Formada dentro da Terra: cientistas têm nova (e maluca) teoria sobre a origem da Lua

Andrew Smith / Flickr

Apesar de todas as certezas que a ciência nos dá, os cientistas ainda não conseguiram descobrir com certeza a forma como a Lua se formou. Várias teorias foram apresentadas ao longo dos anos, mas permanecem algumas pontas soltas.

Uma nova teoria apresentada por cientistas – e publicada na quarta-feira (28) no Journal of Geophysical Research – parece amarrar todas as pontas soltas em volta da formação lunar.

De acordo com o novo estudo, a Lua se formou dentro da Terra, quando o nosso planeta ainda não tinha se formado completamente e não passava de uma nuvem fervente e giratória de rocha vaporizada, chamada sinestia.

O novo modelo, liderado por cientistas da Universidade da Califórnia e da Universidade de Harvard, resolve vários problemas das teorias atuais sobre a formação lunar.

“O novo trabalho explica os recursos da Lua que são difíceis de resolver com as ideias atuais”, explica Sarah Stewart, professora de Ciências Planetárias e Terra da Universidade da Califórnia. “A Lua é quimicamente quase a mesma coisa que a Terra, mas com algumas diferenças. Esse é o primeiro modelo que pode combinar o padrão da composição da Lua”.

Os modelos atuais de formação lunar sugerem que a Lua se formou como resultado de uma colisão entre a Terra primitiva e um corpo celeste do tamanho de Marte, comumente chamado de Theia. De acordo com estes modelos, a colisão entre a Terra e Theia atirou para a órbita rocha fundida e metal, que acabaram se juntando e formando a Lua.

A nova teoria depende, em vez disso, de um novo tipo de objeto planetário proposto por Stewart e Simon Lock, estudante de pós-graduação em Harvard, chamado sinestia. Uma sinestia se forma quando uma colisão entre objetos de tamanho planetário resulta em uma massa giratória rápida de rocha fundida e vaporizada com parte do corpo em órbita em torno de si.

Os cientistas teorizam que as sinestias provavelmente não duram muito tempo – talvez apenas centenas de anos. Elas encolheriam rapidamente enquanto irradiam calor, fazendo com que o vapor de rocha se condensasse em líquido, finalmente entrando em colapso e formando por fim um planeta.

“O nosso modelo começa com uma colisão que forma uma sinestia. A Lua se forma então dentro da Terra vaporizada a temperaturas de 4 a 6 mil graus Fahrenheit e pressões de dezenas de atmosferas”, explica Lock.

Segundo os dois pesquisadores, uma vantagem do novo modelo é que existem múltiplas maneiras de uma sinestia adequada se formar – não seria preciso confiar em uma colisão com o objeto de tamanho certo que estivesse exatamente da maneira correta.

Uma vez formada a sinestia da Terra, os pedaços de rocha fundida colocados em órbita durante o impacto teriam formado a semente para o nosso satélite. Então, rocha de silicato vaporizado teria se condensado na superfície da sinestia e depois caído sobre a proto-Lua, enquanto a própria sinestia da Terra diminuía gradualmente.

Eventualmente, a Lua surgiu das nuvens da sinestia que arrastava a própria atmosfera de vapor de rocha.

A nova teoria explica tanto as semelhanças como as diferenças entre a Lua e a Terra: a Lua herdou a composição da Terra ao se formar dentro dela, mas, devido à formação a altas temperaturas, teria perdido os elementos que seriam facilmente vaporizados, o que explica sua composição distinta.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

Nova descoberta pode nos ajudar a colonizar Marte (e a encontrar extraterrestres)

Cientistas conseguiram descobrir uma bactéria que seria capaz de sobreviver em Marte, e potencialmente também em outros planetas. A descoberta abre a porta à colonização de Marte e até pode facilitar a busca por sinais …

Há uma estranha relação entre o racismo e a negação das mudanças climáticas

Os motivos que estão por trás da negação das mudanças climáticas parecem ser ainda mais complexos do que pensávamos. Um estudo concluiu que há uma ligação entre atitudes racistas e o ceticismo no que toca …

Fóssil com 500 milhões de anos intriga os cientistas

Foi descoberto na China um fóssil de uma estranha criatura marinha com 500 milhões de anos, e os cientistas não sabem onde encaixá-la na “árvore da vida”. Uma equipe de cientistas descobriu um fóssil de uma …

Inteligência Artificial do Google já consegue prever quando os pacientes vão morrer

O Google tem expandido seus serviços médicos e treinado algoritmos para prever quanto tempo de vida resta a um paciente, informação que pode ajudar a salvar vidas. A rede neural do Google pode ser considerada única …

Desempenho positivo na Copa do Mundo diminui polarização política e até violência

Basta acompanhar uma Copa do Mundo para rapidamente perceber que a coisa vai muito além de uma simples competição de futebol: para além das tramoias e das negociatas que infelizmente contaminam esse evento, trata-se de …

Maduro anuncia aumento de 103% no salário mínimo da Venezuela, que agora chega R$ 250

Nicolás Maduro vai aumentar o salário mínimo em 103,7% na Venezuela, naquele que é o quarto aumento salarial este ano. No entanto, os preços dos produtos aumentam diariamente cerca de 2,4%. O presidente da Venezuela, Nicolás …

Trump impede (temporariamente) a separação de famílias imigrantes

O presidente dos EUA assinou, nesta quarta-feira (20), uma Ordem Executiva que permite resolver temporariamente o problema das famílias imigrantes no país, que foram separadas dos filhos na fronteira com o México. No entanto, ressalvou …

Portaria determina emissão de carteira de trabalho para imigrantes no Brasil

Em meio à crise migratória que atinge diversos países e a crescente entrada de venezuelanos no Brasil com o estado de Roraima, o Ministério do Trabalho publicou portaria que trata dos procedimentos para a emissão …

Temer vai cortar R$ 1 bilhão do Fies para financiar segurança pública

O governo do presidente Michel Temer deve passar parte do investimento em educação à manutenção do Fundo Nacional da Segurança Pública (FNSP). A medida provisória que destina recursos das loterias federais para o fundo representa …

49 crianças brasileiras foram separadas dos pais e enviadas a abrigos nos EUA

Quarenta e nove crianças brasileiras estão em abrigos e foram separadas dos pais ao ingressarem ilegalmente nos Estados Unidos. A informação é do cônsul-geral adjunto do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, que concedeu entrevista à …