Evo Morales vai fazer da Argentina o seu comitê de campanha para as eleições na Bolívia

Alain Bachellier / Flickr

Evo Morales, Presidente da Bolívia

Em uma operação secreta, o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou à Argentina de onde vai comandar a campanha do seu partido para as próximas eleições. Depois de passar quase um mês no México, Evo Morales recebeu o status de refugiado na Argentina, o que lhe permite uma maior proteção.

A atual Argentina do presidente Alberto Fernández é hoje um reduto da esquerda regional e a presença de Evo Morales pode distanciar ainda mais os governos argentino e brasileiro.

Para evitar problemas para o país na relação com as nações vizinhas, o governo argentino pediu que Evo Morales não faça declarações políticas públicas, mas não existe nenhuma lei que o proíba de romper com essa promessa. Na Argentina, Evo Morales poderá organizar a campanha do seu partido, o Movimento Ao Socialismo, para as próximas eleições na Bolívia, ainda sem data, mas que devem acontecer em março ou em abril.

Mesmo com o seu líder fora da Bolívia, o partido de Evo Morales o escolheu como chefe de campanha para as próximas eleições. Será ele quem vai escolher o candidato do partido e traçar a estratégia eleitoral. Evo Morales não está habilitado para concorrer, mas vai tentar, indiretamente, recuperar o poder através do seu candidato.

O próprio chanceler argentino, Felipe Solá, destacou que a proximidade geográfica da Argentina com a Bolívia foi decisiva para a vinda de Morales. O ex-presidente vai poder andar livremente pelo país e reunir-se com quem quiser.

Mas o governo argentino colocou como condição para ele ficar no país como refugiado que o mesmo não faça declarações políticas. Não existe nenhuma lei argentina que o proíba. É apenas um compromisso político.

Assim que chegou à Argentina, Evo Morales publicou nas redes sociais que “vai continuar lutando pelos mais humildes”. Sua impacta no governo brasileiro. Uma das razões que o chanceler argentino, Felipe Solá, deu para pedir que Evo Morales não faça declarações públicas é que isso poderia gerar algum problema para a Argentina.

Impacto no governo brasileiro

Felipe Solá não citou o Brasil, mas é claro que, na vizinhança, o governo que pode ficar mais irritado com a ajuda argentina a Evo Morales, é o brasileiro. O Brasil foi o primeiro país da região em reconhecer o novo governo boliviano. O presidente Jair Bolsonaro quer ajudar a Bolívia a evitar que a esquerda recupere o poder.

E a vinda de Evo Morales para o país acontece apenas horas depois de o presidente Jair Bolsonaro ter dito que estava à disposição para receber uma visita de Alberto Fernández, num gesto de aproximação depois de semanas de tensão.

O que mais irrita Bolsonaro é o apoio de Alberto Fernández a Lula. Mas agora aparece também Evo Morales e, neste momento, quem também está na Argentina de visita é o ex-presidente equatoriano Rafael Correa.

Para Bolívia, postura da Argentina não surpreende

A chanceler boliviana, Karen Longaric, disse à RFI Brasil que Alberto Fernández já tinha deixado claro como seria a relação com o atual governo boliviano.

O ex-presidente argentino Mauricio Macri pediu, na semana passada, que Alberto Fernández reconhecesse o governo boliviano, mas Fernández não vai reconhecer porque acredita que Evo Morales foi vítima de um golpe. Tudo o que Fernández puder fazer para ajudar Evo Morales ou o seu partido a recuperar o poder, ele vai fazer.

O que a chanceler boliviana pediu agora é que Evo Morales cumpra com as regras de um refugiado e não dê declarações públicas, como fez todos os dias durante um mês no México. Para a ministra boliviana, pode haver uma relação muito difícil com o novo governo argentino que, segundo ela, já demonstrou muita animosidade contra o governo de transição de Jeanine Áñez.

Operação secreta

O ex-presidente boliviano chegou ao país em uma operação secreta, como asilado político, mas, uma vez em território argentino, solicitou e recebeu o status de refugiado político que autoriza não ser expulso nem extraditado da Argentina caso avancem os processos contra ele na Bolívia. Evo Morales chegou com quatro ex-integrantes do seu governo que vão também coordenar a campanha eleitoral na Bolívia a partir daqui.

O governo argentino argumentou que Evo Morales quis ficar na Argentina onde estão seus dois filhos desde o dia 23 de novembro. Na terça-feira, quando Alberto Fernández assumiu a Presidência, Evo Morales telefonou para lhe dar os parabéns e para lhe pedir se podia começar com o processo de pedido de refúgio na Argentina. Em 48 horas, o pedido era uma realidade. Morales ainda não se reuniu com Fernández, mas eles já conversaram por telefone.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Novo navio insígnia da Rússia é considerado 'maior ameaça' pelo Ocidente

Com novos mísseis, modernos equipamentos a bordo e uma capacidade de combate única, o cruzador nuclear pesado do projeto 1144 Orlan, Admiral Nakhimov, deverá assumir o posto de navio insígnia da Marinha russa em 2022. O …

Biden anuncia pacote de estímulo de quase US$ 2 trilhões

Para revitalizar a maior economia do mundo em meio à pandemia, "Plano de resgate americano" apresentado pelo presidente eleito inclui auxílio a desempregados e escolas e investimento na vacinação. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe …

Coronavírus: Reino Unido proíbe entrada de viajantes vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

Chegadas ao Reino Unido da América do Sul e Portugal serão proibidas a partir de sexta-feira (15/01) devido a preocupações com a variante brasileira do coronavírus. O secretário de transportes, Grant Shapps, disse que a mudança …

Vacinação nacional contra a COVID-19 começa no dia 20, às 10h

Ao que tudo indica o Brasil já tem uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a …

"Futuro assustador de extinção em massa" nos espera, elite dos cientistas alerta

O planeta enfrenta um “futuro assustador de extinção em massa, declínio da saúde e distúrbios climáticos” que ameaçam a sobrevivência humana por causa da ignorância e da inação, de acordo com um grupo internacional de …

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Variante da Covid-19 no Brasil faz Reino Unido banir viajantes da América Latina e Portugal

O governo britânico proibiu, nesta quinta-feira, as chegadas de todos os países da América do Sul e do Panamá, além de Portugal, em resposta à nova variante da Covid-19, descoberta no Brasil. A decisão …

CEO do Twitter defende banimento de Trump da rede social

Jack Dorsey diz que medida resulta do “fracasso” da plataforma em mediar diálogo saudável e admite que pode abrir “precedente perigoso”. Proibição veio após presidente dos EUA insuflar apoiadores que invadiram Capitólio. O CEO da rede …

O zumbido de fundo do universo pode ter sido ouvido pela primeira vez

Baseado no que sabemos sobre ondas gravitacionais, o Universo deve estar cheio delas. Cada par de buracos negros ou estrelas de nêutrons e colisão, cada supernova com núcleo em colapso — até mesmo o próprio …