Trump assina ordem executiva que repõe sanções contra o Irã

O presidente dos Estados Unidos assinou a ordem executiva que prevê a reposição de várias sanções contra o Irã, afirmando que o objetivo político de Washington é impor uma “máxima pressão econômica” sobre Teerã.

A ordem executiva é assinada três meses depois de Washington ter saído do acordo nuclear com o Irã e as sanções previstas no documento entrarão em vigor a partir da meia-noite (hora local em Washington).

O acordo nuclear foi assinado em 2015 entre o Irã e o grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha).

Com exceção de Washington, os restantes continuam comprometidos com o protocolo, que previa o congelamento do programa nuclear iraniano em troca do levantamento de sanções econômicas.

Em comunicado, o chefe de Estado norte-americano reiterou nesta segunda-feira (6) que o acordo de 2015 foi “horrível e unilateral”, salientando que o protocolo acabou por proporcionar ao governo iraniano o dinheiro necessário para promover um clima de conflito no Oriente Médio.

“Instamos todas as nações a tomar medidas que deixem claro que o regime iraniano enfrenta uma escolha: ou mudar seu comportamento ameaçador, desestabilizador e a se reintegrar na economia global, ou continuar em um caminho de isolamento econômico”, frisou Trump.

O presidente advertiu igualmente que aqueles que não abandonarem os respectivos laços econômicos com o Irã “correm o risco de sofrer severas consequências” à luz das sanções agora repostas.

Trump reiterou igualmente a sua disponibilidade de firmar um novo acordo, “mais amplo”, com o Irã, um texto que não se limite ao programa nuclear iraniano.

Estou aberto para alcançar um acordo mais amplo, que aborde todo o conjunto de atividades malignas do regime, incluindo seu programa de mísseis balísticos e seu apoio ao terrorismo”, disse Trump, citado em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Antes da divulgação da nota, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, já tinha assegurado que as novas sanções contra o Irã vão ser impostas de forma rigorosa e que serão mantidas até que o governo iraniano altere sua política.

Em declarações aos jornalistas no regresso aos EUA, após uma deslocação ao sudeste asiático, Pompeo disse ainda que o restabelecimento das sanções constitui um importante pilar da política norte-americana frente ao Irã.

Um alto funcionário da administração norte-americana afirmou que a ordem executiva firmada por Trump volta novamente a penalizar o comércio do ouro, de metais preciosos e outros, incluindo alumínio e aço, mas também repõe sanções ao setor automobilístico iraniano.

O decreto presidencial proíbe igualmente transações financeiras relacionadas com o sistema ferroviário, impede a aquisição de dólares por parte de Teerã e prever a imposição de sanções a todos que comprarem ou facilitarem a emissão de dívida soberana iraniana.

Rohani responde

O presidente do Irã, Hassan Rohani, respondeu ao homólogo norte-americano, afirmando ser insensato associar negociações a sanções e classificando a postura de Washington como “contraditória”. “Não se pode negociar ao mesmo tempo que há sanções”, disse.

Associar negociações a sanções é insensato. Impõem sanções às crianças iranianas, aos doentes e à nação”, disse o chefe de Estado iraniano, em entrevista à televisão estatal iraniana, algumas horas antes da entrada em vigor das sanções norte-americanas.

“Aquele que fala em negociações tem que demonstrar que quer solucionar algo com as negociações”, destacou Hassan Rohani.

Na mesma entrevista, o chefe de Estado acusou ainda os EUA de quererem promover uma “guerra psicológica” contra o país. “Querem lançar uma guerra psicológica contra a nação iraniana e provocar divisões” entre os iranianos, disse o representante.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Astrônomos continuam encontrando inexplicáveis anéis circulares misteriosos no céu

Nos últimos anos, astrônomos avistaram vários objetos de rádio gigantescos e quase perfeitamente circulares no universo distante. Embora ninguém tenha uma explicação para essas entidades misteriosas ainda, uma equipe adicionou recentemente outra ao seu catálogo, …

Conflito tem seu dia mais sangrento em Gaza

Bombardeios israelenses deixam pelo menos 42 palestinos mortos e elevam total de vítimas a 188. Netanyahu diz que ataques continuarão. Sem um cessar-fogo à vista, o atual conflito entre Israel e Hamas teve neste domingo (16/05) …

Apple é acusada de enganar usuários através de aplicativos fraudulentos na App Store

A Apple segue batendo recordes financeiros. No entanto, escândalos um atrás do outro aumentam a preocupação em torno da App Store. Após chamar a atenção internacional com as recentes revelações sobre a existência de cassinos ocultos …

Chile escolhe representantes para elaborar nova Constituição

O domingo foi o último dia de votação no Chile para a escolha dos redatores da nova Constituição do país. Os 155 representantes eleitos terão a tarefa de mudar o texto herdado da ditadura. …

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …