Produtos sem glúten têm mais gordura, açúcar e aditivos do que os convencionais

A revista francesa “60 Milhões de Consumidores“ lançou recentemente um alerta sobre os produtos que não contêm glúten e chamou a atenção dos franceses que adotaram uma alimentação sem essa proteína.

Ao contrário do que se imagina, boa parte dos alimentos industrializados sem glúten contém mais gordura, açúcar, sal, aditivos químicos e são mais calóricos do que os produtos convencionais.

A moda do “glúten free” conquistou os consumidores franceses há vários anos. Aconselhada a celíacos – indivíduos intolerantes à proteína encontrada no trigo, centeio, cevada e aveia -, ela passou a ser adotada também por pessoas que acreditam nas virtudes dietéticas de se alimentar sem glúten.

No total, segundo a revista francesa “60 Milhões de Consumidores”, 5 milhões de franceses deixaram de consumir glúten na França, embora apenas 1% da população seja celíaca.

Mas, devido à moda, muitos substituem ocasionalmente alguns produtos convencionais – como pães, bolos, biscoitos e massas – pelos “glúten free” – prática realizada por quase 34% dos consumidores da França.

O grande problema é que, na tentativa de se assemelhar aos produtos convencionais, boa parte dos industrializados “glúten free” são extremamente transformados.

“No lugar da farinha de trigo, os fabricantes utilizam frequentemente a farinha de arroz, associada à fécula e amidos. Mas, para substituir o glúten, que dá elasticidade à massa e textura aos produtos, eles incorporam aditivos para dar volume e macieza – os quais poderíamos evitar”, ressalta a revista.

A equipe da “60 Milhões de Consumidores” analisou a composição de vários produtos sem glúten na França, comparando-os às suas versões convencionais.

Um dos casos mais alarmantes é os dos biscoitos sem glúten da francesa Gerblé, que contêm oito aditivos químicos a mais que os cookies convencionais da mesma marca.

Já o pão sem glúten da Mon Fournil conta com três aditivos prejudiciais à saúde e se torna 40% mais calórico que o pão “normal”, devido à maior quantidade de açúcar e sal, utilizados para acentuar o gosto.

Dieta sem glúten não é aconselhada a todos

Em entrevista à RFI, a nutricionista Magda Santos lembra que tirar completamente ou parcialmente o glúten da alimentação não é uma boa ideia. Ela aconselha uma dieta sem essa proteína apenas em caso de doença celíaca ou a quem desenvolveu alergia ou sensibilidade ao glúten.

Apenas 1% das pessoas precisam realmente de uma dieta completamente sem glúten, que é difícil de ser cumprida e extremamente cara”, salienta.

Ela lembra que eliminar essa proteína da alimentação não é necessariamente prejudicial à saúde, mas foi uma ideia imposta pela indústria agro-alimentar, que encontrou um nicho de mercado importante ao começar a produzir industrializados sem glúten.

“O grande problema é que nos últimos anos, as empresas começaram a alterar a composição dos produtos para melhorá-los, já que o glúten dá textura e elasticidade aos alimentos”, avalia.

A nutricionista ressalta que no último congresso da Sociedade de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição Pediátrica, em Praga, no ano passado, foi apresentado um estudo importante sobre alimentos industrializados sem glúten.

A pesquisa comparou 1.300 produtos sem essa proteína e seus equivalentes convencionais. “A conclusão geral é que os produtos com glúten têm realmente mais gordura saturada, açúcar e baixo teor proteico”, diz.

Como evitar o glúten e o “glúten free”

Tanto para os celíacos quanto para aqueles que querem evitar ingerir essa substância e ter uma alimentação mais saudável, a dica da nutricionista é, primeiramente, ler os rótulos das mercadorias para saber o que se está consumindo.

Apesar de reconhecer que há alguns produtos glúten free que são de boa qualidade, Magda Santos aconselha a pessoas a evitarem esse tipo de alimento sempre que puderem.

A principal recomendação da nutricionista, no entanto, não é segredo para ninguém: preparar suas refeições utilizando ingredientes naturais. “Adaptar e equilibrar a alimentação é muito mais eficaz do que qualquer dieta da moda”, conclui.

Ciberia // RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Maioria das vacinas da Moderna será reservada no início para os Estados Unidos

A Moderna espera disponibilizar entre 100 e 125 milhões de doses de sua vacina contra a Covid-19 no primeiro trimestre de 2021. A empresa anunciou, nesta quinta-feira que, no início, entre 85 e 100 …

Amazonas é 3º estado com mais queimadas, emissões e desmatamento

Pela primeira vez, o Amazonas assume a terceira posição nos três principais rankings que indicam o avanço da degradação florestal na Amazônia brasileira, incluindo indicadores de queimadas, emissões de gases de efeito estufa e desmatamento …

Sudão bane casamento infantil e mutilação genital feminina, mas prática apresenta desafios

Depois de derrubar o ditador Omar al-Bashir no ano passado, o Sudão deu importante passo para reverter alguns dos tantos horrores cometidos contra a população feminina no país – e tornou ilegal tanto o casamento …

Namíbia elege deputado chamado Adolf Hitler

O nome de um recém-eleito político da Namíbia, vem chamando atenção na mídia nacionais e internacionais. "Adolf Hitler teve uma vitória esmagadora nas eleições regionais na Namíbia", relatou o portal de notícias alemão Spiegel Online nesta …

Astrônomos mapeiam 1 milhão de galáxias previamente desconhecidas

Cerca de um milhão de galáxias previamente desconhecidas para além da Via Láctea foram adicionadas a um mapa detalhado de seção de espaço. Pesquisas sobre o espaço normalmente demoram anos para serem completas, mas um novo …

Brasil recebe vacina de Oxford em janeiro, promete Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o primeiro lote das vacinas de Oxford chega ao Brasil em janeiro. Serão 15 milhões de doses entre janeiro e fevereiro, totalizando 260 milhões ao longo do …

Cingapura é primeiro país a aprovar venda de carne de laboratório

Empresa californiana obteve autorização da cidade-Estado para usar sua carne de frango produzida a partir de cultura celular em chicken nuggets e garante que preço será competitivo. Cingapura é o primeiro país do mundo a aprovar …

Relatório da ONU aponta que 2020 deve ser um dos 3 anos mais quentes já registrados

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) publicou um relatório que aponta que o ano de 2020 deve ser um dos três anos mais quentes desde o início dos registros de temperatura. O secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, …

Documentos oficiais mostram que a China escondeu informações sobre a Covid-19

Relatórios oficiais chineses teriam sido transmitidos à rede de TV americana CNN por meio de um informador anônimo. A investigação se chama “Wuhan files” e tem como foco o começo da pandemia de Covid-19, em …

Jovem que filmou morte de George Floyd por policiais brancos ganha prêmio por bravura

A mulher que filmou o assasinato de George Floyd pelo policial Derek Chauvin vai ser condecorada com um prêmio por sua coragem. Darnella Frazier, de 17 anos, fez o registro enquanto ia com o primo …