NASA se prepara para trazer solo marciano à Terra

gsfc / Flickr

Curiosity, veículo de exploração da NASA que foi a Marte em 2012

A agência espacial norte-americana (NASA) e a europeia (ESA) assinaram no dia 27 de abril uma declaração de intenção em explorar conceitos de missões para trazer amostras de solo marciano para a Terra.

As naves espaciais em órbita e os rovers na superfície de Marte fizeram muitas descobertas emocionantes, transformando a nossa compreensão do planeta e revelando pistas para a formação do Sistema Solar, bem como nos ajudam a compreender nosso planeta natal.

O próximo passo é trazer amostras para a Terra para análises detalhadas em laboratórios sofisticados, onde os resultados podem ser verificados de forma independente, e as amostras podem ser reanalisadas, à medida que as técnicas de laboratório continuam a melhorar.

Trazer Marte à Terra não é um empreendimento simples – seria necessário, pelo menos, três missões a partir da Terra e uma, nunca antes realizada, para o lançamento de um foguete a partir de Marte.

Uma primeira missão, a Mars Rover 2020 da NASA, deverá recolher amostras da superfície em recipientes do tamanho de uma caneta, enquanto explora o Planeta Vermelho. 31 caixas serão preenchidas e preparadas para uma coleta posterior – uma espécie de geocaching interplanetário.

No mesmo período, o ExoMars da ESA, que também deverá pousar em Marte no ano 2021, irá perfurar até dois metros abaixo da superfície para procurar evidências de vida.

Uma segunda missão, com um pequeno rover, pousaria nas proximidades e recuperaria as amostras em uma operação marciana de busca e resgate.

Esse rover traria as amostras de volta ao seu módulo e as colocaria em um MAV (Mars Ascent Vehicle; veículo de subida de Marte, em português) – um pequeno foguete para lançar um contentor do tamanho de uma bola de futebol à órbita de Marte.

Um terceiro lançamento, a partir da Terra, forneceria uma nave enviada para orbitar Marte e se reunir com os contentores de amostras.

Assim que as amostras estivessem recolhidas e carregadas de forma segura em um veículo de entrada na Terra, a nave retornaria à Terra, liberando o veículo para pousar nos Estados Unidos, onde as amostras seriam recuperadas e colocadas em quarentena para análise detalhada por uma equipe de cientistas internacionais.

NASA

Solo marciano recolhido pelo rover Curiosity da NASA numa área arenosa chamada Rocknest. Pensa-se que essa partícula brilhante perto centro da imagem, e outras parecidas na mesma área, seja material marciano nativo.

Estudar os conceitos

O comunicado assinado no ILA Berlim pelo Diretor de Exploração Humana e Robótica da ESA, David Parker, e pelo Administrador Associado da NASA para a Diretoria da Missão Científica, Thomas Zurbuchen, descreve os potenciais papéis que cada agência espacial poderia executar e como podem oferecer apoio mútuo.

“Uma missão de retorno de amostras de Marte é uma visão tentadora, e realizável, que se encontra na interseção de muitas boas razões para explorar o espaço”, diz David Parker.

“Não há dúvida de que, para um cientista planetário, a oportunidade de trazer amostras primitivas e cuidadosamente escolhidas do Planeta Vermelho de volta à Terra para examinar, utilizando as melhores instalações, é uma perspectiva de dar água na boca“, acrescenta o cientista.

Reconstruir a história de Marte e responder a perguntas do passado são apenas duas áreas de descoberta que avançarão dramaticamente devido a esta missão.

“Os desafios de ir a Marte e voltar exigem que sejam abordados por uma parceria internacional e comercial – os melhores dos melhores. Na ESA, com os nossos 22 estados membros e outros parceiros colaboradores, a cooperação internacional faz parte do nosso DNA”, conclui o diretor da ESA.

ATG Medialab / ESA

O orbitador TGO (Trace Gas Orbiter) e seu módulo de entrada, descida e pouso, Schiaparelli, em aproximação a Marte

Missões anteriores a Marte revelaram antigos córregos e a química certa que poderia ter apoiado a vida microbiana no Planeta Vermelho”, diz por sua vez Thomas Zurbuchen. “Trazer uma amostra forneceria um salto crítico na nossa compreensão do potencial de Marte para abrigar vida”.

“Estou ansioso para conectar e colaborar com parceiros internacionais e comerciais para enfrentar os excitantes desafios tecnológicos pela frente – que nos permitiriam trazer para casa uma amostra de Marte”, acrescenta o responsável da NASA.

A sonda ExoMars da ESA já circunda Marte para investigar sua atmosfera. Na semana passada, o dispositivo transmitiu dados do rover Curiosity da NASA para a Terra, provando, também, seu valor como um satélite de retransmissão.

As descobertas da missão ExoMars podem ajudar a decidir quais amostras armazenar e trazer para a Terra durante a missão de retorno.

A colaboração demonstra uma boa cooperação com a NASA e fornece uma infraestrutura essencial de comunicação em torno do Planeta Vermelho.

Ciberia // CCVAlg / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Quem é Amy Barrett, a indicada de Trump para Suprema Corte?

Se aprovada pelo Senado, atual juíza federal e católica devota poderá influenciar a vida pública dos EUA por décadas e mover de vez a composição da Corte para uma orientação conservadora. Se no Brasil o presidente …

Uber ganha 18 meses de licença para atuar em Londres

Após uma longa batalha jurídica, a Uber ganhou uma licença para restabelecer suas operações em Londres pelos próximos 18 meses. Em novembro de 2019, a empresa havia sido impedida de atuar na capital inglesa, depois que …

Testes de DNA da moda não identificam indígenas brasileiros

Testes de DNA estão na moda. Se você pensou em exames para comprovar paternidade ou algo nesse sentido: não é disso que estamos falando (embora pudéssemos). A nova tendência — entre aqueles que têm condições para …

EUA e Brasil querem barrar governo Maduro na Organização Pan-Americana da Saúde

Os Estados Unidos, o Brasil e outros 11 países rejeitaram nesta segunda-feira (28) a legitimidade do governo de Nicolás Maduro na Venezuela para participar do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). A …

Água líquida em Marte: descobertas mais reservas no polo sul do Planeta Vermelho

Em 2018, pesquisadores italianos anunciaram que haviam encontrado evidências da existência de água líquida em Marte, abaixo da calota polar sul. Agora, a equipe voltou em mais uma série de informações que não apenas sustentam essa …

Cientistas russos encontram nova forma de tratamento para covid-19

Uma equipe de cientistas russos sugeriu tratar os pacientes gravemente afetados pelo coronavírus SARS-CoV-2 da mesma maneira que são tratados alguns casos de intoxicação. De acordo com os especialistas do Instituto de Pesquisa de Medicina de …

Covid-19 já causou a morte de um milhão de pessoas no mundo

Nove meses após seu surgimento na China, a pandemia de Covid-19 superou, neste domingo (27), o número simbólico de um milhão de mortos no mundo. No total, o coronavírus causou 1.000.009 mortes e 33.018.877 casos …

Homem que comia alcaçuz todos os dias morre e médicos alertam sobre riscos à saúde

Um homem de 54 anos morreu após consumir alcaçuz em excesso. Segundo os médicos do Hospital Geral de Massachussets (EUA), após duas semanas ingerindo alcaçuz preto em excesso, o homem teve uma overdose de uma …

Conflito armado se acirra na fronteira entre Armênia e Azerbaijão

A Armênia e o Azerbaijão se acusaram mutuamente neste domingo (27/09) de iniciar confrontos mortais na região separatista de Nagorno-Karabakh, na fronteira entre os dois países, em meio a uma disputa territorial de décadas. Ao …

Grande depósito de ovos de dinossauro é descoberto na Espanha

O norte de Espanha foi palco de uma nova descoberta paleontológica. Foram encontrados ovos de 68 milhões de anos atrás, que podem conter embriões desses enormes répteis. José Manuel Gasca estava fazendo jogging um dia no …