“Morto” falha pela segunda vez candidatura à Presidência da Índia

Rajat Gupta / EPA

Santosh Murat Singh

Santosh Murat Singh

Um jovem indiano, declarado morto em 2003 e que mantém um protesto permanente em Nova Délhi para que o Estado reconheça legalmente que está vivo, fracassou nesta quarta-feira em sua segunda tentativa a se candidatar para a Presidência do país para chamar atenção sobre seu caso.

Munido com um cartaz que estampa a frase “Estou vivo” em inglês e hindi, e vestido com uma fantasia de caveira, Santosh Murat Singh disse à Agência Efe que tentou de tudo para que as autoridades reparem o erro que já dura mais de uma década e que hoje voltaram a rejeitar sua candidatura por não ter apresentado “uma cópia do certificado de identidade”.

“Aconteceu o mesmo nas eleições de 2012: como vou apresentar um documento de identidade se me negam porque dizem que eu estou morto?”, lamentou Murat Singh em Jantar Mantar, conhecido como o “manifestódromo” de Nova Délhi, com o formulário de inscrição rejeitado.

De acordo com seu relato, a odisseia começou quando deixou sua aldeia no nortista estado de Uttar Pradesh para fazer fortuna em Bombaim, no oeste, trabalhando como cozinheiro de um ator de Bollywood.

Ali se apaixonou e se casou com uma “intocável”, o elo mais baixo do sistema de castas hindu, o que foi considerado uma afronta por seus familiares, que decidiram se vingar e tramaram uma vingança digna de filme: “reportaram que tinha desaparecido em um atentado com bomba em Bombaim, em 2003, e acabaram me dando por morto”.

Segundo conta Murat Singh, seus primos conseguiram roubar algumas terras que tinha herdado de seu pai e que “estavam avaliadas em milhões de rupias”.

A primeira reação foi ir à polícia para denunciar o caso, mas, segundo disse, os agentes lhe responderam que, se não ficasse em silêncio, “acabaria morto, e não só nos papéis”. Murat Singh afirma que chegou a falar com o primeiro-ministro de Uttar Pradesh, mas este “não fez nada” para arrumar seu caso.

Segundo o frustrado candidato, só nesse estado há outras 50 mil pessoas vivas declaradas mortas por culpa da má conduta da polícia, e isso é precisamente o que tenta resolver ao apresentar sua simbólica candidatura.

“Não pretendo recuperar as minhas terras e nem conseguir compensação, luto por uma causa que afeta muito mais gente”, explicou Kumar, que declara ter perdido tudo por perseguir seu sonho e acabou vivendo na rua e pedindo para sobreviver.

“Estou há quase cinco anos protestando em Jantar Mantar”, conta Murat Singh, “estou aqui todos os dias, desde que a minha mulher foi embora, porque não conseguiu viver sob a pressão de ser casada com um homem morto“.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Famosa na internet, a falecida gata Lil Bub terá suas cinzas enviadas ao espaço

Visitar pessoalmente o espaço sideral é uma oportunidade que pouquíssimas pessoas têm em vida, mas enviar suas cinzas ao espaço pode se tornar uma nova forma de passar a eternidade entre as estrelas. E, assim …

Câmara dos EUA formaliza acusações contra Trump

Democratas dizem ter provas suficientes para acusar o presidente americano de abuso de poder e obstrução do Congresso. Votação sobre o impeachment no plenário da Câmara deve ocorrer na próxima semana. Congressistas democratas na Câmara dos …

Cientistas criam pele artificial que é flexível se cura como a de verdade

Cientistas da Universidade Nacional da Austrália criaram um hidrogel que funciona como a pele de verdade, com a mesma força e durabilidade. “Com a química especial que desenvolvemos no hidrogel, ele pode se reparar após ser …

Putin e Zelenski anunciam cessar-fogo na Ucrânia

Em cúpula em Paris, presidentes concordam em retomar processo de paz e prometem troca de todos os prisioneiros até o fim deste ano. Apesar de avanços, divergências sobre eleições em regiões separatistas permanecem. Os presidentes ucraniano, …

Aung San Suu Kyi vai defender Mianmar na ONU de acusações de genocídio

A prêmio Nobel da Paz defenderá seu país das acusações de genocídio da minoria muçulmana rohingya no tribunal internacional da ONU, em Haia. A Corte Penal Internacional (CPI) autorizou em novembro que Mianmar, antiga Birmânia, seja …

Em meio a "emergência climática", UE aposta em Acordo Verde

Com a UE prestes a fracassar em suas metas de redução de CO2 até 2030, todos os olhos se voltam para os planos de longo prazo da Comissão Europeia para combater a mudança climática. A nova …

Kim Jong-un "tem tudo a perder" se agir de maneira hostil, diz Trump

O presidente americano Donald Trump também disse neste domingo (8) que a Coreia do Norte tem potencial econômico, mas deve manter "boas relações" com os Estados Unidos. A mensagem de Trump foi publicada no Twitter …

Governo argentino é alvo de roubo de 10 anos de arquivos administrativos

O governo da Argentina foi alvo de um ataque por meio de um ransonware e está com cerca de 10 anos de dados públicos sequestrados desde do dia 25 de novembro. Em entrevista, a ministra da …

Lausanne, na Suíça, é a melhor cidade pequena do mundo

A cidade de Lausanne, na Suíça, foi considerada a melhor cidade pequena do mundo pela influente revista britânica “Monocle”. A publicação fez uma lista com as 25 melhores cidades pequenas do mundo, com população …

Esse organismo unicelular toma "decisões" complexas mesmo sem um cérebro

Um organismo unicelular de água fresca chamado Stentor roeseli demonstra comportamento inteligente. Ele foi descoberto em 1906, e quando estimulado no microscópio, essa criatura com formato de trompete conseguiu tomar decisões consideradas complexas para um …