A origem do Homem na África acaba de ser reescrita (de novo)

Javier Trueba / Madrid Scientific Films

Os humanos atuais são resultado de grupos distintos, que viveram em várias regiões da África e em habitats variados, desde florestas a desertos, uma diversidade que resultou nas atuais características da espécie Homo sapiens.

O trabalho, liderado por Eleanor Scerri, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e que teve a colaboração do pesquisador do Instituto Gulbenkian de Ciência em Portugal Lounes Chikhi, defende, ao contrário das teses prevalecentes, que “milênios de separação deram origem a uma desconcertante diversidade de formas, uma mistura” de antepassados que acabou por moldar a espécie humana.

“A evolução das populações humanas na África foi multirregional. Nossos antepassados foram multiétnicos. E a evolução do nosso material cultural foi multicultural”, afirma Eleanor Scerri no estudo.

Os antropólogos salientam que os humanos atuais não derivam de uma única população de antepassados, com origem em uma só região da África, como é aceito e referido com frequência em várias áreas do conhecimento.

O trabalho, publicado esta semana nos Trends in Ecology and Evolution, vem desafiar a visão estabelecida com base no estudo de ossos, artefatos de pedra e análises genéticas, a que se juntaram reconstituições mais detalhadas do clima e habitats da África, nos últimos 300 mil anos.

Os cientistas defendem que é necessário “olhar para todas as regiões da África para compreender a evolução humana”, e resumem suas conclusões em uma expressão: “uma espécie, várias origens”.

Scerri aponta que utensílios de pedra e outros artefatos encontrados em vários locais são de diferentes períodos. “Há uma tendência continental para uma cultura material mais sofisticada, mas essa ‘modernização’ claramente não tem origem em uma região ou não ocorre em um único período de tempo”, afirma.

Eleanor Scerri / Francesco d’Errico / Christopher Henshilwood

Artefatos culturais encontrados em várias regiões da África

Quanto aos fósseis humanos, “quando olhamos para a morfologia dos ossos humanos nos últimos 300 mil anos, vemos uma complexa mistura de características arcaicas e modernas em diferentes locais e em diferentes períodos de tempo”, explica Chris Stringer, pesquisador no London Natural History Museum, que também participou do estudo.

Na análise genética, “é difícil conciliar os padrões que vemos nos africanos vivos e o DNA extraído dos ossos dos africanos que viveram nos últimos 10 mil anos com a existência de uma população humana ancestral”, explica ainda Mark Thomas, especialista nessa área e cientista na Universidade College London.

O estudo agora divulgado não põe em questão a teoria geralmente aceita de que após surgir como espécie distinta, o Homo sapiens coexistiu durante bastante tempo com outras espécies de humanos, como o Homo floresiensis, o Homo neanderthalensis ou o Homo naledi, que foram desaparecendo face à expansão da espécie humana atual.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Novo implante controla fome e pode substituir cirurgia bariátrica

Um implante simples de um dispositivo sem fio, que controla o apetite, pode substituir a cirurgia bariátrica. Ele foi criado por médicos e pesquisadores da Universidade A&M do Texas, EUA e pode ajudar na perda de …

Amazon abre tecnologia da Alexa para montadoras de carros e outras empresas

A Amazon anunciou nesta sexta-feira (15) que dará a empresas terceiras a possibilidade de acessar a inteligência artificial central que sustenta a Alexa, a assistente de voz da marca. E as montadoras de automóveis serão as …

Com abstenção recorde de 51,5%, ministro da Educação considera Enem um 'sucesso'

A abstenção no primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, realizado neste domingo (17), foi recorde e atingiu 51,5%. O nível de abstenção supera o pior índice registrado até agora, em 2009, quando …

Álcool danifica o cérebro na adolescência

Se nós confiarmos apenas nas propagandas parece que o álcool de uma cerveja, uma taça de vinho ou de algum destilado serve apenas para unir as pessoas e deixá-las alegres. Mas o álcool pode ter …

Joe Biden reverterá políticas trumpistas logo após posse

Já nas primeiras horas após assumir, novo chefe de Estado americano assinará uma série de decretos presidenciais abordando pandemia, dificuldades da economia nacional, injustiça racial e mudança climática. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, …

Rússia prende opositor Alexei Navalny no desembarque em Moscou

O Serviço Prisional Russo (FSIN) confirmou ter prendido o opositor Alexei Navalny neste domingo, na chegada dele a Moscou. O Kremlim o acusa de ter violado as condições de uma pena de prisão suspensa …

Ikea agora vende mini casas móveis para quem quer uma vida simples, livre e sustentável

Quem sonha com uma vida mais nômade, livre de amarras e principalmente ecologicamente correta poderá encontrar na IKEA uma parceira capaz de tornar tal sonho em realidade: em uma casa móvel, sustentável, bonita e praticamente …

O zumbido de fundo do universo pode ter sido ouvido pela primeira vez

Baseado no que sabemos sobre ondas gravitacionais, o Universo deve estar cheio delas. Cada par de buracos negros ou estrelas de nêutrons e colisão, cada supernova com núcleo em colapso — até mesmo o próprio …

"Não comemorei ou me orgulhei de ter banido Trump do Twitter", diz Jack Dorsey

Em uma série de tuítes, Jack Dorsey, cofundador e CEO do Twitter, defendeu o banimento de Donald Trump da rede social na última sexta-feira (8). Segundo o executivo, essa foi a medida certa para a …

EUA adicionam Xiaomi e mais 8 empresas chinesas à lista de companhias ligadas a militares

Departamento de Defesa dos EUA lista Xiaomi e mais oito empresas por ligações com militares chineses. Para analistas, a listagem é um "frenesi final" do governo Trump em sua campanha anti-China. Na quinta-feira (14), o Departamento …