Governo italiano à beira do colapso

radioalfa / Flickr

Matteo Salvini

Votação sobre projeto ferroviário expôs crise entre partidos governistas. Vice-premiê italiano, Matteo Salvini, anuncia racha na coalizão e pede novas eleições. Processo, porém, depende do aval do presidente.

O vice-primeiro-ministro e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, afirmou nesta quinta-feira que a coalizão governista, formada pelo partido Liga, de extrema direita, e o populista Movimento Cinco Estrelas (M5S), rachou e que o único caminho para solucionar o impasse seria realizar novas eleições.

A tensão no governo veio à tona depois de o Senado derrotar na quarta-feira uma moção apresentada pelo M5S que visa acabar com um projeto de trem alta velocidade, financiado pela União Europeia (UE), que ligaria Turim à França. O projeto foi apoiado, porém, pela Liga, de Salvini.

A votação no Senado expôs o conflito entre as legendas, que há meses têm tido uma série de atritos. Segundo a imprensa italiana, antes do embate parlamentar, Salvini já havia imposto várias condições para a Liga permanecer no governo, incluindo a renúncias dos ministros do Transporte, Defesa e Economia.

O anúncio do rompimento veio após uma reunião entre Salvini e o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte. O extremista de direita disse que a votação deixou claro o colapso da coalizão. “Devemos agir rapidamente e devolver a escolha para os eleitores”, acrescentou o ministro.

O rompimento lança a terceira economia da zona do Euro num futuro político incerto. Para convocar novas eleições, o presidente italiano, Sergio Mattarella, deve primeiro verificar se o governo realmente perdeu apoio no Parlamento. Ainda não se sabe quando isso ocorrerá, pois o Legislativo está em recesso das férias de verão.

Segundo Salvini, o Parlamento poderia se reunir já na próxima semana para votar uma moção de desconfiança no governo e pedir a renúncia do atual premiê.

O Movimento Cinco Estrelas tem mais assentos no Parlamento do que a Liga. Desde a última eleição em março do ano passado, o partido de Salvini, porém, conseguiu dobrar o número de eleitores, de acordo com recentes pesquisas de opinião.

Em comunicado, o líder do M5S e ministro do Desenvolvimento Econômico, Luigi Di Maio, afirmou que seu partido não teme novas eleições. Ele disse que o pleito, no entanto, não deve acontecer antes de o Parlamento dar a aprovação final para uma reforma que reduz o número de legisladores, cuja votação está marcada para setembro.

Mattarella é o único que pode dissolver o Parlamento e convocar novas eleições. A proposta orçamentária para 2020 pode ser um impasse neste processo. O governo tem até outubro para apresentar o orçamento do país aos legisladores. Desde o pós-guerra, a Itália não realiza eleições no outono.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência

Em um artigo publicado na terça-feira (15) na revista Scientific American, Gilbert Levin, um ex-engenheiro da NASA que trabalhou nas missões Viking, faz uma afirmação polêmica: a de que, desde a década de 1970, a …

Brexit: União Europeia e Reino Unido anunciam um acordo em Bruxelas

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou na manhã desta quinta-feira (17) que encontrou um "excelente novo acordo" para o Brexit com a União Europeia, a poucas horas da cúpula da UE para selar a saída …

Câmara dos EUA condena retirada militar do norte da Síria

Por 354 votos a 60, deputados rejeitaram decisão de Trump de abandonar forças curdas que lutavam ao lado dos EUA. Resolução contou com apoio de mais da metade da bancada republicana. A Câmara de Representantes dos …

Vacina contra o câncer de mama pode estar disponível em 8 anos, diz a Clínica Mayo

Pesquisadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o câncer ovário e de mama que poderia estar disponível dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes a …

Líder de Hong Kong abandona discurso no Parlamento após protestos

Parlamentares pró-democracia forçam Carrie Lam a interromper pronunciamento anual. Sem conseguir completar fala, chefe do Executivo faz discurso sobre futuro político da região administrativa especial da China em vídeo. A chefe do Executivo de Hong Kong, …

Barcelona se prepara para novos protestos, depois de noite tensa em aeroporto

A Catalunha se prepara para um novo dia de indignação, depois que milhares de ativistas pela independência cercaram o aeroporto de Barcelona, na segunda e terça-feira, para denunciar a condenação de seus líderes a sentenças …

Erdogan acusa militares sírios de bombardear posições turcas

Dois soldados turcos foram mortos na área de Manbij pelo Exército do governo sírio, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan. No dia anterior foi noticiada a morte de mais dois soldados turcos durante um ataque …

Operação da PF amplia briga interna no PSL

A disputa pública pelo comando do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (15/10) quando agentes da Polícia Federal (PF) realizaram uma operação de busca e apreensão na casa …

Cidade na Itália proíbe Google Maps porque pessoas 'se perdem' o tempo todo

Serviços de emergência de Baunei já tiveram que resgatar 144 perdidos em dois anos devido ao Google Maps. O prefeito da cidade italiana de Baunei, Salvatore Corrias, proibiu o uso do aplicativo de localização geográfica Google …

Emma Watson lança consultoria jurídica gratuita para mulheres assediadas no local de trabalho

A atriz Emma Watson acaba de lançar uma consultoria jurídica gratuita para mulheres que sofreram assédio no local de trabalho. O serviço está disponível na Inglaterra e no País de Gales. De acordo com o texto …