Pesquisadores descobrem que enorme estrela de hipervelocidade foi ejetada da Via Láctea

D. Minniti / VVV Survey / ESO

Uma nova pesquisa da Universidade de Michigan (EUA) afirmou que uma estrela de movimento rápido – também chamada de estrela de hipervelocidade – pode ter sido ejetada do disco estelar da Via Láctea.

Anteriormente, os astrônomos acreditavam que tais estrelas só poderiam ter sido ejetadas do centro da galáxia, após passar perto do buraco negro supermassivo no coração da Via Láctea. Esta pode ter sido lançada em velocidade por um agrupamento de estrelas massivas jovens ou por um buraco negro de massa intermediária.

“Esta descoberta muda drasticamente a nossa visão sobre a origem das estrelas que se movem rapidamente”, disse Monica Valluri, do Departamento de Astronomia da Universidade de Michigan.

“O fato de que a trajetória dessa estrela maciça se origina no disco e não no centro da galáxia indica que os ambientes muito extremos necessários para ejetar estrelas hipervelozes podem surgir em outros lugares que não em buracos negros supermassivos”.

Estrelas de hipervelocidade

A Via Láctea contém dezenas de bilhões de estrelas, a maioria das quais são distribuídas em uma estrutura semelhante a uma pizza chamada disco estelar.

Em 2005, os astrônomos descobriram estrelas hipervelozes, objetos que se movem duas vezes mais rápido que a maioria das outras – cerca de 500 quilômetros por segundo, enquanto estrelas se movem em média a pouco mais de 200 km/seg.

Menos de 30 dessas estrelas extremamente rápidas foram descobertas até agora. Os astrônomos teorizavam que, para produzir este tipo de velocidade, estrelas binárias precisariam passar muito perto de um buraco negro supermassivo – uma seria capturada, e a outra lançada em um “estilingue gravitacional”.

Como há evidências de que há um buraco supermassivo no centro da Via Láctea, muitos cientistas creem que a maioria das estrelas de hipervelocidade foi ejetada desse ponto.

LAMOST-HVS1

Valluri e seu colega de pós-doutorado Kohei Hattori decidiram estudar a trajetória de LAMOST-HVS1, uma enorme estrela em movimento rápido que está mais próxima do sol do que qualquer outra já descoberta, para identificar de onde foi ejetada.

Para isso, utilizaram dados do Telescópio Gigante de Magalhães, no Chile, e da Missão Espacial Gaia, da Agência Espacial Europeia. Com a localização e a velocidade atuais da estrela, os astrônomos conseguiram rastrear seu caminho, ou órbita. Para sua surpresa, parece que a estrela foi ejetada do disco estelar, e não do centro da Via Láctea.

Os pesquisadores ponderam que a ejeção dessa estrela massiva do disco estelar pode ser o resultado de um encontro próximo com um aglomerado estelar ou um buraco negro de massa intermediária em um aglomerado estelar.

Possibilidades

Os cientistas conhecem estrelas “fugitivas” que foram ejetadas de aglomerados estelares, com velocidade de 40 a 100 km/s. No entanto, nenhuma foi observada com a extrema velocidade de ejeção necessária para explicar a LAMOST -HVS1.

Modelos teóricos de colisões com aglomerados estelares produzem muito raramente velocidades tão extremas, o que sugere uma possibilidade mais exótica: um buraco negro de massa intermediária.

O caminho computado da estrela se origina em um local no braço espiral Norma que não está associado a aglomerados estelares maciços previamente conhecidos. No entanto, se esse aglomerado estelar hipotético existir, ele pode estar oculto atrás da poeira no disco estelar. Se for encontrado, proporcionará a primeira oportunidade de descobrir diretamente um buraco negro de massa intermediária na Via Láctea.

Há mais delas por aí?

O fato de que esta estrela pode ter sido ejetada de um aglomerado massivo no disco estelar sugere a possibilidade de que muitas outras estrelas hipervelozes existam.

Tanto a Via Láctea quanto a Grande Nuvem de Magalhães são conhecidas por terem aglomerados estelares massivos que podem ser importantes ejetores dessas estrelas de movimento rápido.

Isso também pode levar a novas descobertas sobre as interações das estrelas e a possível formação de buracos negros de massa intermediária em aglomerados estelares. Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Astrophysical Journal.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Greta Thunberg é eleita Pessoa do Ano pela "Time"

Revista dedica capa à jovem adolescente sueca por liderar a maior manifestação pelo clima na história da humanidade e diz que mudanças significativas raramente ocorrem sem a força mobilizadora de indivíduos influentes. A ativista sueca Greta …

Companhia aérea adota copos comestíveis para substituir descartáveis

A redução do uso de plástico como medida de combate à poluição é necessidade urgente e, ainda que cada um de nós seja parte desse destrutivo consumo, é sabido que a diferença se dá de …

Senado votará pacote anticrime nesta quarta-feira, diz Alcolumbre

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que vai pautar para esta quarta-feira (11) a votação do pacote anticrime. O projeto foi aprovado na semana passada pela Câmara dos Deputados e passou nesta terça-feira (10) …

Vacina contra gastroenterite pode ser eficaz contra câncer, mostra pesquisa

O estudo, realizado por um grupo de cientistas franceses do Centro de Pesquisa em Cancerologia de Lyon, mostrou que a vacina usada para prevenir a gastroenterite em crianças pode provocar a morte de células cancerígenas …

Famosa na internet, a falecida gata Lil Bub terá suas cinzas enviadas ao espaço

Visitar pessoalmente o espaço sideral é uma oportunidade que pouquíssimas pessoas têm em vida, mas enviar suas cinzas ao espaço pode se tornar uma nova forma de passar a eternidade entre as estrelas. E, assim …

Câmara dos EUA formaliza acusações contra Trump

Democratas dizem ter provas suficientes para acusar o presidente americano de abuso de poder e obstrução do Congresso. Votação sobre o impeachment no plenário da Câmara deve ocorrer na próxima semana. Congressistas democratas na Câmara dos …

Cientistas criam pele artificial que é flexível se cura como a de verdade

Cientistas da Universidade Nacional da Austrália criaram um hidrogel que funciona como a pele de verdade, com a mesma força e durabilidade. “Com a química especial que desenvolvemos no hidrogel, ele pode se reparar após ser …

Putin e Zelenski anunciam cessar-fogo na Ucrânia

Em cúpula em Paris, presidentes concordam em retomar processo de paz e prometem troca de todos os prisioneiros até o fim deste ano. Apesar de avanços, divergências sobre eleições em regiões separatistas permanecem. Os presidentes ucraniano, …

Aung San Suu Kyi vai defender Mianmar na ONU de acusações de genocídio

A prêmio Nobel da Paz defenderá seu país das acusações de genocídio da minoria muçulmana rohingya no tribunal internacional da ONU, em Haia. A Corte Penal Internacional (CPI) autorizou em novembro que Mianmar, antiga Birmânia, seja …

Em meio a "emergência climática", UE aposta em Acordo Verde

Com a UE prestes a fracassar em suas metas de redução de CO2 até 2030, todos os olhos se voltam para os planos de longo prazo da Comissão Europeia para combater a mudança climática. A nova …