Escolas do Paquistão lançam campanha: “Eu não sou Malala”

United Nations / Flickr

A ativista adolescente Malala Yousafzai, Prêmio Nobel da Paz

A principal federação de escolas particulares do Paquistão lançou uma campanha pública contra a prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai, que regressou à cidade onde, em 2012, foi baleada na cabeça pelos talibãs.

Eu não sou Malala“. Esse é protesto liderado pela federação das escolas particulares paquistanesas, com mais de 200 mil associados, no qual acusa a ativista de “terrorismo ideológico“. Malala voltou ao país, na semana passada, pela primeira vez depois de quase seis anos.

Mirza Kashif Ali, presidente da Federação de Escolas Particulares do Paquistão, afirma que os professores participantes, que em 2014 proibiram a leitura do livro da ativista “Eu sou Malala” nas salas de aula, usaram braceletes de cor preta e explicaram aos alunos os planos “perversos” de Malala Yousafzai.

“Não damos boas-vindas à Malala”, afirmou Kashif, na cidade de Lahore, que a acusa de trabalhar como agente para outros países, transmitir uma ideologia secular e defender o escritor Salman Rushdie e seu livro Versículos Satânicos.

“Condenamos esse terrorismo ideológico e protestamos por isso”, ressaltou Kashif.

Em vídeo divulgado pela federação, crianças mostravam cartazes com a frase “Eu não sou Malalal”, com o nome da ativista mal escrito de propósito. Em outra gravação, um professor explica que Malala causou grande prejuízo à imagem internacional do país, especialmente ao exército.

Entre os objetivos da federação estão “proteger e preservar a soberania e a integridade e defender a ideologia do Paquistão“, assim como “defender e proteger a Constituição da República Islâmica do Paquistão”, de acordo com o site do grupo.

Na quinta-feira (29), Malala regressou ao país, depois de quase seis anos de ausência, tendo se declarado muito feliz por estar no país.

Estou muito feliz. Nem consigo acreditar que estou aqui”, declarou em breve discurso na residência do primeiro-ministro, Shahid Khagan Abbasi, em Islamabad, algumas horas depois de chegar de surpresa ao Paquistão.

“Nos últimos cinco anos, sonhei sempre em poder voltar ao meu país”, declarou, tendo prometido que continuará a campanha pela educação das meninas e pedindo aos paquistaneses que se unam em questões como os cuidados de saúde e a educação.

Malala Yousafzai abandonou o Paquistão entre a vida e a morte após a tentativa de assassinato realizada por militantes talibãs quando voltava da escola.

Tratada na Inglaterra, onde vive, se tornou um ícone dos direitos das meninas à educação, o que lhe valeu o prêmio Nobel da Paz em 2014, junto com o indiano Kailash Satyarthi.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Caso de peste bubônica é confirmado na China

Enquanto o mundo vem buscando tratamentos para a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), antigas doenças e ameças podem ressurgir, como um sinal de alerta para a sociedade. É esse o caso relatado pelas autoridades da saúde …

Petição que substituir estátua de Cristóvão Colombo por uma do músico Prince

O histórico processo de revisão das estátuas, nomes de rua e outras homenagens a personagens ligados ao racismo ou outros massacres étnicos prevê a retirada de tais homenagens, mas não somente: figuras efetivamente merecedoras dos …

EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado

Mike Pompeo já acolheu uma medida semelhante da Índia, que emitiu uma ordem provisória bloqueando o TikTok e outros 58 aplicativos ligados à China em meio ao primeiro choque fronteiriço mortal em décadas. O secretário de …

Brasil tem mais de 65 mil mortes por covid-19

O Brasil superou a marca de 65 mil mortos por covid-19 nesta segunda-feira (06/07), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde. Foram 620 óbitos registrados nas últimas …

Homem cria uma "cadeira de rodas" off-road para que sua esposa possa ir a lugares que ela nunca imaginou

Quem precisa de uma cadeira de rodas para se locomover sabe que não é nada fácil percorrer certos terrenos. Viagens a lugares nevados, trilhas tropicais, montanhas… Tudo isso parece impossível. Mas não deveria ser. Aliás, …

Samsung pode ser beneficiada por tensão entre China e Índia

Enquanto os exércitos da China e da Índia se estranham na fronteira entre os dois países, quem pode sair ganhando com a rivalidade é uma empresa sul-coreana. A Samsung deve ser a principal beneficiada com o …

Com epidemia de Covid-19 controlada, Cuba inicia retomada do turismo internacional

Enquanto o coronavírus segue se propagando pelo continente americano, Cuba garante que a epidemia está controlada no país e reabre algumas praias ao turismo internacional. No total, país registrou pouco mais de 2.300 contaminações …

Pesquisadores encontram novos dados sobre época de Genghis Khan

Grande parte da vida de Genghis Khan permanece ainda um mistério, mas um novo estudo de pesquisadores da Austrália e Mongólia fornece novos dados sobre sua época. Genghis Khan, que teria vivido entre 1162 e 1227, …

Índia vê casos explodirem e vira um dos epicentros da pandemia

Com quase 700 mil casos de covid-19, a Índia ultrapassou a Rússia e se tornou nesta segunda-feira (07/07) o terceiro país mais atingido pela pandemia de covid-19 em todo o mundo. O Ministério da Saúde indiano …

Filho interrompe ao vivo de repórter para pedir biscoitos

Em mais uma das patacoadas do home-office, a jornalista Deborah Haynes da Sky News acabou sendo interrompida por seu filho, que fez um pedido bastante singelo para a mãe: ele queria alguns biscoitos. O vídeo foi …