Formada dentro da Terra: cientistas têm nova (e maluca) teoria sobre a origem da Lua

Andrew Smith / Flickr

Apesar de todas as certezas que a ciência nos dá, os cientistas ainda não conseguiram descobrir com certeza a forma como a Lua se formou. Várias teorias foram apresentadas ao longo dos anos, mas permanecem algumas pontas soltas.

Uma nova teoria apresentada por cientistas – e publicada na quarta-feira (28) no Journal of Geophysical Research – parece amarrar todas as pontas soltas em volta da formação lunar.

De acordo com o novo estudo, a Lua se formou dentro da Terra, quando o nosso planeta ainda não tinha se formado completamente e não passava de uma nuvem fervente e giratória de rocha vaporizada, chamada sinestia.

O novo modelo, liderado por cientistas da Universidade da Califórnia e da Universidade de Harvard, resolve vários problemas das teorias atuais sobre a formação lunar.

“O novo trabalho explica os recursos da Lua que são difíceis de resolver com as ideias atuais”, explica Sarah Stewart, professora de Ciências Planetárias e Terra da Universidade da Califórnia. “A Lua é quimicamente quase a mesma coisa que a Terra, mas com algumas diferenças. Esse é o primeiro modelo que pode combinar o padrão da composição da Lua”.

Os modelos atuais de formação lunar sugerem que a Lua se formou como resultado de uma colisão entre a Terra primitiva e um corpo celeste do tamanho de Marte, comumente chamado de Theia. De acordo com estes modelos, a colisão entre a Terra e Theia atirou para a órbita rocha fundida e metal, que acabaram se juntando e formando a Lua.

A nova teoria depende, em vez disso, de um novo tipo de objeto planetário proposto por Stewart e Simon Lock, estudante de pós-graduação em Harvard, chamado sinestia. Uma sinestia se forma quando uma colisão entre objetos de tamanho planetário resulta em uma massa giratória rápida de rocha fundida e vaporizada com parte do corpo em órbita em torno de si.

Os cientistas teorizam que as sinestias provavelmente não duram muito tempo – talvez apenas centenas de anos. Elas encolheriam rapidamente enquanto irradiam calor, fazendo com que o vapor de rocha se condensasse em líquido, finalmente entrando em colapso e formando por fim um planeta.

“O nosso modelo começa com uma colisão que forma uma sinestia. A Lua se forma então dentro da Terra vaporizada a temperaturas de 4 a 6 mil graus Fahrenheit e pressões de dezenas de atmosferas”, explica Lock.

Segundo os dois pesquisadores, uma vantagem do novo modelo é que existem múltiplas maneiras de uma sinestia adequada se formar – não seria preciso confiar em uma colisão com o objeto de tamanho certo que estivesse exatamente da maneira correta.

Uma vez formada a sinestia da Terra, os pedaços de rocha fundida colocados em órbita durante o impacto teriam formado a semente para o nosso satélite. Então, rocha de silicato vaporizado teria se condensado na superfície da sinestia e depois caído sobre a proto-Lua, enquanto a própria sinestia da Terra diminuía gradualmente.

Eventualmente, a Lua surgiu das nuvens da sinestia que arrastava a própria atmosfera de vapor de rocha.

A nova teoria explica tanto as semelhanças como as diferenças entre a Lua e a Terra: a Lua herdou a composição da Terra ao se formar dentro dela, mas, devido à formação a altas temperaturas, teria perdido os elementos que seriam facilmente vaporizados, o que explica sua composição distinta.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …