Governo britânico quer que WhatsApp quebre criptografia para combater terrorismo

-

Menos de um ano após as polêmicas envolvendo o FBI e a segurança dos aparelhos da Apple, a discussão sobre privacidade e combate ao terrorismo volta a tomar o noticiário do universo de tecnologia.

Desta vez, é o governo britânico que tenta quebrar a criptografia das conversas via WhatsApp para avançar nas investigações do atentado que matou três pessoas em Londres na última quarta-feira (22).

De acordo com as agências de segurança do Reino Unido, informações recentes revelam que Khalid Masood, autor do ataque em Londres, usou o aplicativo de bate-papo minutos antes de cometer o atentado, logo reivindicado pelo Estado Islâmico.

Diante disso, a Secretária de Estado para Assuntos Internos do país, Amber Rudd, disse que o WhatsApp e outros serviços do gênero não podem se tornar um lugar secreto para que terroristas possam se comunicar livremente e, por isso, pediu para que as agências de inteligência tenham acesso a essas plataformas.

E o debate sobre o tema é tão sério que o próprio governo convidou empresas de tecnologia para uma reunião nesta quinta-feira (30) para debater sobre a questão. Além de conversarem sobre mensagens criptografadas, assuntos como a divulgação de conteúdo extremista em redes sociais também será uma das pautas do encontro.

A razão dessa última preocupação é porque serviços como a pesquisa do Google aceitam a promoção de material usado por radicais. Essa liberdade vem desagradando instituições como o próprio governo britânico, que cortou os investimentos em propaganda que fazia na plataforma.

Além disso, Amber Rudd vai participar de outra reunião com outros chefes de estado europeus para discutir questões de cibersegurança. O encontro acontece nesta segunda-feira em Bruxelas, na Bélgica. Porém, é sabido que nem todos os governos apoiam essa visão mais intrusiva do Estado nas conversas de seus cidadãos.

Carmelo Abela, representante do governo de Malta, já declarou que não apoia uma quebra da criptografia de serviços como o WhatsApp por considerar a privacidade tão importante quanto a segurança das pessoas.

A polêmica sobre a proteção das conversas é algo que vai além dos países europeus e até já teve várias implicações no Brasil. No ano passado, o WhatsApp foi bloqueado várias vezes no país após a Justiça determinar que o serviço quebrasse a criptografia de um determinado bate-papo.

No caso, a empresa afirmou que isso não era possível porque nem mesmo ela era capaz de burlar a segurança que ela mesma criou.

Curiosamente, também em 2016, o então ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, prendeu 10 pessoas suspeitas de ligação com o Estado Islâmico que pretendiam cometer um atentado durante as Olimpíadas. Na época, Moraes disse que conseguiu interceptar conversas no WhatsApp dos acusados, embora não tenha explicado como isso foi feito.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Com 14 prêmios no Oscar do turismo, Portugal tenta se reinventar na pandemia de COVID-19

Portugal conquistou 14 prêmios no World Travel Awards 2020, considerado o Oscar do turismo mundial, na noite de sexta-feira (27). Lisboa, Madeira e Algarve foram os destaques como melhores destinos do mundo na premiação, feita …

Um traumatizado veterano SEAL da Marinha dos EUA disse que uma viagem "mágica" de cogumelo pôs fim à sua depressão

Antes de sua primeira viagem guiada de cogumelos “mágicos”, Chad Kuske era prisioneiro de sua própria raiva no trânsito. Se um carro parasse na frente dele, ele ficava consumido pela raiva, ultrapassando todos os veículos em …

Esta espécie rara de uva é maior que um ovo de galinha

Não, as fotos de uvas gigantes (do tamanho de ovos de galinha) não são falsas. Se você passa um tempo considerável na internet, deve ter visto imagens dessas frutas atípicas por aqui. Para a surpresa …

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …

Cientistas explicam por que não se consegue parar a pandemia

Cientistas turcos descobriram que a quantidade de vírus SARS-CoV-2 no organismo de pacientes assintomáticos é mais alta do que nos que apresentam sintomas, o que diferencia radicalmente o novo coronavírus de outros patógenos e explica …