Cientistas descobrem hominídeo que compartilhou a África com os primeiros humanos

Cientistas sul-africanos descobriram que um hominídeo descoberto em 2013 viveu ao mesmo tempo que os primeiros humanos há centenas de milhares de anos. Esta é a primeira descoberta do gênero.

Os pesquisadores Paul Dirks e Eric Roberts, da Universidade James Cook dataram o homo naledi no período entre 236 mil e 335 mil anos atrás, usando fósseis encontrados em sistema de cavernas.

“Quando identificamos os fósseis pela primeira vez, a maioria dos paleoantropólogos na investigação ficou convencida de que teriam um ou dois milhões de anos, mas são muito mais recentes. Isso quer dizer que um hominídeo primitivo persistiu na África por um período de tempo muito longo, muito além do que se julgava possível”, afirmou Dirks.

É a primeira vez que um membro afastado da árvore evolutiva humana é identificado em um período em que os primeiros homo sapiens cruzavam o continente africano.

Paul Dirks considerou que a estrutura das mãos do homo naledi pode indicar que fabricava ferramentas, uma vez que no período em que viveu já existiam ferramentas na África.

Eric Roberts apontou a dificuldade de explorar as cavernas em que os fósseis foram encontrados, situadas no chamado Berço da Humanidade, um local perto da cidade de Magaliesburg, no nordeste do país.

Com passagens apertadas, a caverna é composta por duas câmaras. Ainda não se sabe, por enquanto, a razão de os homo naledi terem parado ali.

“Há um grande debate sobre se é um local funerário ou se ficaram presos ali. Podem ter sido perseguidos por leões ou até por outros humanos, podem não ter conseguido sair. Esta é uma região de grandes tempestades e há vestígios de impactos de meteoritos naquela altura. Pode especular-se o que se quiser, mas por agora subsiste a hipótese original de terem sido postos ali de propósito”, afirmou John Hawks, da Universidade de Wisconsin.

A ideia de o homo naledi colocar os mortos em câmaras subterrâneas de difícil acesso é comum em relação aos neanderthais, dos quais há prova de rituais funerários em uma caverna profunda na Espanha, conhecida como Sima de los Huesos.

“A parte mais excitante do homo naledi é que se tratava de criaturas com cérebros três vezes mais pequenos que os nossos”, afirma Hawks, acrescentando que “não estamos falando de um humano”.

No entanto, parece compartilhar um comportamento que reconhecemos, um cuidado pelos outros que continua após morrerem, salienta. “Fico deslumbrado ao pensar que podemos estar testemunhando as raízes mais profundas das práticas culturais humanas”, concluiu.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Carro voador da NASA levanta voo pela primeira vez; veja como foi

A NASA anunciou que os testes com o eVTOL (veículo elétrico voador com decolagem vertical) mais promissor do mercado foram bem-sucedidos. Desenvolvido pela Joby Aviation, o carro voador experimental realizou uma série de procedimentos para coleta …

Mudanças climáticas: cientistas treinam vacas para usar banheiro contra aquecimento global

Vacas podem ser treinadas para usar um banheiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, segundo uma experiência realizada na Alemanha por pesquisadores alemães e da Nova Zelândia. No estudo, os cientistas treinaram os …

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …