Humanos chegaram à América do Norte 115 mil anos antes do que se pensava

Os primeiros seres humanos podem ter chegado à América do Norte há 130 mil anos, quando sempre se pensou que tinham aparecido há 15 mil, indica um estudo do Museu de História Natural de San Diego, nos EUA.

A nova informação é baseada na descoberta, em um reservatório em San Diego, no estado norte-americano da Califórnia, de restos de mastodonte – um mamífero parecido com o elefante, mas com tamanho superior – com cerca de 130 mil anos, cujos ossos e dentes foram cortados com ferramentas manuseadas por humanos, como martelos e bigornas.

Uma equipe de pesquisadores liderada por Thomas Deméré chegou a essa conclusão depois de examinar os restos fósseis de um mastodonte e ferramentas de pedra encontradas em 1992 perto de San Diego. A análise determinou que uma espécie não identificada de hominídeos habitava a região nessa época.

O estudo divulgado esta quarta-feira propõe que poderiam tratar-se de populações de “Homo erectus”, de neandertais ou hominídeos de Denisova, originários da Sibéria.

Steven Holen, autor principal do estudo e diretor do Centro para a Pesquisa do Paleolítico Americano, em Hot Springs, referiu que os hominídeos, de que não foram encontradas ossadas, poderiam ter vindo da Ásia através da ligação terrestre que ligava a Sibéria ao Alasca, onde hoje existe o estreito de Bering, ou terem chegado por via marítima ao longo da costa.

Até agora, os especialistas estimavam que os primeiros seres humanos tinham chegado à América do norte há 15 mil anos. No entanto, os avanços tecnológicos têm permitido constatar que os ossos do mastodonte têm cerca de 130 mil anos.

“Os indícios encontrados no local indicam que algumas espécies de hominídeos viviam na América do Norte 115 mil anos antes do que se pensava”, disse a presidente e diretora executiva do museu, Judy Gradwohl.

A falta de colágeno nos ossos impediu a datação dos restos fósseis por radiocarbono, mas novas técnicas de urânio-tório permitiu estabelecer a sua antiguidade em cerca de 130 mil anos, com um erro de aproximadamente 9.400 anos.

Os especialistas concluíram que neste período havia humanos na América do Norte com destreza manual e conhecimento experimental para usar ferramentas grandes e extrair a medula óssea dos ossos de animais de grande porte.

// ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Enquanto na América do Sul, quando chegaram os portugueses, apenas algumas centenas de anos atrás, os tupis nem sequer a roda haviam descoberto.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

COVID-19 deve ter pico no Brasil em abril e maio, dizem Mandetta e especialistas

A previsão de disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no país não é nada animadora para os próximos meses. Isso porque ainda estamos em uma fase intermediária da infecção, que deve ter seus momentos de pico em …

Esse novo tratamento alivia a depressão em 90% dos pacientes

De acordo com uma nova pesquisa americana, um tratamento com estimulação magnética transcraniana pode ser muito eficaz para pessoas com depressão severa: em um experimento, foi capaz de aliviar os sintomas em 90% dos pacientes. Normalmente, …

Israel: ministro que definiu Covid-19 como ‘castigo divino a gays’ está com coronavírus

Aos 71 anos, Yaakov Litzman, ministro da Saúde de Israel e também líder do partido ultra-ortodoxo “Judaísmo Unido da Torá”, testou positivo para Covid-19. O diagnóstico foi divulgado nesta terça-feira (7) pela imprensa local e chamou …

Saúde de Boris Johnson preocupa britânicos, mas governo garante que premiê passa bem

O Reino Unido acompanha com preocupação a degradação do estado de saúde do primeiro-ministro Boris Johnson, que anunciou publicamente ter sido contaminado pelo novo coronavírus há dez dias. Depois de ser hospitalizado no domingo (5), …

Cortes na ciência comprometem resposta à covid-19 no Brasil

A fila de 16 mil testes para covid-19 no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, expõe a vulnerabilidade de um país que escolheu não investir em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos últimos anos. A …

Organismo marinho de 47 metros de comprimento descoberto na Austrália

Pesquisadores conseguiram captar imagens de vídeo fascinantes de um organismo "de outro mundo" nas águas ao largo da costa ocidental da Austrália. Segundo comunica a Newsweek, uma equipe a bordo do RV Falkor, o principal navio …

Detectadas pela 1º vez estrelas binárias capazes de produzir ondas gravitacionais

Astrônomos do Centro de Astrofísica de Harvard & Smithsonian detectaram pela primeira vez anãs brancas compostas por duas estrelas binárias. As anãs brancas compostas por duas estrelas binárias possuem um núcleo orbital capaz de gerar uma …

Epidemia do coronavírus ainda não chegou ao pico e se agrava na França, diz ministro

O pico da epidemia do novo coronavírus ainda não foi atingido na França, disse nesta terça-feira (7) o ministro da Saúde, Olivier Véran. Devido ao número significativo de pacientes que ainda são hospitalizados diariamente …

Superlua Rosa: satélite atinge proximidade máxima com a Terra

Na próxima terça-feira (7), os entusiastas da astronomia vão poder testemunhar um conhecido e belo fenômeno dos céus que acontece anualmente. A Superlua Rosa é o momento em que o satélite atinge proximidade máxima com a …

Empresas brasileiras lançam manifesto contra demissões

Dezenas de empresas assinam texto pedindo que companhias se comprometam a não demitir nos próximos dois meses, mesmo diante dos impactos econômicos provocados pelas medidas de isolamento para conter o coronavírus. Um grupo de 41 empresas …