Exames entregues por Bolsonaro deram negativo para o coronavírus

Tânia Rêgo / Agência Brasil

Os exames feitos pelo presidente Jair Bolsonaro tiveram resultado negativo para o novo coronavírus, segundo laudos recebidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e divulgados publicamente nesta quarta-feira (13/05), após autorização do ministro Ricardo Lewandowski.

Os documentos mostram que Bolsonaro usou os pseudônimos “Airton Guedes” e “Rafael Augusto Alves da Costa Ferraz” para realizar os exames, embora outros dados pessoais, como CPF, RG e data de nascimento, tenham sido informados corretamente.

O presidente fez os testes em março, após retornar de uma viagem aos Estados Unidos. Ele afirmou à época que testou negativo em todos eles, mas vinha se recusando a apresentar os laudos.

Dos três exames entregues ao STF, dois foram realizados no laboratório Sabin e um na Fiocruz. Neste último, Bolsonaro foi identificado apenas por um número, “05”, segundo a imprensa brasileira. Dados de seus documentos não foram informados nesse caso.

Os documentos só foram divulgados após o jornal O Estado de S. Paulo mover uma ação na Justiça para ter acesso ao resultado dos testes. A Justiça deu duas vezes ganho de causa ao jornal, mas a defesa do presidente recorreu a instâncias superiores.

Na sexta-feira passada, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, suspendeu a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) que obrigara o governo federal a apresentar à Justiça os exames.

Na decisão, Noronha entendeu que é assegurado ao presidente e a todos os cidadãos a proteção à privacidade, acatando, assim, a argumentação da defesa de Bolsonaro.

Diante disso, O Estado de S. Paulo recorreu na terça-feira ao STF, a última instância possível, e Lewandowski foi escolhido relator do caso. O jornal argumentou que a liberdade de imprensa contempla o acesso a todas as informações de interesse público.

Os exames foram, por fim, entregues na terça-feira pela Advocacia-Geral da União (AGU), e nesta quarta-feira Lewandowski autorizou a divulgação dos laudos.

O interesse pelos resultados dos exames de Bolsonaro foi despertado na primeira quinzena de março, quando duas dezenas de membros do governo contraíram a doença após o presidente e ministros voltarem de uma viagem aos EUA. Mesmo com a contaminação avançando entre seu círculo, Bolsonaro se juntou a aglomerações, como protestos inconstitucionais em Brasília, abraçando e cumprimentando apoiadores.

Na época, ele afirmou que os exames tiveram resultado negativo, mas nunca mostrou os documentos. Nas semanas seguintes, Bolsonaro continuou a minimizar a doença e chegou a afirmar que, se a contraísse, ela não seria mais que uma “gripezinha” por causa do seu “histórico de atleta”.

O presidente também demonstrou irritação com a cobrança. “Vocês nunca me viram aqui rastejando, com coriza… eu não tive, pô. E não minto. E não minto”, afirmou em 28 de abril, argumentando ainda que a divulgação dos resultados violaria sua privacidade.

“Se nós dois tivermos com aids [disse ele a um jornalista], por exemplo, a lei nos garante o anonimato. Por que pra mim tem que ser diferente?”, declarou.

Na ocasião, ele também explicou que usa um “nome fantasia” para pedidos de receitas e exames. “Eu sempre falei com o médico: ‘Bote o nome de fantasia, que pode ir pra lá Jair Bolsonaro’, já era manjado, principalmente em 2010 quando eu comecei a aparecer muito, né. Alguém pode fazer alguma coisa esquisita.”

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudo indica razão bizarra para a existência de barba nos homens

Humanos são bastante diferentes dos outros grandes primatas no que se refere ao pelo corporal: de forma geral temos bem menos que eles, especialmente as mulheres. Os homens, por outro lado, conseguem produzir uma barba longa, …

EUA querem fechar brecha em regra que bloqueia fornecimento de chips para Huawei

Reguladores dos EUA querem fechar uma brecha na nova regra que bloqueia o fornecimento global de chips para a Huawei. Recentemente, a fabricante chinesa também teve a sua presença prorrogada por mais um ano na …

Objetos escondidos por prisioneiros são descobertos em Auschwitz

Talheres e outros itens encontrados num duto de chaminé de um dos blocos daquele que foi o maior campo de extermínio nazista podem revelar detalhes sobre a vida no local, onde mais de um milhão …

Troca de ministros é exemplo de 'simplificação da política' de Bolsonaro

Constantes mudanças de ministro feitas por Jair Bolsonaro têm "impacto político importante", mas "simplificação da política" praticada pelo presidente o "mantém no cargo", disse sociólogo à Sputnik Brasil. Para Dario Sousa e Silva, professor da Universidade …

Pinguins fazem tour exclusivo em museu fechado por causa do coronavírus

Por todo o mundo a pandemia do novo coronavírus e a quarentena fecharam as portas dos museus, deixando as obras de arte solitárias nos corredores esvaziados das instituições, que já há meses não recebem visitantes. Enquanto …

Esse pode ser o único sintoma de Covid-19 em alguns pacientes

De acordo com publicação da Universidade de Utah, o coronavírus pode causar conjuntivite em casos raros e não parece ser o único sintoma de Covid-19, sendo acompanhada de febre, tosse e falta de ar. Mas …

Spotify reforça ambição de expandir para além do streaming de música

O Spotify teve uma alta em suas ações nessa terça-feira (19), depois de anunciar que terá, com exclusividade, um dos maiores podcasters do mundo na sua plataforma. "The Joe Rogan Experience", um podcast no estilo …

Israel é alvo de ciberataques generalizados

Vários websites de Israel foram atingidos nesta quinta-feira (21) por um ataque cibernético coordenado, com suas páginas principais sendo substituídas por imagens da capital, Tel Aviv, e de outras cidades israelenses em chamas. De acordo com …

Para imprensa europeia, cloroquina se tornou "arma política" no Brasil

A imprensa europeia demonstra surpresa e preocupação com a decisão do governo brasileiro de ampliar o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento de doentes com sintomas leves do coronavírus no SUS. Sites de …

STF libera vídeo de reunião com Moro e Bolsonaro

O ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu liberar nesta sexta-feira (22/05) a íntegra do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril mencionada pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro, logo …