Na Era Vitoriana já existia Netflix, e se chamava “lanternas mágicas”

Bill Douglas, Cinema Museum / University of Exeter

Apesar de na Era Vitoriana não ter existido televisão, as pessoas que viviam nos anos 1800 e no início dos anos 1900 tinham algo que a substituía: a lanterna mágica.

As lanternas mágicas foram a maneira inicial do projetor de slides, conseguindo mostrar imagens em 3D e até mesmo em movimento para entreter o público da Era Vitoriana. No entanto, devido ao preço altíssimo das lanternas, os historiadores suspeitavam de que poucos conseguiam usufruir do objeto.

Mas, segundo novas pesquisas, esses projetores eram muito mais comuns e acessíveis do que se pensava. Famílias da classe média alugavam regularmente as lanternas mágicas, especialmente para festas de aniversário, feriados ou outros eventos sociais.

Apesar de ainda não ter sido publicada, a pesquisa foi apresentada no dia 29 de agosto na Conferência Anual da Associação Britânica de Estudos Vitorianos, na Universidade de Exeter.

John Plunkett, professor de inglês na universidade britânica, conseguiu chegar à conclusão através da análise de jornais da época. O pesquisador encontrou um conjunto de várias propagandas de lanternas mágicas, o que sugeriu que os vitorianos alugavam apresentações de slides que podiam, posteriormente, ser exibidas em lanternas mágicas.

“Assim como a Netflix ou as muitas lojas que alugam filmes ou jogos, na Era Vitoriana existia também uma forma semelhante que permitia o acesso a mídia visual, muitas vezes inacessível”, disse Plunkett à Live Science.

As pessoas começaram a usar lanternas mágicas nos anos 1500, mas foi só no início da segunda metade do século XIX que a tecnologia se tornou mais difundida, quando oculistas, fotógrafos e papelarias começaram a alugar os aparelhos.

“Sabemos que as famílias vitorianas ficaram encantadas com as lanternas mágicas e com os estereoscópios. Agora, sabemos também que isso impulsionou uma próspera prática comercial de contratar ou alugar lanternas e slides“, disse Plunkett.

Mas, ao contrário da Netflix, montar uma lanterna mágica não era tarefa fácil. Inicialmente, o dispositivo usava uma vela para iluminar os slides, mas, mais tarde, começou a ser usada uma luz mais forte que resultava da queima de cal mineral com uma mistura de hidrogênio e oxigênio.

Como é óbvio, a estratégia se mostrou muitas vezes desastrosa e perigosa. “Há vários relatos de acidentes e explosões”, conta o pesquisador. Foi então que as pessoas começaram a apostar nesta forma de lazer e pagar às “operadoras” para instalar a lanternas mágicas nas suas casas, como uma televisão à cabo, ou mais atual ainda, como uma Netflix daquele tempo.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …