Monocultura da soja destruiu mais de 30% do cerrado brasileiro entre 2004 e 2017, alerta WWF

Jonas Oliveira / ANPr

Os 24 principais focos de desmatamento no mundo provocaram a perda de uma superfície equivalente ao tamanho do Paraguai em menos de uma década, aponta um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês). O documento, divulgado nesta quarta-feira, destaca que esses focos se concentram principalmente na América Latina.

As frentes concentram mais da metade do desmatamento tropical mundial (52%), com um total de 43 milhões de hectares perdidos entre 2004 e 2017, aponta o documento. A degradação se deve principalmente à expansão dos territórios destinados à agricultura e pecuária, mas também a outras causas, como a construção de estradas, a mineração e os incêndios florestais.

Nove dos 24 focos estão na América Latina, oito na África e sete na região Ásia-Oceania, segundo o WWF, que incluiu novas regiões em relação à lista de 2015, como a Amazônia da Venezuela e Guiana e a Floresta Maia do México e da Guatemala. As áreas mais afetadas pelo desmatamento estão na Amazônia e no cerrado brasileiros, na Amazônia boliviana, na Argentina, Paraguai, Madagascar e nas ilhas asiáticas de Sumatra e Bornéu.

O cerrado brasileiro, por exemplo, perdeu 3 milhões de hectares de florestas entre 2004 e 2017, o que significa mais de 30% desde o ano 2000, devido, principalmente, ao cultivo de soja destinado aos mercados nacional e internacional.

A região, que abriga 5% das espécies animais e vegetais do planeta, é especialmente vulnerável, uma vez que menos de 8% de sua superfície está protegida, contra 50% no caso da Amazônia, segundo o relatório.

O WWF indica, paralelamente, que a extração de ouro é uma das principais causas do desmatamento na região amazônica do Planalto das Guianas, entre o leste da Venezuela e o norte do Brasil, e que a “frente Venezuela-Guiana” sofreu uma perda de 200 mil hectares entre 2004 e 2017.

Um total de 45% das florestas ainda de pé sofreu fragmentação ou degradação, o que as torna mais vulneráveis a incêndios e choques climáticos e mais permeáveis à atividade humana, por terem um acesso mais fácil.

O WWF lembra, ainda, o efeito devastador dos incêndios de 2019, que se multiplicaram pela Amazônia brasileira e por Bolívia, Indonésia e Austrália.

As florestas tropicais são poços de carbono essenciais, uma vez que armazenam sete vezes mais do que o total emitido pela atividade humana anualmente. Por sua vez, abrigam grande parte da biodiversidade mundial, e sua degradação multiplica os contatos entre o homem e o mundo animal, favorecendo zoonoses, como a covid-19.

O Fundo aponta governos e empresas como responsáveis por esse flagelo, mas também se dirige aos cidadãos de todo o mundo, para pedir aos mesmos que limitem o consumo de proteína animal, a fim de reduzir a pressão sobre as florestas, e que exijam das autoridades medidas concretas.

O WWF pede que a Comissão Europeia aprove este ano uma legislação “ambiciosa”, que garanta um mercado europeu sem produtos ligados ao desmatamento, lembrando a consulta pública feita no mês passado, #Together4Forests, em que mais de 1 milhão de cidadãos se mostraram partidários dessa iniciativa.

Segundo dados da Comissão citados pelo Fundo, o consumo na União Europeia é responsável por mais de 10% do desmatamento mundial, devido à demanda de produtos como carne bovina, soja, café, cacau e óleo de palma.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Em pior momento da pandemia, Bolsonaro critica 'mimimi' e diz que brasileiro tem que enfrentar vírus

Um dia após o registro de novo recorde diário de mortes pela covid-19 no país, o presidente Jair Bolsonaro deu uma série de declarações dando a entender que o choro pelas vítimas é "frescura" e …

89% dos norte-americanos veem a China como inimiga ou concorrente

A maioria dos norte-americanos não vê a China como parceira e expressa preocupações crescentes sobre o histórico de direitos humanos e as práticas econômicas de Pequim, revelou uma nova pesquisa do Pew Research Center nesta …

Governadores pedem a Bolsonaro maior esforço por vacinas

Em meio ao pior momento da epidemia de covid-19 no Brasil, os governadores de 14 estados brasileiros enviaram nesta quinta-feira (04/03) uma carta ao presidente Jair Bolsonaro pedindo um maior esforço para a compra de …

Nova Zelândia lança alerta de tsunami e ordena retirada de habitantes da costa nordeste

Um alerta de tsunami foi emitido após um forte terremoto de magnitude 7,8 nas remotas ilhas Kermadec, na Nova Zelândia, no oceano Pacífico. As autoridades determinaram a retirada de todos os habitantes do litoral …

União Europeia começa exame contínuo da vacina russa Sputnik V

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) deu início ao exame contínuo do dossiê de registo da vacina Sputnik V para verificar sua conformidade com as normas europeias de eficácia, segurança e …

Afrouxar uso de máscaras é "pensamento neandertal", diz Biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou nesta quarta-feira (03/03) a decisão dos estados do Texas e do Mississippi de suspender a obrigatoriedade do uso máscaras para conter a propagação do coronavírus. O democrata …

Argentina só vai habilitar motoristas que fizerem curso sobre igualdade de gênero

A partir de março e 2021 quem quiser tirar carteira de habilitação na Argentina terá de estudar mais do que somente as leis de trânsito, o funcionamento do automóvel e a própria condução de um …

ONGs denunciam grupo Casino na Justiça francesa por desmatamento na Amazônia

Organizações de defesa do meio ambiente e dos povos indígenas denunciaram nessa quarta-feira (3) o grupo Casino na Justiça francesa. A empresa é acusada de responsabilidade no desmatamento da Amazônia através da venda de …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Um cientista criou um algoritmo de computador que pode levar a descobertas transformadoras em energia e cuja própria existência levanta a probabilidade de que nossa realidade possa realmente ser uma simulação. O algoritmo foi criado pelo …

The Crown "é baseada na verdade", diz Harry que dá ideia de convívio com família real

Principe Harry defendeu a série “The Crown” da Netflix, dizendo que – embora não fosse “estritamente preciso” – retratava as pressões da vida dentro da família real. Em uma entrevista com James Corden, do programa americano …