Terapia usada para esclerose múltipla vai tratar esquizofrenia

Cientistas britânicos iniciaram uma pesquisa clínica que testa uma abordagem radical e inovadora para o tratamento da esquizofrenia: uma terapia imunossupressora geralmente utilizada no controlo dos sintomas da esclerose múltipla. A estratégia baseia-se em um crescente corpo de evidências que indicam que a esquizofrenia pode ser uma doença do sistema imunológico.

Estudos anteriores sugeriram que anormalidades na atividade imunológica no cérebro podem ser a causa da doença em alguns pacientes. Um deles descobriu que, nos estágios iniciais da esquizofrenia, as pessoas apresentam um aumento no número e na atividade das células imunes no cérebro, chamadas micróglias.

Além de combater a infeção, essas células têm uma função de “jardinagem” ao podar conexões indesejadas entre os neurónios. Entretanto, em pacientes com esquizofrenia, essa poda é mais agressiva e causa a perda de conexões vitais.

“Antigamente nós pensávamos que corpo e mente eram coisas separadas, mas não é bem assim. A mente e o corpo interagem constantemente e não é diferente com o sistema imunológico. É uma questão de mudar a forma como pensamos sobre doenças mentais”, disse Oliver Howes, professor de psiquiatria celular no MRC Instituto de Ciências Médicas de Londres.

O tratamento convencional age bloqueando a transmissão de dopamina no cérebro, o que pode ajudar a manter os surtos sob controle, mas não o protege contra os danos estruturais. O imunossupressor, por outro lado, poderia prevenir essa perda, atingindo diversos fatores da doença, inclusive as microglias,

O novo estudo, uma colaboração entre pesquisadores da MRC e da King’s College Londres, envolve tratar pacientes com um medicamento de anticorpo monoclonal Natalizumabe, utilizado para tratar esclerose múltipla.

Ao contrário da esclerose, na qual os anticorpos danificam os nervos, no esquizofrenia o sistema imunológico afeta o próprio cérebro, causando a psicose. Mas o medicamento também serviria para remover os anticorpos associados ao surgimento da doença.

Inicialmente, sessenta pacientes serão tratados ao longo de três meses. Metade deles receberá a infusão no anticorpo e os demais, um placebo. A administração do medicamento consiste em ir à clínica uma vez por mês para receber uma hora de infusão.

Todos os pacientes e mais trinta voluntários saudáveis serão acompanhados por uma série de scanners cerebrais, testes cognitivos e de atividade imunológica. A expectativa é que o estudo se prolongue por dois anos.

Segundo os autores, mesmo se não houver melhora nos sintomas dos pacientes, a expectativa é que o estudo consiga responder a questões fundamentais sobre o papel do sistema imunológico no desenvolvimento da doença.

A Organização Mundial da Saúde estima que pelo menos 26 milhões de pessoas vivam com esquizofrenia no mundo. As causas da doença, na qual o paciente perde o contato com a realidade, são desconhecidas.

No entanto, os episódios de surtos e delírios podem estar associados a desequilíbrios de neurotransmissores no cérebro. Segundo estudos anteriores, experiências stressantes e o uso de drogas recreativas também podem desencadear episódios em pessoas vulneráveis.

// Move

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …