Segredo que alimenta o inferno explosivo de Yellowstone é desvendado

Jim Peaco, National Park Service / Wikimedia

A Grand Prismatic Spring, no Parque National de Yellowstone, EUA, é um dos locais do planeta onde apenas os extremófilos sobrevivem.

Simulações em supercomputadores ofereceram uma nova explicação para a geologia subjacente às atividades sísmicas recentes dos corpos de magma do Parque Yellowstone, nos Estados Unidos.

O supervulcão de Yellowstone é o mais bonito barril de pólvora do planeta, uma caldeira gigantesca tão grande que é observável a partir da órbita terrestre baixa.

Através de simulações de supercomputadores os cientistas analisaram o comportamento de duas câmaras de magma ocultas abaixo da superfície de Yellowstone e identificaram uma zona de transição onde os corpos de magma se encontram.

A zona de transição é o lugar onde as rochas frias e rígidas da crosta superior dão lugar a rochas quentes, frágeis e até parcialmente fundidas, de acordo com o estudo publicado nas Geophysical Research Letters.

É nessa zona que é criada uma laje de rocha solidificada que pode ser o que alimenta as explosões infernais do supervulcão. “Achamos que é essa estrutura que causa o vulcanismo de riolito-basalto em Yellowstone, incluindo as erupções supervulcânicas”, afirma o geólogo Ilya Bindeman, da Universidade de Oregon.

Essa zona de transição aprisiona o aumento dos magmas e faz com que se acumulem e se solidifiquem num grande corpo horizontal chamado de “peitoril médio-crustal”, que pode ter até 15 quilômetros de espessura, de acordo com os modelos computadorizados. “Esse é o berçário, um fósforo geológico e petrológico com produtos eruptivos”, descreve.

Para investigar como as duas câmaras de magma surgiram e tentar entender a relação de transferência de magma entre elas, Bindeman e sua equipe realizaram simulações de computador com o objetivo de traçar a evolução hipotética de Yellowstone ao longo de 7 milhões de anos.

De acordo com o estudo, o “peitoril médio-crustal” é composto por magma frio, fica entre os reservatórios mais quentes e mais viscosos – localizado a cerca de 10 quilômetros abaixo da superfície de Yellowstone – e tem entre 10 a 15 quilômetros de espessura.

O peitoril é composto por gabro solidificado, uma rocha formada a partir de magma resfriado. Os cientistas admitem a possibilidade de o fenômeno se formar em outros supervulcões.

Embora a pesquisa se baseie em simulações, os cientistas acreditam que as descobertas podem mesmo ser o primeiro vislumbre de como o magma se distribui dentro da cratera.

As conclusões do estudo não nos dizem como ou quando o supervulcão irá entrar em erupção, mas nos aproximam de uma maior e melhor compreensão de Yellowstone: e quando estamos falando de um evento que poderia tornar o planeta Terra um verdadeiro inverno vulcânico catastrófico, essa é uma informação muito importante.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Empresa japonesa testa nova molécula contra a Covid-19

O grupo japonês Fujifilm anunciou nesta quarta-feira (1) o início de testes clínicos de seu medicamento antigripal Avigan para avaliar sua eficácia contra o novo coronavírus. Até o final de junho, o produto vai ser …

Razão pela qual tubarões caçam em torno da Europa e EUA é revelada

Tubarões e grandes prestadores marinhos evitam caçar em águas quentes equatoriais e preferem viver mais ao norte e ao sul, em zonas que compreendem a Europa, os Estados Unidos e a África do Sul. Os tubarões …

Os distanciamentos do coronavírus mudaram a maneira como a Terra se move

As pessoas têm ficado em casa para diminuir a velocidade com a qual o novo coronavírus se espalha. Mas essa atitude pode significar que o planeta também está se movendo um pouco menos. Pesquisadores que estudam …

Facebook não quis investigar desinformação vinda de site norte-americano

“Facebook” e “transparência” são duas palavras que geralmente estão juntas em pautas mais espinhosas, e desta vez não é diferente: segundo uma reportagem veiculada pelo jornal norte-americano The New York Times, a rede social mais …

Maduro denuncia navio turístico 'pirata' português que afundou embarcação da Marinha venezuelana

O presidente venezuelano Nicolás Maduro denunciou o ataque e afundamento de um barco da Marinha da Venezuela por um navio turístico "pirata", a noroeste da ilha de La Tortuga. Na noite de segunda-feira (30), o navio …

Mundo do futebol tenta atenuar perdas financeiras com reduções de salários

O mundo do futebol, como qualquer actividade que gera dinheiro e emprega pessoas, começa a sentir os efeitos do confinamento visto que em quase todas as partes do mundo não se pratica futebol e os …

Políticos da oposição pedem renúncia de Bolsonaro em manifesto

Haddad, Ciro, Boulos e outras lideranças endossam documento crítico à atuação do presidente diante da pandemia de coronavírus. Texto diz que Bolsonaro é um líder irresponsável e agrava a crise com mentiras e crimes. Políticos da …

Economia alemã pode encolher até 5,4% em 2020

Conselho de Consultores Econômicos aponta que pandemia de coronavírus vai, inevitavelmente, levar a Alemanha a uma recessão ainda no primeiro semestre deste ano. A pandemia do novo coronavírus vai, inevitavelmente, levar a Alemanha a uma recessão …

Tênis da Apple nunca comercializado é vendido em leilão por R$ 50 mil

  Você já ouviu falar dos tênis da Apple? Se disse não, está entre a maioria, porque a grande parte das pessoas, mesmo os fãs mais ardorosos da companhia, talvez sequer saibam que esses calçados tenham …

Coronavírus: custo alto pode deixar países mais pobres sem acesso a vacina contra covid-19

A geneticista molecular Kate Broderick faz parte de uma equipe de cientistas por trás de um dos 44 projetos que tentam desenvolver uma vacina para a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, em todo …