Ser legal no trabalho não compensa (sobretudo para as mulheres)

alanclarkdesign / Flickr

-

Quanto mais legal uma mulher for em seu local de trabalho, menos ganha. A conclusão é de uma pesquisa científica que apurou que ter uma atitude profissional dominante compensa mais do que simpatia.

A pesquisa, feita em parceria pelas universidades israelitas de Tel Aviv e de Haifa e pela Universidade de Tilburg, da Holanda, se debruçou sobre as diferenças de status entre homens e mulheres, com base nas características que são tipicamente atribuídas a uns e a outras.

A conclusão é que as “mulheres dominantes e assertivas, que expressam claramente suas expectativas e não recuam em suas exigências”, isto é, que têm comportamentos considerados típicos dos homens, são “compensadas” com melhores salários do que as mulheres que se revelam mais acomodadas e mais simpáticas.

“Quanto mais dominante a mulher no trabalho, menos provável é que seja prejudicada no seu status”, afiança Renee de Reuver, pesquisadora do Departamento de Estudos em Recursos Humanos da Universidade de Tilburg, numa nota de imprensa.

O estudo se baseia em inquéritos realizados a 375 homens e mulheres de uma empresa de eletrônica holandesa com 1.390 funcionários.

Os pesquisadores analisaram os respectivos cargos, formação acadêmica e dados de produtividade, em comparação com seus salários e as estatísticas de promoção, e também tiveram em conta como é que cada indivíduo percepcionava sua educação, experiência e performance em relação a seu salário e cargo.

“Os homens que expressaram traços não congruentes com o gênero, como condescendência, experimentaram um efeito de retrocesso objetivo em comparação com homens dominantes, enquanto mulheres que expressaram traços não congruentes com o gênero, nomeadamente domínio, não experimentaram um efeito de retrocesso em comparação com mulheres agradáveis”, conclui o estudo publicado no European Journal of Work and Organizational Psychology.

Mulheres dominantes ainda ganham menos do que eles

“As mulheres dominantes não foram punidas por refletirem traços femininos incongruentes como a extroversão e a assertividade“, reafirma De Reuver, realçando que foi detectado um padrão semelhante nos homens mais dominantes.

“No entanto, alarmantemente, as mulheres dominantes ainda ganhavam menos do que os mais agradáveis homens que não são promovidos”, revela a pesquisadora.

“As mulheres foram consistentemente e objetivamente prejudicadas em seu status, o que significa que investem mais delas em seus empregos do que recebem e são menos compensadas do que seus colegas masculinos”, constata por sua vez Michal Biron, outro pesquisador envolvido no estudo que pertence ao Departamento de Administração de Negócios da Universidade de Haifa.

Michal Biron acrescenta que algumas das mulheres que foram questionadas na pesquisa “até acreditavam que estavam ganhamdo mais do que mereciam“.

“Os dados mostram que elas ganham o mínimo – muito menos do que merecem. E racionalizam a situação, fazendo com que seja menos provável que façam as exigências adequadas por um pagamento igualitário”, constata Sharon Toker, da Escola de Gestão de Negócios da Universidade de Tel Aviv.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Aquecimento global afetará saúde das novas gerações, diz relatório

Um relatório publicado nesta quinta-feira na revista científica The Lancet, a poucas semanas da conferência internacional para o clima (COP25), alerta para os riscos sanitários relacionados ao aquecimento global e às emissões de gás carbônico. O …

Estudante abre fogo em escola na Califórnia

Ao menos duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas depois que um aluno abriu fogo nesta quinta-feira (14/11) numa escola secundária no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, causando pânico entre estudantes e funcionários. …

Governo italiano deve decretar estado de catástrofe natural em Veneza

Metade da cidade está debaixo d’água, atingida pela pior cheia em 53 anos. O nível subiu 187 cm na terça-feira (12), o segundo mais alto desde 1966. A situação levou o governo a decidir decretar …

Oxigênio descoberto em Marte intriga cientistas da NASA

Padrão de comportamento do oxigênio recém-descoberto pelo rover Curiosity, da NASA, é tão diferente que os cientistas não conseguem desvendá-lo através dos processos químicos conhecidos pela ciência. A agência espacial norte-americana divulgou os resultados da análise …

O misterioso "Monstro Tully" acaba de ficar ainda mais esquisito

Um fóssil de 300 mil anos descoberto na década de 1950 no estado de Illinois (EUA) tem gerado muitas discussões entre cientistas. Batizado de Tullimonstrum, ou Monstro Tully, ele se parece com uma lesma. Mas …

Com asilo a Evo Morales, diplomacia mexicana dá passo à esquerda

México assume liderança esquerdista na América Latina ao receber o ex-presidente boliviano. Para analistas, medida desvia atenção de problemas internos, mas é jogo perigoso diante da dependência econômica dos EUA. A viagem de Evo Morales ao …

Incêndios florestais matam quatro pessoas e centenas de cangurus na Austrália

O número de vítimas pelos incêndios no leste da Austrália, onde 140 focos ainda continuam ativos, subiu para quatro nesta quinta-feira (14), com a descoberta de um cadáver perto da cidade de Kempsey, em Nova …

Holanda reduzirá limite de velocidade para combater poluição

O governo da Holanda reduzirá o limite máximo de velocidade nas rodovias do país como parte de uma série de medidas para combater as emissões de óxido de nitrogênio, geradas em grande parte por veículos …

A polêmica sobre campos de extermínio nazistas que opôs a Polônia ao Netflix

O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, enviou uma carta ao Netflix insistindo em mudanças no documentário The Devil Next Door (o diabo ao lado), sobre campos de extermínio nazistas. Na carta enviada no domingo, 10, e …

O único problema de ser filho único é o estigma

Filhos únicos possuem uma péssima reputação. Quantas vezes você não observou algum pai ser criticado por escolher ter apenas um pimpolho? “Ele vai ficar mimado, muito sozinho, egoísta, etc. etc. etc”. É um senso comum. Parece, …