Nova missão da NASA: Humanos vivendo nas nuvens de Vênus

Don P. Mitchell, Paolo C. Fienga / Lunar Explorer Italia / IPF / Soviet Space Agency

Aspecto da superfície e do céu de Vênus, captado pela sonda Venera 13

Apesar de ser um planeta de temperaturas infernais, de atmosfera tóxica e pressões esmagadoras na superfície, a NASA trabalha em uma missão tripulada para Vênus – a High Altitude Venus Operational Concept (HAVOC).

A NASA pretende levar o homem a Vênus, porém, há uma série de obstáculos que precisam ser ultrapassados para que a missão HAVOC seja bem sucedida.

As temperaturas em Vênus chegam a atingir os 460ºC, sendo mais quente que Mercúrio, mesmo estando Mercúrio mais perto do Sol – a temperatura de um planeta não depende só da proximidade do Sol, mas também da superfície e da atmosfera.

As temperaturas registradas em Vênus chegam a ser mais altas que o ponto de fusão de alguns metais, incluindo o bismuto e o chumbo, que chegam a cair como neve em alguns pontos do planeta.

A atmosfera de Vênus é composta por 97% de dióxido de carbono, 3% de nitrogênio e ainda conta com alguns vestígios de outros gases.

Quanto à superfície, Vênus não passa de uma paisagem rochosa estéril composto por vastas planícies de rocha basáltica de características vulcânicas.

O planeta, geologicamente jovem, também passou por recentes eventos catastróficos causados pela acumulação de calor por debaixo da superfície, que leva a que derreta, libere calor e volte a solidificar.

Feita a descrição desse curioso planeta que ainda surpreende astrônomos, a questão é saber como a NASA pretende conduzir uma missão tripulada ao planeta infernal.

A missão

Como a superfície de Vênus é caótica, a ideia da NASA não inclui qualquer pouso na superfície e utilizará a atmosfera densa como base para a exploração: o plano é utilizar aeronaves que possam permanecer suspensas na atmosfera superior por longos períodos de tempo.

Surpreendentemente, a atmosfera superior de Vênus é o local mais semelhante à Terra no Sistema Solar – entre 50 km e 60 km de altura, a pressão e a temperatura de Vênus podem ser comparadas a regiões da baixa atmosfera da Terra.

A pressão atmosférica de Vênus a 55 quilômetros de altura é cerca de metade da pressão ao nível do mar na Terra.

Essa pressão, sentida nessa altura, não obriga os seres humanos a utilizar qualquer equipamento de pressurização, pois é aproximadamente equivalente à pressão sentida no topo do Monte Kilimanjaro.

Quanto à temperatura, os astrônomos afirmam que se situa entre 20ºC e 30ºC, um valor muito aceitável para os seres humanos.

Curiosamente, a atmosfera acima dessas altitudes (50km-60km), é densa o suficiente para proteger qualquer astronauta da radiação ionizante do espaço.

A proximidade do planeta ao Sol fornece ainda uma maior taxa de radiação solar do que na Terra (cerca de 1,4 vezes superior) o que poderia ser utilizado para produzir energia.

A aeronave

Segundo o conceito da NASA, o dirigível flutuaria em volta do planeta, soprado pelo vento, e poderia ser enchido com uma mistura de gás respirável, como oxigênio e nitrogênio, que proporcionaria a flutuabilidade necessária – o ar respirável é menos denso que a atmosfera de Vênus e, como resultado, o dirigível conseguiria flutuar.

Essa ideia da NASA também leva em conta o material do dirigível, que necessita ser resistente ao efeito corrosivo do ácido existente na atmosfera.

A atmosfera de Vênus é conhecida por conter ácido sulfúrico que cria nuvens densas, que são um dos principais contribuintes para o brilho visível do planeta quando visto da Terra. Atualmente, já existem no mercado vários materiais comerciais com uma alta resistência à acidez, como é o caso do teflon.

Contudo, a missão é ainda um plano de longo prazo e a NASA ainda não anunciou publicamente qualquer data para o HAVOC, que contará, primeiro, com pequenas missões de testes. Apesar de ser nosso vizinho planetário mais próximo, pouco se sabe sobre esse planeta inóspito.

A missão pode revelar mais dados sobre o planeta e ajudar ainda a entender a evolução do Sistema Solar, e talvez até mesmo de outros sistemas.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

MDZhB: a misteriosa rádio soviética que segue emitindo sinais e ruídos há quase 50 anos

Uma misteriosa estação de rádio segue ininterruptamente transmitindo somente ruídos estáticos interrompidos por sons robóticos há mais de quatro décadas. Conhecida como UVB-76 ou MDZhB, os sinais da rádio são transmitidos de dois diferentes pontos da …

Atmosfera da Terra primitiva pode ter sido tão tóxica quanto a de Vênus hoje

Pesquisadores tentaram reproduzir o equilíbrio delicado entre os gases que evaporaram do oceano de magma e a atmosfera que eles podem ter criado, e descobriram que esta seria fina e composta por dióxido de carbono …

Enorme monolito misterioso descoberto no deserto de Utah

Uma ocorrência totalmente comum. Você está em um helicóptero sobrevoando uma região remota do sul de Utah contanto cabras e bodes selvagens, quando de repente avista um monolito inexplicável saindo do solo. A KSL TV, relatou …

Funcionário de funerária é demitido após tirar selfie com corpo de Maradona

Foi demitido o funcionário da funerária responsável pelo velório do ex-jogador Diego Armando Maradona que tirou uma foto ao lado do caixão com o corpo do astro, enterrado nesta quinta-feira, dia 26, na Grande Buenos …

Museu de Londres reunirá relatos de sonhos de britânicos na pandemia

Projeto visa documentar mudanças no sono causadas pelo confinamento e pela crise gerada com a covid-19, além de coletar narrativas sobre o período para gerações futuras. Mudanças no sono aparentemente têm sido comuns durante a pandemia …

'O Gambito da Rainha': série da Netflix ignora sexismo no xadrez, diz ex-campeã

Existem várias cenas comoventes em O Gambito da Rainha, a série da Netflix que conta a história fictícia de Beth Harman, uma jovem prodígio do xadrez da década de 1960. Em uma delas, um jogador experiente …

Detectada "partícula fantasma" no Sol que confirma teoria da década de 1930

Uma equipe internacional de cientistas conseguiu, pela primeira vez, detectar diretamente a presença do ciclo carbono-nitrogênio-oxigênio (CNO) na fusão nuclear do Sol. Este ciclo representa uma das reações de fusão pelas quais as estrelas convertem hidrogênio …

Musk acertou? Tesla se aproxima dos US$ 500 bilhões de valor de mercado

Nesta segunda-feira (23), a Tesla atingiu o valor de mercado de US$ 498 bilhões. E isso em um momento em que não se sabe se a empresa vai conseguir atingir a sua meta de entregar …

Papai Noel é considerado 'trabalhador essencial' na Irlanda

Na mesma semana em que novas restrições de viagem foram colocadas em prática no Reino Unido e na Irlanda diante dos estragos causados pela segunda onda da pandemia de covid-19 na Europa, a Irlanda fez …

Especialistas da ONU advertem sobre viés racista em algoritmos

Os países devem fazer mais para combater o racismo, principalmente nos algoritmos de inteligência artificial utilizados para reconhecimento facial e controles policiais. Essas ferramentas podem reforçar discriminações, alertam especialistas da ONU. Segundo a especialista jamaicana …