviamente, isso será opcional. Não precisaremos todos nos tornar metade humanos-metade robôs artificialmente inteligentes (ufa ou que pena, dependendo de como você se sente sobre isso).

A Neuralink foi fundada em 2017 e é presidida por Max Hodak. A tecnologia para “hackear” cérebros humanos ainda está em estágio inicial, e há um longo caminho pela frente antes que possa ser comercializada.

Por enquanto, o plano é usar robôs para operar uma espécie de “máquina de costura” a fim de implantar os fios (que tem aproximadamente um terço do diâmetro de um fino cabelo humano) no tecido cerebral de uma pessoa, onde serão capazes de realizar operações de leitura e escrita de informações em grandes volumes de dados.

Neuralink

No futuro, o método deve evoluir para o uso de lasers que farão minúsculos buracos no crânio humano para implantar os fios ultrafinos. Isso seria muito menos invasivo e os pacientes não sentiriam nada.

Os eletrodos podem teoricamente ser utilizados para propósitos médicos, como permitir que amputados reganhem mobilidade através de membros protéticos, ou restaurar visão e audição, por exemplo. Esse tipo de teste pode começar já no ano que vem, inclusive.

Avançando no escuro

A Neuralink demonstrou a tecnologia em ratos em laboratório recentemente, e a performance excedeu os melhores sistemas de interface cérebro-computador que existem hoje. Os dados foram recolhidos via USB-C e geraram cerca de dez vezes mais transferência de informação do que os melhores sensores atuais.

Por enquanto, a fim de avançar na pesquisa, a Neuralink está recrutando talentos e divulgando suas descobertas justamente para poder trabalhar mais abertamente esse campo de estudo, alcançando melhores resultados.

Por exemplo, existe a questão sobre a longevidade dos fios/eletrodos quando expostos ao cérebro humano, uma vez que o órgão possui uma mistura salina que pode danificar e degradar plásticos ao longo do tempo.

Em última análise, o plano é que os eletrodos implantados sejam capazes de se comunicar com chips fora do cérebro sem necessidade de nenhuma conexão, proporcionando monitoramento em tempo real e com liberdade de movimento sem precedentes.

Ciberia // HypeScience / NYT /

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …