Brasileiros criam embalagem de órgãos segura para transplante

(dr)

Uma equipe de pesquisadores brasileiros criou uma maneira segura para transportar órgãos que estão a caminho do transplante. A embalagem foi desenvolvida por estudantes do Instituto Mauá de Tecnologia, IMT, com apoio da Universidade Federal de São Paulo, Unifesp.

Hoje, transporte do órgão é feito com três sacos estéreis cheios de gelo para que ele não sofra nenhum trauma no meio do caminho, e depois é posicionado dentro de uma caixa térmica. A nova embalagem foi a solução encontrada pelo grupo para as questões de segurança e resfriamento do órgão.

O projeto faz parte do Trabalho de Conclusão de Curso, TCC, de um grupo de quatro estudantes de engenharia de produção.

Pesando apenas 5,8 quilos e com travas na tampa, a caixa não necessita de gelo para a refrigeração. O sistema de controle de temperatura consiste em uma placa de Peltier. Ele funciona da seguinte forma: um lado esquenta e outro esfria.

O lado quente é responsável por levar o calor para fora da embalagem, enquanto o lado frio tem como função resfriar a parte interna.

Além disso, a embalagem é feita com duas camadas de poliestireno (PS) de alto impacto, um termoplástico para evitar choques durante todo o trajeto, e uma camada de poliuretano (PU) capaz de isolar o meio interno do externo.

“Isso reduz o peso da caixa, porque a densidade do poliestireno é menor do que o ABS, que é o material usualmente utilizado para a fabricação das caixas de transporte”, afirmou Daniela Mika Sonohara, uma das responsáveis pelo projeto.

Para facilitar a entrada no centro cirúrgico, as estudantes de engenharia de produção criaram uma caixa com duas camadas removíveis. “Isso diminui as chances de haver alguma contaminação”, ressalta Sonohara.

Na caixa interna existe uma espécie de berço com uma membrana interna que deve abraçar o órgão para que ele não fique “dançando” dentro da embalagem. Esse berço é regulável para poder transportar um ou mais órgãos, de crianças ou de adultos, seja qual for o seu tamanho.

“Isso serve também para diminuir o impacto e a vibração durante todo o trajeto”.

A nova embalagem também conta com um visor que mostra a temperatura durante todo o percurso e, para facilitar o transporte, ela dispõe de rodinhas embutidas com uma alça telescópica que auxiliam na hora de puxá-la. Ou, se a pessoa preferir, também é possível carrega-la na mão, pois existem duas alças laterais destinadas a isso.

O protótipo da embalagem foi impresso em 3D e em tamanho real no FabLab do IMT e o resultado foi apresentado durante o Eureka, no IMT de São Caetano do Sul, neste final de semana.

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …

Cientistas explicam por que não se consegue parar a pandemia

Cientistas turcos descobriram que a quantidade de vírus SARS-CoV-2 no organismo de pacientes assintomáticos é mais alta do que nos que apresentam sintomas, o que diferencia radicalmente o novo coronavírus de outros patógenos e explica …

Al-Ahly venceu Liga dos Campeões da CAF

A equipa egípcia do Al-Ahly arrecadou o troféu da Liga dos Campeões da Confederação Africana de futebol pela nona vez ao derrotar o outro clube egípcio, o Zamalek, por 1-2. A final 100% egípcia decorreu no …

Monolito misterioso achado no deserto dos EUA desaparece

O misterioso monolito de metal que causou grande especulação após sua descoberta em um deserto no estado americano de Utah, nos EUA, aparentemente desapareceu, segundo funcionários locais. O escritório de administração fundiária do estado de Utah …

Parlamento iraniano assina texto que impede inspeção de centrais nucleares

A proposta é uma represália ao assassinato do cientista Mohsen Fakhrizadeh, chefe do Departamento de Pesquisa e Inovação do Ministério da Defesa, nesta sexta-feira (27). O governo iraniano responsabilizou Israel pelo crime, dizendo que …