Pesquisadores revelam as vantagens de estudar quinto estado da matéria no espaço

Nuvens de átomos extremamente frios conhecidas como condensados de Bose-Einstein foram produzidas pela primeira vez no espaço em julho de 2018 no Cold Atom Laboratory da Nasa, instalado na Estação Espacial Internacional.

Além de ser um marco tecnológico, também pode melhorar a compreensão da física fundamental. O constante estado de queda livre da estação espacial oferece novos métodos para estudar condensados de Bose-Einstein e permite medições de alta precisão.

Nos condensados de Bose-Einstein os átomos se comportam diferente de qualquer coisa conhecida na Terra. Diferente de líquidos, gases, sólidos ou plasma, esses condensados são caracterizados como o quinto estado da matéria. Os átomos de elementos, nesse caso rubídio, são resfriados até próximo a zero absoluto, que equivale a menos 273 graus Celsius ou zero Kelvin.

No condensado de Bose-Einstein os átomos se portam mais como ondas do que como partículas. Esse fenômeno, que normalmente é observado em escala microscópica, passa a ser macroscópico e, portanto, mais fácil de ser estudado.

Em estado extremamente frio os átomos, em estado de energia mais baixo, assumem a mesma identidade de onda e se tornam indistintos. As nuvens de átomos se assemelham a um superátomo, em vez de átomos individuais. Eles se tornam uma única entidade com propriedades quânticas.

Os condensados de Bose-Einstein borram a linha entre as forças que regem o mundo macroscópico (como a força da gravidade) e o mundo microscópico governado pela mecânica quântica. Os cientistas acreditam que eles contêm pistas essenciais sobre fenômenos como a matéria escura.

Mas a mínima interação com o mundo exterior pode aquecê-los o suficiente para que passem do limite de condensação. Como a gravidade interfere nos campos magnéticos necessários para manter os condensados de Bose-Einstein em posição para a observação, é mais difícil estudá-los na Terra.

Diferenças

Agora, os cientistas publicaram na Nature artigo que relata diferenças nas propriedades dos condensados de Bose-Einstein criados na Terra e aqueles criados na Estação Espacial Internacional.

Uma delas é que enquanto nos laboratórios do planeta os condensados de Bose-Einstein duram milissegundos, no espaço eles demoram mais do que um segundo para se dissipar. Isso permite que os pesquisadores estudem suas propriedades.

Essa diferença de duração está relacionada ao fato de que a microgravidade permitiu aos pesquisadores criar condensados de Bose-Einstein de rubídio em espaço bem mais raso do que na Terra.

Além disso, na microgravidade os átomos podem ser manipulados por campos magnéticos mais fracos. Isso acelera o resfriamento e permite imagens mais claras.

Para o líder da pesquisa, David Aveline, estudar condensados de Bose-Einstein em microgravidade criou oportunidades de pesquisa. Entre elas estão aplicações em teses de relatividade geral, procura por energia escura e ondas gravitacionais para navegação de naves espaciais, além de prospecção de minerais na superfície lunar e outros corpos planetários.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA e Reino Unido teriam dado 'luz verde' a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense. Tel Aviv teria recebido "luz verde" de Washington …

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …

Cientistas transformaram água pura em metal pela primeira vez

Cientistas transformaram, pela primeira vez, água pura em metal. A pesquisa poderia permitir um estudo detalhado das condições de extrema alta pressão dentro de grandes planetas. A água pura é um isolante quase perfeito. Sim, a …

Imagens do satélite Amazonia-1 já estão disponíveis — e qualquer um pode acessar

O Ministério da Ciência e Tecnologia comunicou, nesta semana, que as imagens do Amazonia-1 já podem ser acessadas pelo público. O satélite Amazonia-1 foi lançado em fevereiro de 2021 e, desde então, já avançou por etapas importantes, …