2020 teve o mês de setembro mais quente da história, adverte programa europeu Copernicus

Ian Langsdon / EPA

O ano de 2020 teve o mês de setembro mais quente já registrado até hoje, anunciou nesta quarta-feira (7) o serviço europeu Copernicus sobre as mudanças climáticas. Os especialistas deste programa da União Europeia de monitoramento da Terra também evocam a possibilidade de que 2020 destrone 2016 e se torne o ano mais quente da história.

Segundo o Copernicus, o período entre outubro de 2019 e setembro de 2020 registrou 1,28 grau Celsius a mais do que as temperaturas do período pré-industrial. Embora os últimos cinco anos tenham sido os mais quentes já registrados, esse número coloca o planeta perigosamente perto do teto estabelecido pelo Acordo de Paris, destaca o relatório mensal.

O pacto, concluído em 2015 por cerca de 200 países que se comprometeram a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, visa conter o aquecimento global abaixo de 1,5°C, ou, na pior das hipóteses, limitá-lo a 2°C, para atenuar os impactos climáticos devastadores, como tempestades, secas e outras ondas de calor.

A temperatura do planeta já aumentou mais de 1°C e avança em média 0,2°C por década desde o fim dos anos 1970. E 2020 não vai mudar a tendência, pois também registra os meses de janeiro, maio e junho mais quentes da história, ressalta o relatório.

“Em nível mundial, setembro de 2020 ficou 0,05°C acima de setembro de 2019, o mês mais quente registrado até agora”, indica o serviço europeu. Isto significa 0,63°C acima da média do período 1981-2020.

As temperaturas foram especialmente elevadas na Sibéria, seguindo a tendência de uma onda de calor que começou na primavera (hemisfério norte) e que favoreceu uma série de grandes incêndios.

Calor no Ártico

O calor também ficou acima do normal no Oceano Ártico, destaca o programa, ao recordar que este ano a camada de gelo no Ártico terminou o verão com a segunda menor área da história, depois da registrada em 2012.

“A combinação em 2020 de temperaturas recordes e de uma camada de gelo a um nível reduzido evidencia a importância de melhorar o controle em uma região com aumento da temperatura mais rápido do que o resto do mundo”, comenta Carlo Buontempo, diretor do programa europeu sobre mudanças climáticas.

Mas o Ártico não foi a única região afetada. A América do Norte teve um mês de setembro muito quente. O condado de Los Angeles registrou 49°C no início do mês. Por mais um ano, a Califórnia tem sido devastada por incêndios florestais.

Além do mês de setembro, os dados dos satélites europeus mostram que o período que vai de janeiro a setembro de 2020 é o mais quente em comparação com o mesmo período de 2019, segundo ano com as temperaturas mais elevadas.

A análise compara os nove meses de 2020 e de 2016, o ano mais quente da história, e revela anomalias “bastante parecidas”, segundo o Copernicus. Mas fenômenos climáticos como o desenvolvimento atual de La Niña, que tende a reduzir a temperatura mundial, “influenciarão sobre a probabilidade de 2020 se tornar o ano mais quente da história”.

A base de dados de satélite do Copernicus para a observação das temperaturas começa em 1979, mas os dados convencionais terrestres e as informações de outras agências não mostram nenhum ano com temperaturas mais elevadas antes de 1979, desde a era pré-industrial.

//

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …

Covid-19: Médicos pressionam governo francês para aumentar controles de pessoas vindas do Brasil

Especialistas acreditam que medidas do governo francês para frear entrada de variante P1 no país são insuficientes e pressionam para aumento de controles de passageiros provenientes do Brasil nos aeroportos ou pela suspensão dos …