Alemanha acusa médico sírio de crimes contra a humanidade

Promotores federais da Alemanha acusaram nesta quarta-feira (28/07) um médico sírio de assassinato e crimes contra a humanidade.

O suspeito enfrenta 18 acusações de tortura contra pacientes de hospitais militares nas cidades sírias de Homs e Damasco, informou em nota o Ministério Público Federal em Karlsruhe.

Alla Mousa se mudou para a Alemanha em 2015 e exerceu a profissãoaté ser preso, em junho do ano passado. Ele é acusado de assassinato, lesão corporal grave, tentativa de lesão corporal e lesão corporal perigosa.

De acordo com os promotores, após o início da Primavera Árabe em 2011, com o levante da oposição contra o presidente sírio Bashar al-Assad, manifestantes contrários ao governo foram presos. Civis feridos, considerados membros da oposição, foram levados a hospitais militares, onde foram torturados e, às vezes, mortos.

Os promotores alemães acusam o médico sírio de, entre outras coisas, pendurar pessoas no teto e espancá-las com um bastão de plástico.

Ele ainda teria derramado álcool e ateado fogo nos órgãos genitais de um adolescente e de um homem em um hospital militar de Homs. O sírio também é acusado de torturar mais nove pessoas no mesmo hospital, em 2011.

O médico teria espancado um prisioneiro, derramando líquido inflamável em suas feridas e ateado fogo, além de chutá-lo no rosto, quebrando três dentes. Outra acusação é de administrar uma injeção letal em um prisioneiro que tentou resistir a ser espancado.

A acusação também alega que Mousa chutou e espancou um homem preso que sofria de um ataque epiléptico. Poucos dias depois, o médico deu ao homem um medicamento. O paciente veio a óbito, sem que a causa exata da morte fosse identificada.

Além das alegações de tortura no hospital militar de Homs, Mousa também é acusado de abusar de presos de um hospital militar em Damasco, entre o final de 2011 e março de 2012.

Importante sinal para sobreviventes

O secretário-geral do Centro Europeu para os Direitos Constitucionais e Humanos elogiou a decisão dos promotores alemães.

“Graves crimes contra a sociedade civil da Síria não estão ocorrendo apenas nos centros de detenção dos serviços de inteligência. O sistema de tortura e extermínio da Síria é complexo e só existe graças ao apoio de uma ampla variedade de atores”, disse Wolfgang Kaleck. “Com o julgamento [de Mousa], o papel dos hospitais militares e equipes médicas neste sistema poderá ser abordado pela primeira vez.”

Kaleck também observou que o julgamento pode ser importante em termos de abordagem da violência sexual.

“A violência sexual está sendo usada como arma, sistemática e intencionalmente, contra a oposição na Síria. Os afetados não só sofrem consequências físicas e psicológicas, mas também são estigmatizados e discriminados pela sociedade”, afirmou Kaleck.

Para ele, o julgamento de Mousa pode ser um importante sinal para os muitos sobreviventes que permaneceram em silêncio até agora.

Precedente

Em fevereiro, um tribunal alemão condenou um ex-membro da polícia secreta de Assad por facilitar a tortura de prisioneiros, em uma decisão histórica que, segundo ativistas de direitos humanos, abriria precedente para outros casos.

Eyad al-Gharib, de 44 anos, foi condenado a quatro anos e meio de prisão por ajudar a prender pelo menos 30 manifestantes na cidade síria de Duma em 2011 e entregá-los ao centro de detenção de Al-Khatib, em Damasco, onde pessoas eram torturadas.

Foi a primeira vez que um tribunal fora da Síria decidiu um caso que alegava que funcionários do governo sírio cometeram crimes contra a humanidade. Para que fosse possível abrir o caso, os promotores alemães invocaram o princípio da jurisdição universal para crimes graves, já que envolvia vítimas e réus na Alemanha.

A guerra civil na Síria matou mais de 380 mil pessoas e deslocou quase metade da população do país. A Alemanha acolheu mais de 700 mil refugiados sírios desde o início do conflito.

Ciberia // DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para covid-19 durante a viagem a Nova York, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, e ficará em isolamento na cidade, comunicou nesta quarta-feira (21/09) a Presidência da …

Vulcão em erupção nas Canárias: o cenário 'desolador' enfrentado por moradores afetados pelo Cumbre Vieja

Juan Vicente Rodríguez ainda não chegou às lágrimas, mas ele garante que no final "todos vão acabar chorando". Morador da ilha canária La Palma, Rodríguez observa nas redondezas os rios de lava do vulcão Cumbre Vieja …

Anistia Internacional acusa empresas farmacêuticas de deixar países pobres sem vacinas anticovid

A ONG Anistia Internacional divulgou um relatório nesta quarta-feira acusando os grandes grupos farmacêuticos que produzem vacinas contra a Covid-19 de alimentar uma crise de direitos humanos sem precedentes. Por essa razão, a entidade …

Descobrem na Espanha dezenas de pegadas de espécie extinta de elefantes

Paleontólogos descobriram em Huevla, na Espanha, em um sítio da época do Pleistoceno Superior, trilhas e rastros de elefantes recém-nascidos e juvenis atribuídos a elefantes de presas retas (Palaeoloxodon antiquus). Os elefantes de presas retas são …

Na ONU, Bolsonaro defende ineficaz "tratamento precoce"

O presidente Jair Bolsonaro usou nesta terça-feira (21/09) seu discurso de abertura da 76ª Assembleia-Geral das Nações Unidas para defender o desacreditado "tratamento precoce" promovido pelo seu governo, que consiste num coquetel de drogas ineficazes …

Turismo em reservas naturais federais no Brasil triplica em 13 anos

Cerca de 15 milhões de turistas visitaram reservas ambientais federais no Brasil em 2019, uma alta de 300% nos últimos 13 anos. Se por um lado esse aumento reflete um maior interesse dos brasileiros em …

Presidente do Conselho da UE acusa EUA de "falta de lealdade" após ruptura de contrato com a França

O presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel, acusou nesta segunda-feira (20) os Estados Unidos de falta de lealdade depois que a Austrália cancelou um amplo contrato com a França para comprar submarinos …

Morcegos das cavernas de Laos podem revelar origem da COVID-19

Descobriu-se que os morcegos que habitam as cavernas do norte de Laos transportam um coronavírus que compartilha uma característica importante com o SARS-CoV-2, dando pistas aos cientistas para desvendar a causa da COVID-19. Uma equipe de …

Em Nova York, Bolsonaro vai se reunir com Boris Johnson

O presidente Jair Bolsonaro viajou neste domingo (19/09) para Nova York, nos Estados Unidos, onde participará nesta semana da Assembleia Geral das Nações Unidas e terá seu primeiro encontro bilateral com o primeiro-ministro do Reino …

Os softwares de home office mais importantes

A pandemia de COVID-19 obrigou muita gente a trabalhar a partir de casa. Nesse momento, se uma pessoa pode fazer seu trabalho em home office, ela deve seguir este caminho. Toda essa situação ajudou as empresas …