Planetas habitáveis podem existir em torno de pulsares

Amanda Smith, Universidade de Cambridge

Impressão artística de um planeta habitável em torno de um pulsar (direita)

Teoricamente, a existência de planetas habitáveis em torno de pulsares – estrelas de nêutrons giratórias que emitem pulsos de radiação curtos e rápidos – é possível.

De acordo com uma nova pesquisa, tais planetas devem ter uma atmosfera enorme que converte os mortíferos raios-X e partículas altamente energéticas do pulsar em calor. Os resultados, por astrônomos da Universidade de Cambridge e da Universidade de Leiden, foram publicados na revista Astronomy & Astrophysics.

Os pulsares são conhecidos pelas suas condições extremas. São estrelas de nêutrons de rápida rotação – o núcleo colapsado de uma estrela massiva que se tornou supernova no final da vida. Com apenas 10 a 30 quilômetros de diâmetro, os pulsares possuem enormes campos magnéticos, acumulam matéria e produzem regularmente grandes rajadas de raios-X e partículas altamente energéticas.

Surpreendentemente, apesar deste ambiente hostil, sabemos que as estrelas de nêutrons hospedam planetas à sua volta.

Os primeiros exoplanetas que os astrônomos descobriram orbitam o pulsar PSR B1257+12 – mas se estes planetas estavam originalmente em órbita da massiva estrela percursora e sobreviveram à explosão de supernova, ou se se formaram mais tarde, permanece uma questão em aberto. Tais planetas recebem pouca luz visível, mas são continuamente “atacados” por radiação energética e ventos estelares. Mas… podem esses planetas abrigar vida?

Pela primeira vez, os astrônomos tentaram calcular as zonas “habitáveis” perto das estrelas de nêutrons – a gama de órbitas em torno de uma estrela onde uma superfície planetária poderia, possivelmente, suportar água na forma líquida.

Os cálculos mostram que a zona habitável em torno de uma estrela de nêutrons pode ser tão grande quanto a distância da Terra ao Sol. Uma premissa importante é que o planeta tem que ser uma super-Terra, com 1 a 10 vezes a massa do nosso planeta.

Um planeta menor perderia sua atmosfera em apenas alguns milhares de anos devido ao ataque constante dos ventos do pulsar. Para sobreviver a este bombardeio, a atmosfera do planeta tem que ser 1 milhão de vezes mais espessa do que a do nosso planeta – as condições na superfície de um planeta que orbita um pulsar se parecem com as condições do fundo do oceano da Terra.

Os astrônomos examinaram o pulsar PSR B1257+12 a cerca de 2.300 anos-luz de distância como estudo de caso, usando o telescópio espacial de raios-X Chandra.

Dos três planetas em órbita do pulsar, dois são super-Terras com uma massa de quatro a cinco vezes a massa da Terra e orbitam suficientemente perto do pulsar para se aquecerem.

De acordo com o coautor Alessandro Patruno da Universidade de Leiden: “a temperatura dos planetas pode ser adequada à presença de água líquida na superfície. No entanto, ainda não sabemos se as duas super-Terras têm uma atmosfera ideal extremamente densa”.

No futuro, Patruno e seu coautor Mihkel Kama, do Instituto de Astronomia de Cambridge, gostariam de observar o pulsar em mais detalhe e compará-lo a outros pulsares.

O Telescópio ALMA do ESO seria capaz de mostrar discos de poeira em torno de estrelas de nêutrons, bons indícios de planetas. A Via Láctea contém cerca de 1 bilhão de estrelas de nêutrons, das quais aproximadamente 200 mil são pulsares. Até agora, já foram estudados 3 mil pulsares e só se encontraram planetas em cinco.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …