Tratamento pioneiro curou câncer de mama em doente terminal

Os médicos deram apenas alguns meses de vida a Judy Perkins, depois de todos os tratamentos contra o câncer de mama que sofria terem fracassado. Passados dois anos, a norte-americana continua viva, graças a um tratamento inovador que usou suas próprias células para atacar o câncer.

Judy Perkins, uma engenheira de 52 anos com dois filhos, está livre de câncer há dois anos e fala em uma “cura milagrosa”, em declarações citadas pelo The Telegraph.

Mas os médicos esclarecem que o que está em causa é um método inovador de imunoterapia, conhecido como “transferência de células adotivas”.

A técnica passa, essencialmente, por usar as próprias células imunes dos doentes para ativar as chamadas células T, que ajudam a proteger o corpo de infecções, para introduzir anticorpos contra o câncer no organismo.

A engenheira natural da Flórida, nos EUA, tinha feito uma mastectomia em 2003, quando o câncer apareceu pela primeira vez. Dez anos depois, a doença voltou e “se espalhou de forma agressiva”, como relata o jornal britânico, constatando que as células cancerígenas se estenderam até o fígado, com tumores do tamanho de “punhos”.

Após ter experimentado sete tipos diferentes de quimioterapia, sem resultados positivos, os médicos lhe deram apenas alguns meses de vida. Mas o recurso à técnica experimental de “transferência de células adotivas” permitiu eliminar o câncer.

“A paciente chegou até nós em uma situação desesperada, com todos os tratamentos tendo fracassado”, relata ao jornal um dos médicos que acompanhou o caso, Steven Rosenberg, do Instituto Nacional de Câncer dos EUA.

Os cientistas da unidade de pesquisa retiraram um dos tumores do corpo de Judy, para determinarem quais células T que conseguiam reconhecer as células cancerígenas. Depois, ao longo de oito semanas, cultivaram essas células T selecionadas em laboratório, como explicam no artigo científico publicado na Nature Medicine.

Depois daquele período de “cultivo”, em que as células se multiplicaram, os cientistas as injetaram de novo no corpo de Judy, para “recarregar seu sistema imunológico contra o câncer”, explica o Telegraph.

“Isto é usar as próprias células de um paciente para atacar seu próprio câncer”, nota Rosenberg, evidenciando que esse é “o ponto mais importante” do caso.

A técnica já tinha surtido efeito em alguns casos de cânceres no intestino, no fígado e no colo do útero, mas nunca em situações de câncer de mama, especialmente em uma fase tão avançada.

Agora, os cientistas esperam que estes resultados possam abrir uma nova esperança no tratamento contra o câncer.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …