Misterioso geoglifo de 2 mil anos deve se tornar patrimônio brasileiro

Das estruturas mais misteriosas do passado, geoglifos são grandes figuras feitas no chão. O Brasil está prestes a reconhecer o valor histórico de um deles. Trata-se da representação de um quadrado com um círculo, concêntricos, que ocupa uma área 20 mil metros quadrados no Acre.

O desenho foi construído a partir de valas de aproximadamente 11 metros de largura e 2,5 metros de profundidade e, conforme calculam cientistas, deve ter sido feito em um período de 1,5 mil a 2,5 mil anos atrás. Fica no sítio arqueológico Jacó Sá, a cerca de 50 quilômetros da capital, Rio Branco.

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vai se reunir em Belém, no Pará, para decidir sobre o tombamento da curiosa estrutura. Se for tombada, será inscrita como patrimônio brasileiro e, portanto, ficará protegida por lei.

Será a primeira vez que um geoglifo terá o reconhecimento de patrimônio do Iphan. A gigantesca figura do Acre também está entre os bens candidatos a integrar a lista de Patrimônio Mundial – para isso, precisa ser avalizada pela Unesco, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Geoglifos no Brasil

Calcula-se que haja mais de 500 geoglifos no Brasil – a maior parte no Acre – e o estudo dessas estruturas pode ajudar a contar um pouco sobre a ocupação pré-colombiana no País.

“Trabalho realizado pela Universidade Federal do Pará entre 2010 e 2014 identificou 410 sítios arqueológicos denominados geoglifos no estado do Acre”, contou à BBC o arqueólogo Flávio Rizzi Calippo, diretor do Centro Nacional de Arqueologia (CNA) do Iphan.

“Embora a maior concentração desses sítios esteja no Acre, também são encontrados nos Estados do Amazonas e Rondônia”, revelou.

Calippo ressalta, entretanto, que esse número pode ser bem maior. Ironicamente, a descoberta de novos geoglifos aumenta com o desmatamento, porque muitas estruturas assim estavam cobertas pela Floresta Amazônica.

“Mais geoglifos vêm sendo encontrados em decorrência de novas pesquisas. Recentemente, mais de 80 novos sítios foram localizados no Mato Grosso, o que amplia bastante não apenas o número de geoglifos conhecidos, mas também sua distribuição espacial no território brasileiro”, diz o arqueólogo.

“A estimativa é de que centenas de outros sítios sejam identificados com o levantamento de áreas atualmente recobertas por vegetação arbórea – que impede a identificação de novos sítios por meio de imagens de satélite convencionais.”

Embora apenas uma das estruturas deva ser tombada nesta semana, o sítio Jacó Sá é formado por dois geoglifos.

“Sítios arqueológicos onde são localizados os geoglifos comumente apresentam mais de uma estrutura e elas podem, inclusive, estar interligadas por valas que formam ‘caminhos'”, comentou à BBC o arqueólogo Thiago Trindade, um dos responsáveis para elaboração do parecer técnico do tombamento. “A expectativa é de que novos sítios possam ser indicados para tombamento no futuro.”

Trindade ressalta também a preocupação ambiental.

“Acontece que, por coincidência, esses sítios arqueológicos se encontram inseridos majoritariamente no que se chama de ‘cinturão de desmatamento’ que avança sobre a Floresta Amazônica, e o que se pretende com o seu tombamento é dar visibilidade – tanto para o poder público como para a sociedade de maneira geral – a esse grande número de sítios cuja integridade está ameaçada pelo avanço do desmatamento e de empreendimentos agropecuários especialmente na região Norte do Brasil”, diz o arqueólogo.

De acordo com o Iphan, a estrutura escolhida para o tombamento apresenta “elementos que são representativos do conjunto de sítios arqueológicos do tipo geoglifo conhecidos até o momento”. O instituto também frisa que o local selecionado apresenta “características facilitadoras de extroversão e socialização, tais como a facilidade de acesso e a possibilidade de exploração turística”.

Quando foi identificado

O sítio Jacó Sá foi identificado no ano 2000, quando o paleontólogo da Universidade Federal do Pará Alceu Ranzi realizou um sobrevoo na região.

Entre 2007 e 2008, a região foi sistematicamente pesquisada pela comunidade científica internacional, em um trabalho liderado pela arqueóloga finlandesa Sanna Saunaluoma, da Universidade de Helsinque. “Nessa ocasião, foram recolhidos vestígios materiais que, entre outros, permitiram estimar o período de ocupação do sítio”, conta Trindade.

Graças ao método de datação por meio do Carbono 14, realizado a partir de restos de carvão encontrados no sítio e outros vestígios materiais, como fragmentos de vasilhames cerâmicos, concluiu-se que a região foi construída e habitada entre 550 e 950 d.C.

Mas outros elementos apresentam datas que recuam até 500 anos a.C. “Isso dificulta a associação dos construtores e habitantes a uma determinada etnia indígena”, diz Trindade.

Ciberia // BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

60% das espécies de café estão em risco de extinção

Pela primeira vez, o café integra a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza como espécie em vias de extinção. De acordo com um estudo publicado esta semana nas revistas ScienceAdvances e Global Change Biology, 60% …

Pela felicidade dos professores, escola cria “licença do amor”

A escola de ensino médio de Dinglan, localizada na cidade chinesa de Hangzhou, apresentou esta semana a “licença do amor”, que visa melhorar o humor dos professores e, consequentemente, o trabalho com os alunos. Segundo relata …

Parte da Antártida está encolhendo (e não deveria)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente se referem à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros derramam grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, há um manto …

Estátua de diabo “alegre demais” gera polêmica na Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser “alegre demais” pelos moradores da cidade de Segóvia, na Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

Deputada britânica adiou o parto para votar contra o acordo do Brexit

Tulip Siddiq decidiu adiar o nascimento do segundo filho para poder votar contra o acordo do Brexit. A deputada trabalhista chegou ao Parlamento em uma cadeira de rodas. Tulip Siddiq decidiu adiar o nascimento do filho por …

Sorveteria em Florença cobra R$ 106 de turista por uma bola de sorvete

Uma sorveteria cobrou 25 euros (cerca de R$ 106) por um sorvete a um turista de Taiwan. Indignado, o turista reclamou ao guia que o acompanhava, que chamou a polícia. O estabelecimento foi multado em …

McDonald’s perde direitos do Big Mac para cadeia de fast food irlandesa

A irlandesa Supermac’s conseguiu uma vitória histórica: o Big Mac deixa de ser uma marca registrada na Europa. Mas a decisão ainda é passível de recurso. “É o fim do McBully”, disse Pat McDonagh, que recebeu …

Disco de gelo giratório gigantesco "invade" rio no Maine

Um enorme círculo de gelo giratório se formou esta semana no rio de Presumpscot, na cidade de Westbrook, no estado norte-americano do Maine. Esse disco bizarro, ainda que raro, é um fenômeno natural fruto da Física. …

Em um restaurante de Dubai, deixar comida no prato dá multa (e é mais cara que a refeição)

Com Dubai se tornando mais consciente do desperdício de alimentos, um restaurante se lembrou de uma maneira de fazer com que os clientes não deixem comida no prato. O restaurante Gulou Hotpot, em Al Barsha, uma sossegada …

Crivella quer abrir cassino no Rio

Com uma expansão em mente para atrair ainda mais turistas ao Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella começou a trabalhar para abrir um cassino na cidade. A era de ouro dos cassinos no Brasil durou de …