Ataques a mesquitas na Nova Zelândia: premiê diz que lei sobre armas será endurecida

POOL

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, defendeu o endurecimento das leis sobre a venda de armas do país após ataques em duas mesquitas em Christchurch – terceira maior cidade neozelandesa – provocarem 49 mortes na última sexta-feira.

“Nossas leis de armas vão mudar (…). A hora é esta”, disse a primeira-ministra em uma coletiva de imprensa neste sábado, destacando que o principal suspeito pelo ataque – o autraliano Brenton Tarrant, 28 anos – possuía cinco armas compradas legalmente por meio de uma licença, obtida em novembro de 2017

Ela classificou o massacre como “um ato de terror“. “O simples fato de que esse indivíduo obteve uma licença para armas e adquiriu armamentos desse tipo (me faz) achar que as pessoas vão buscar mudanças, e eu estou comprometida com isso”, afirmou Ardern.

Segundo ela, as armas usadas no ataque foram aparentemente alteradas. A primeira-ministra diz que o carro usado pelo suspeito estava cheio de armamentos, o que indicaria “sua intenção de continuar com seu ataque”.

Leis de armas na Nova Zelândia

Em 2016, a polícia da Nova Zelândia estimou que 1,2 milhão de armas legais estavam em posse de civis – o equivalente a uma arma para cada quatro pessoas no país.

A idade mínima para possuir uma arma legalmente na Nova Zelândia é 16 anos – ou 18, no caso de armas semiautomáticas de estilo militar. Qualquer um acima dessas idades e que seja considerado capaz pela polícia pode possuir uma arma de fogo. Fatores como saúde mental, vícios e violência doméstica são considerados na avaliação.

Uma vez que a licença é concedida, após a checagem de antecedentes criminais e do histórico de saúde do cidadão, pode-se comprar um número ilimitado de armas. Todos os donos de armas precisam de uma licença, mas a maioria das armas individuais não necessita de registro. A Nova Zelândia é um dos poucos países a seguir essas regras.

O procurador-geral da Nova Zelândia, David Parker, disse que o governo poderá banir a venda de armas semiautomáticas, mas que a decisão ainda não foi tomada. Tentativas anteriores de endurecer as leis sobre armas falharam na Nova Zelândia, onde há uma forte cultura de caça e um atuante lobby pró-armamentos.

Suspeitos pelo ataque

O principal suspeito pelos ataques – o autraliano Brenton Tarrant – compareceu neste sábado a um tribunal, onde foi acusado de homicídio. Novas denúncias devem ser apresentadas contra ele. Ele ficou em silêncio durante a audiência. Ele estava algemado e vestia roupas brancas de prisioneiro. Uma nova audiência está marcada para 5 de abril.

Antes do atentado, contas nas redes sociais no nome de Tarrant foram usadas para postar um texto longo e racista no qual o autor citava as mesquitas que seriam depois atacadas.

O texto era intitulado A Grande Substituição, uma expressão cunhada na França e que se tornou um mote entre extremistas anti-imigração na Europa. O suspeito diz que começou a planejar o ataque após visitar a Europa em 2017 e ficar alarmado com a situação no continente.

Ele enviou o texto a 70 pessoas dez minutos antes do ataque, segundo o jornal New Zealand Herald. Outros dois suspeitos estão detidos. As vítimas do ataque ainda estão sendo identificadas.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …