Presidente catalão desilude aliados; e Espanha quer clareza na declaração de independência

Generalitat de Catalunya / Wikimedia

Carles Puigdemont, presidente do governo regional da Catalunha

Nesta terça-feira (10), a Espanha parou para ouvir Carles Puigdemont. O presidente do Governo catalão proclamou a independência da Catalunha, mas, logo de seguida, propôs suspender seus efeitos para dialogar com Madrid.

Depois um longo discurso de quase uma hora, Carles Puigdemont acabou fazendo um apelo à sensatez, no sentido de responsabilidade e pacificação, e propôs a suspensão dos efeitos do referendo “para procurar o diálogo com Madrid”.

Uma decisão que não caiu bem aos aliados, vista pela Candidatura de Unidade Popular (CUP) como uma “oportunidade perdida” e anunciando que dá um mês de prazo para que o presidente do Governo catalão avance com a independência.

“A confiança no governo foi afetada e queremos que se estabeleça uma data limite para dar suporte legal à declaração de independência. Para que tenha validade jurídica, deve ser confirmada em sede parlamentar”, disse o partido, citado pelo jornal português Público.

“Uma hora antes do início da sessão parlamentar trocaram todo o roteiro. Nós não subscrevemos a suspensão da declaração de independência”, acrescentou Quim Arrufat, dirigente da CUP.

Nas redes sociais, a juventude da CUP (Arran) foi ainda mais longe. “Devíamos ter proclamado a independência. O mandato popular de 1º de outubro era claro e continua a ser. (…) Estamos testemunhando uma traição inadmissível“, escreveu no Twitter.

Rajoy pede clarificação da declaração de independência

Na manhã desta quarta-feira (11), o Governo espanhol realizou uma reunião extraordinária para analisar o anúncio de Puigdemont e para decidir “os próximos passos” a serem tomados.

“O Conselho de Ministros concordou pedir formalmente à Generalitat [governo catalão] para clarificar se declarou a independência da Catalunha”, afirmou Mariano Rajoy em resposta ao que o presidente do governo catalão proclamou, citado pelo Público.

“A resposta do presidente da Generalitat irá definir as decisões que o Governo adotará nos próximos dias”, acrescentou o chefe do Governo espanhol. No entanto, Rajoy assumiu que poderá acionar o artigo 155 da Constituição espanhola se Puigdemont assumir que proclamou unilateralmente a independência.

Este artigo, considerado uma autêntica “bomba atômica”, nunca usado desde que foi escrito e aprovado em 1978, permite a suspensão de uma autonomia e dá ao governo central poderes para adotar “as medidas necessárias” para repor a legalidade.

Mas Rajoy espera que isso não aconteça. “Se Puigdemont respeitar a legalidade isso poria fim a um período de ilegitimidade e incerteza. É o que esperamos todos para pôr fim à situação que a Catalunha vive”, acrescentou.

Desde a noite do referendo de 1º de outubro, o presidente regional da Catalunha tem insistido em uma mediação internacional entre o governo regional e o governo central. Para já, a Suíça foi o único país a se oferecer para ajudar nesse processo.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Descoberta galáxia raríssima em forma de "anel de fogo" a 10 bilhões de anos-luz

Astrônomos capturaram uma imagem de uma galáxia localizada a cerca de 10,8 bilhões de anos-luz de distância. Mas o que realmente impressionou os pesquisadores é que se trata de um tipo muito raro: uma galáxia …

Médicos da linha de frente contra coronavírus ganham casamento surpresa em hospital

O coronavírus bagunçou a vida de todo mundo, imagine só a rotina dos profissionais da área de saúde? Pois…o jornal O Globo contou a bela história de amor de uma cerimônia de casamento surpresa dentro …

Restos de naufrágio de mais de 200 anos são encontrados no México

Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia (INAH) do México localizaram vestígios de um naufrágio de mais de 200 anos nas águas do estado mexicano de Quintana Roo. Uma equipe do instituto considerou que os restos correspondem …

Parlamento da China aprova lei que pode significar fim da autonomia de Hong Kong

O Parlamento chinês adotou nesta quinta-feira, praticamente por unanimidade, a polêmica lei sobre segurança nacional em Hong Kong. Segundo críticos, a medida acabará com a autonomia da ex-colônia britânica, cenário de grandes manifestações pró-democracia …

França proíbe uso de hidroxicloroquina para tratar covid-19

Decisão foi tomada após parecer desfavorável do Conselho Superior de Saúde Pública. País é o primeiro a adotar proibição desde que OMS suspendeu testes com o medicamento no tratamento de pacientes com o novo coronavírus. A …

Netflix vai permitir reprodução de filmes e séries parcialmente baixados

Já faz um bom tempo que a Netflix liberou a função de baixar filmes e séries para ver offline e, agora, parece que a empresa trabalha em uma maneira de liberar a reprodução antes mesmo …

China revela 1ª apresentadora virtual desenvolvida por inteligência artificial e tecnologia 3D

Apresentada recentemente pela agência estatal chinesa Xinhua, a primeira apresentadora digital, feita com tecnologia 3D e inteligência artificial do mundo já está trabalhando. Batizada de Xin Xiaowei, a âncora humanoide replica à perfeição a aparência, feições, …

Esta massiva galáxia antiga não deveria existir, de acordo com astrônomos

Uma galáxia massiva similar à Via Láctea desafia a compreensão da formação de galáxias por astrofísicos. Estudo publicado na Nature revela que o sistema surgiu 1,5 bilhões de anos após o Big Bang, sendo o …

Pela 1ª vez, Twitter alerta para fake news em posts de Trump

Rede social marcou dois tuítes do presidente americano com sugestão para que usuários chequem os fatos, apontando que alegações "não têm fundamento". Em reação, Trump acusou plataforma de interferir em eleições. A rede social Twitter colocou, …

Arqueólogos creem ter solucionado mistério de pinturas rupestres aborígenes

Equipe de arqueólogos australianos descobriu raros exemplares de arte rupestre detalhada e em pequena escala com recurso a estênceis, em um abrigo rochoso do povo aborígene Marra. O achado teve lugar em uma caverna que servia …