Afinal, Mordor existe mesmo; e os cientistas já descobriram onde fica

Reynolds et al., Geochem. Geophys. Geosyst., 2018

Os cientistas descobriram recentemente os restos de uma vasta extensão de fluxos de lava subaquática perto da costa australiana, uma paisagem subaquática em nada diferente do reino carbonizado de Mordor, descrito em “O Senhor dos Anéis” – mas sem sinais de Sauron.

Com a utilização de tecnologia avançada, a equipe de cientistas descobriu os restos de 26 antigos fluxos de lava, que mediam até 34 quilômetros em comprimento e 15 quilômetros em largura. O estudo foi publicado na American Geophysical Union Journal, em novembro.

Com um máximo de 625 metros de altura, os picos do terreno não iriam facilitar a vida de Frodo Baggins, se não estivessem submersos, mas é a forma como os pesquisadores olharam para baixo do sedimento do fundo do oceano que torna a descoberta notável.

“Ao utilizar dados recolhidos através da exploração de óleos, fomos capazes de mapear os antigos fluxos com detalhes sem precedentes, revelando uma paisagem vulcânica espetacular que traz à mente ilustrações d’O Senhor dos Anéis”, disse um dos membros da equipe, Nick Schofield, da Universidade de Aberdeen, no Reino Unido.

“Os fluxos de lava submarinos são inerentemente mais difíceis de se estudar do que seus homólogos na superfície terrestre devido à inacessibilidade, e a tecnologia usada é semelhante em muitas formas à usada para produzir ecografias de bebês, mas para a Terra”, explica.

Chama-se dados de reflexão sísmica em 3D e é obtido através da digitalização de superfícies com ondas sísmicas.

Ao medir a forma como estas ondas se recuperam, os cientistas conseguem determinar a composição das características subterrâneas, que de outra forma, estariam escondidas da vista – neste caso, até 250 metros de sedimento.

Além das semelhanças com a paisagem de O Senhor dos Anéis, a descoberta poderia, de fato, nos ensinar mais sobre como os fluxos de lava entram em erupção e se espalham. As primeiras erupções, acredita-se, aconteceram há 35 milhões de anos.

Parte do que os cientistas descobriram na Bacia Bight, perto da costa sul da Austrália são uma série de kīpukas subaquáticas, ou ilhas criadas por fluxos de lava formados em volta dos limites.

Alguns destes fluxos de lava nunca foram estudados debaixo d’água antes. Com mais de dois terços da atividade vulcânica na Terra acontecendo submersos, quanto mais pudermos aprender sobre estes fluxos, melhor.

Todos os fatores têm que ser levados em consideração para formar modelos precisos, incluindo o tamanho da erupção, mas este Mordor de profundidade dá aos especialistas uma paisagem do mundo real para analisar.

O que torna este local, em particular, apto para estudos é o fato de os fluxos de lava estarem relativamente próximos da superfície e não estarem cobertos por basalto, o que tornaria a digitalização sísmica mais difícil.

“Ao usar esta técnica, temos uma visão única de uma paisagem que permaneceu escondida por milhões de anos, destacando a importância crescente de dados sísmicos no estudo do vulcanismo submarino”, disse Schofield.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Processo contra o Google nos EUA pode afetar o modo como você usa seu celular

Na última terça-feira (23), o Departamento de Justiça dos EUA entregou um "presente de Halloween" pouco agradável ao Google: um gigantesco processo antitruste, acusando a empresa de práticas que eliminam a competição nos mercados de …

Chilenos decidem a favor de nova Constituição por ampla maioria

Em plebiscito, quase 80% dos eleitores votam a favor de uma nova Carta Magna, em substituição à herdada da era Pinochet, e de que ela seja escrita por uma Assembleia Constituinte com igualdade entre mulheres …

'Vai comprar lá na Venezuela', rebate presidente a apoiador que reclamou de preço do arroz

O presidente Jair Bolsonaro rebateu neste domingo (25), durante passeio de moto por Brasília, crítica de apoiador sobre a alta do preço do arroz. No momento em que saia da Feira Permanente do Cruzeiro, região administrativa …

Espanha, Itália e França ampliam restrições em fim de semana com recorde de casos da Covid-19

Os líderes europeus intensificam as medidas de combate à pandemia do coronavírus, depois da alta de 42% de novos casos da Covid-19 em uma semana. A Itália reforçou neste domingo as medidas de restrição …

Pistachio, o cãozinho filhote que nasceu com pelo verde na Itália

O fazendeiro italiano Cristian Mallocci esperava uma ninhada normal de cachorros de sua cadelinha labradora. Entretanto, ao ver os filhotinhos que nasceram, ele percebeu que um era um pouquinho diferente. ‘Pistachio’, como foi nomeado posteriormente, …

Fóssil de pterossauro nunca antes visto de 100 milhões de anos é descoberto na China

Um novo gênero e uma nova espécie de pterossauro dsungaripterídeo, que viveu durante o Cretáceo Inferior, foram catalogados na China após análise de uma mandíbula inferior incompleta. Pterossauros eram répteis voadores que viveram simultaneamente com os …

A consciência é um campo energético: afirma estudo

Uma nova ideia incomum em neurociência sugere que nossa consciência é derivada de um campo de ondas eletromagnéticas emitidas pelos neurônios quando disparam suas cargas elétricas. A ideia é que essas ondas de atividade elétrica sejam …

Pais gays viram alvo de investigações na Rússia

Alguns anos atrás, o advogado Vladimir (nome modificado), morador de uma grande cidade russa, decidiu ter um filho com o auxílio de uma mãe de aluguel. Sua família inteira ficou contente quando uma menina nasceu. …

Líbano: Saad Hariri volta ao posto de primeiro-ministro para formar novo governo

Saad Hariri foi nomeado novamente primeiro-ministro do Líbano, com o desafio de chegar a um acordo com as várias forças políticas do país e formar um governo capaz de realizar as reformas necessárias para …

Alunos incentivam câmeras ligadas para que professores não ‘falem’ com telas em branco

Para amenizar a sensação de solidão de professores em aulas online, alunos norte-americanos começaram a usar o TikTok para incentivar mais estudantes a abrirem as câmeras durante encontros educacionais à distância. A usuária da rede social …