Presidente catalão desilude aliados; e Espanha quer clareza na declaração de independência

Generalitat de Catalunya / Wikimedia

Carles Puigdemont, presidente do governo regional da Catalunha

Nesta terça-feira (10), a Espanha parou para ouvir Carles Puigdemont. O presidente do Governo catalão proclamou a independência da Catalunha, mas, logo de seguida, propôs suspender seus efeitos para dialogar com Madrid.

Depois um longo discurso de quase uma hora, Carles Puigdemont acabou fazendo um apelo à sensatez, no sentido de responsabilidade e pacificação, e propôs a suspensão dos efeitos do referendo “para procurar o diálogo com Madrid”.

Uma decisão que não caiu bem aos aliados, vista pela Candidatura de Unidade Popular (CUP) como uma “oportunidade perdida” e anunciando que dá um mês de prazo para que o presidente do Governo catalão avance com a independência.

“A confiança no governo foi afetada e queremos que se estabeleça uma data limite para dar suporte legal à declaração de independência. Para que tenha validade jurídica, deve ser confirmada em sede parlamentar”, disse o partido, citado pelo jornal português Público.

“Uma hora antes do início da sessão parlamentar trocaram todo o roteiro. Nós não subscrevemos a suspensão da declaração de independência”, acrescentou Quim Arrufat, dirigente da CUP.

Nas redes sociais, a juventude da CUP (Arran) foi ainda mais longe. “Devíamos ter proclamado a independência. O mandato popular de 1º de outubro era claro e continua a ser. (…) Estamos testemunhando uma traição inadmissível“, escreveu no Twitter.

Rajoy pede clarificação da declaração de independência

Na manhã desta quarta-feira (11), o Governo espanhol realizou uma reunião extraordinária para analisar o anúncio de Puigdemont e para decidir “os próximos passos” a serem tomados.

“O Conselho de Ministros concordou pedir formalmente à Generalitat [governo catalão] para clarificar se declarou a independência da Catalunha”, afirmou Mariano Rajoy em resposta ao que o presidente do governo catalão proclamou, citado pelo Público.

“A resposta do presidente da Generalitat irá definir as decisões que o Governo adotará nos próximos dias”, acrescentou o chefe do Governo espanhol. No entanto, Rajoy assumiu que poderá acionar o artigo 155 da Constituição espanhola se Puigdemont assumir que proclamou unilateralmente a independência.

Este artigo, considerado uma autêntica “bomba atômica”, nunca usado desde que foi escrito e aprovado em 1978, permite a suspensão de uma autonomia e dá ao governo central poderes para adotar “as medidas necessárias” para repor a legalidade.

Mas Rajoy espera que isso não aconteça. “Se Puigdemont respeitar a legalidade isso poria fim a um período de ilegitimidade e incerteza. É o que esperamos todos para pôr fim à situação que a Catalunha vive”, acrescentou.

Desde a noite do referendo de 1º de outubro, o presidente regional da Catalunha tem insistido em uma mediação internacional entre o governo regional e o governo central. Para já, a Suíça foi o único país a se oferecer para ajudar nesse processo.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sem capacidade para reciclar, Malásia devolve lixo para países desenvolvidos

A Malásia devolveu 150 contêineres de lixo ilegal para seus países de origem. Entre eles estão os Estados Unidos, a França, o Reino Unido e o Canadá, anunciaram as autoridades nesta segunda-feira (20). Segundo …

Defesa de Trump diz que processo de impeachment é ilegal

Em primeira manifestação formal desde o início do julgamento do presidente, defesa acusa oposição democrata de tentar interferir nas eleições de 2020. Os advogados do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disseram neste sábado que o …

Cidade de interior de SP inicia tarifa zero no transporte público

Enquanto diversas capitais ao redor do país aumentam o valor das passagens no transporte público, algumas outras cidades pensam diferente. Se o transporte coletivo gratuito parece um sonho inalcançável e utópico, algumas administrações públicas buscam maneiras …

Quantos anos de vida saudável os ricos ganham em relação aos pobres?

Um novo estudo europeu e americano descobriu que os ricos possuem cerca de nove anos de vida saudável a mais do que os pobres. A pesquisa foi bastante abrangente – os cientistas analisaram dados de mais …

O país sul-americano que deve crescer 14 vezes mais que a China neste ano

A Guiana ganhou na loteria e está prestes a resgatar o prêmio. Seus vizinhos, especialmente a Venezuela, aguardam intrigados para saber em que ela vai gastar. De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia …

Portugal supera marca histórica de 500 mil imigrantes residindo no país; brasileiros são a maioria

Portugal atingiu um número recorde de imigrantes vivendo no país. O anúncio foi feito pelo governo nesta quarta-feira (15), durante debate no Parlamento sobre o Orçamento de Estado para 2020. "Os dados preliminares levam a dizer …

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano

Pela primeira vez, uma mulher ocupará um cargo de alto nível no Vaticano. O Papa Francisco nomeou Francesca Di Giovanni para a função de vice-ministra da Secretaria de Estado da Santa Sé, órgão equivalente ao …

Khamenei chama Trump de "palhaço" e exalta ataque a bases dos EUA

Em primeiro sermão desde 2012, líder supremo do Irã afirma que Trump finge apoio ao povo iraniano e pede união após dizer que queda de avião foi "acidente trágico". EUA admitem que militares ficaram feridos. O …

Uma desconhecida explosão de ondas gravitacionais foi detectada na Terra

Os detectores de ondas gravitacionais da Terra, os observatórios LIGO e Virgo, identificaram uma misteriosa “explosão” de ondas gravitacionais não prevista na última terça-feira, 14 de janeiro. As ondas gravitacionais detectadas até hoje foram resultado de …

Twitter pede desculpas por permitir anúncios direcionados a neonazistas

O Twitter emitiu hoje (16), um pedido de desculpas público, logo após a BBC fazer uma denúncia de que a plataforma de anúncios da empresa estava permitindo o direcionamento de conteúdo para neonazistas e outros …