Sete mil corpos estão enterrados na Universidade do Mississipi

Os corpos de sete mil pessoas que foram internadas em um centro de tratamento para doentes mentais estão enterrados debaixo da Universidade do Mississipi, nos EUA.

Os primeiros cadáveres foram descobertos em 2013, quando foram realizadas obras para construção de uma estrada, mas só agora é que foi possível perceber a quantidade de corpos depositados no local.

Segundo a BBC, o centro para onde eram enviadas pessoas com perturbações mentais, chamado Insane Asylum, funcionou entre 1855 a 1935 e os doentes eram mantidos enclausurados em jaulas.

De acordo com registros, em cada cinco doentes hospitalizados entre 1855 e 1877, mais do que um acabava morrendo.

Para exumar e voltar a enterrar todas as pessoas, os responsáveis estimam que sejam necessários até 21 milhões de dólares (cerca de R$ 66 milhões), mas o centro médico da universidade está à procura de uma alternativa mais barata.

Os professores da universidade querem criar um laboratório e um memorial para honrar os mortos e para que os alunos possam estudar os restos mortais dos pacientes.

Ralph Didlake, que supervisiona o Centro de Bioética e Humanidades Médicas, acredita que o laboratório será o primeiro do gênero nos EUA – dando a possibilidade de pesquisas sobre a vida no asilo entre 1800 e o início de 1900.

“Seria um recurso único e faria do Mississipi um centro nacional de registros históricos sobre a saúde no período pré-moderno”, afirmou a professora de antropologia Molly Zuckerman.

Em março, na Irlanda, investigadores da comissão Mother and Baby Homes registraram um acontecimento semelhante – restos mortais de bebês e crianças foram encontrados em um antigo orfanato católico.

A descoberta confirma suspeitas com décadas de que a maioria da crianças que morreram na instituição foram enterradas no local sem identificação, uma prática relativamente comum entre estes orfanatos em um período caracterizado por elevadas taxas de mortalidade.

O Governo irlandês lançou a investigação em 2014, no seguimento do trabalho de uma historiadora de Tuam, Catherine Corless, que descobriu as certidões de óbito de cerca de 800 crianças residentes na instituição, mas apenas o registro do enterro de uma criança.

Katherine Zappone, membro da comissão de investigação, considerou esta revelação  “triste e perturbadora”, fazendo votos de que as famílias das crianças enterradas no antigo orfanato possam proporcionar funerais adequados aos corpos que venham a ser exumados.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …