A Antártida está ficando mais alta

O material rochoso de uma parte da Antártida Ocidental está subindo mais rápido do que se pensava e isso acontece porque o manto terrestre é mais fluido do que se julgava. Essas recentes descobertas são, ao mesmo tempo, boas e más notícias para o continente gelado.

Comecemos pelas boas notícias: o fato de o material rochoso estar subindo faz com que sejam formados alicerces que, por sua vez, sustentam as plataformas de gelo. Essas plataformas que restam podem, assim, se tornar mais estáveis.

Por outro lado, a má notícia é que, nos últimos anos, as medições de satélite podem ter sido distorcidas pelo aumento da Terra, levando os pesquisadores a subestimar a taxa de desaparecimento do gelo em até 10%.

Uma viagem por baixo do gelo da Antártida Ocidental

A Antártida Ocidental ocupa cerca de 1,8 milhão de quilômetros quadrados do continente. Por baixo do gelo, encontramos o substrato rochoso, o conjunto de formações rochosas sobre as quais neve foi se acumulando, sendo transformada em gelo com o tempo, explica ao Público António Correia, cientista no Instituto de Ciências da Terra, da Universidade de Évora, em Portugal.

Para entender esta ascensão do substrato rochoso, os cientistas instalaram várias estações de GPS em afloramentos rochosos ao longo da costa do mar de Amundsen, na Antártida Ocidental, e chegaram à conclusão que nessa região o substrato está subindo mais rápido do que o esperado.

A subida é de 41 milímetros por ano. Em comparação, na Islândia ou no Alasca observou-se uma subida de 20 a 30 milímetros. Na Groenlândia, a ascensão é de 30 milímetros por ano.

Mas quem é o verdadeiro culpado dessa rápida subida? O manto terrestre, afirmam os cientistas. A elevação do substrato rochoso se deve ao fato de a viscosidade do manto apresentar valores dez a 100 vezes inferiores ao que inicialmente se pensava.

António Correia, que não participou do estudo, explica ainda que a diminuição da viscosidade pode estar acontecendo graças a um maior fluxo de calor no manto da região. Em termos práticos, o que acontece na Antártida é que o manto terrestre é mais fluido do que se julgava, mas a temperatura não explica tudo.

“Sabemos onde a Terra é mais quente e mais fria, no entanto, a viscosidade do manto não depende apenas da temperatura, mas também do teor da água”, adianta Valentina Barletta, da Universidade Técnica da Dinamarca e autora do estudo.

Assim, “estimar a temperatura do manto em uma determinada zona poderia dar uma visão imprecisa de quão rápida é essa ascensão, dado que uma área fria com alto teor de água pode ser tão viscosa quanto uma zona quente com menos água”, explicou a pesquisadora.

Manto terrestre mais fluido do que se pensava

O leito rochoso da Antártida é difícil de se estudar, isto porque que a maior parte está coberto por grossas camadas de gelo. Aliás, a cobertura de gelo do continente corresponde a cerca de 90% de todo o gelo existente na Terra e contém água suficiente para elevar o nível médio do mar em todo o mundo em cerca de 61 metros, segundo a NASA.

Ao todo, foram instaladas seis estações de GPS, na esperança de ver a lenta elevação do leito rochoso ao longo do tempo. Mas não foi isso que aconteceu.

Em vez disso, os cientistas viram que a taxa de elevação era cerca de quatro vezes mais rápida do que a esperada. A velocidade – cerca de 41 milímetros por ano – é uma das taxas mais rápidas registradas em áreas glaciares.

Os cientistas sugerem assim que o manto por baixo do gelo da Antártida Ocidental é muito fluido. “A fusão do gelo faz diminuir o peso que o substrato rochoso tem que suportar e, por ajustamento isostático glaciar, tende a subir”, explica António Correia.

Um futuro incerto e um fio de esperança

A elevação do leito rochoso é o resultado da perda de gelo ao longo do século passado, e o gelo continua desaparecendo a um ritmo preocupante. O lençol de gelo do oeste da Antártida (WAIS, na sigla em inglês) pode, inclusive, entrar em colapso nos próximos 100 anos, causando uma subida do nível do mar de quase três metros.

No entanto, os cientistas sugerem que pode haver um fio de esperança para o enfraquecimento do WAIS.

O leito rochoso, sustentado por um manto fluido, pode fornecer uma fonte inesperada de apoio para o WAIS. Como? A elevação do leito poderia estabilizar o lençol o suficiente para impedir um colapso completo, mesmo sob fortes pressões.

“Além de nos dar uma nova imagem das dinâmicas da terra na Antártida, os novos resultados vão impulsionar modelos mais precisos para a camada de gelo da Antártida Ocidental sobre o que vai acontecer no futuro”, considera a autora Valentina Barlett.

Os resultados do estudo foram publicados semana passada na Science.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Precisamente! Mas no português (e em nenhum outro idioma) são aceitos dois nomes. Em ambos os casos, infelizmente o futuro é bem pouco animador…

  2. “…elevar o nível médio do mar em todo o mundo em cerca de 61 centímetros, segundo a NASA.”
    Acredito que seriam, 61 metros pois logo depois falam que o colapso do lado oeste elevaria o nível dos oceanos em 3 metros!

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sonda descobre 'duendes' e 'elfos' surgindo na atmosfera de Júpiter

Uma equipe de cientistas analisou imagens ultravioletas da sonda Juno, da NASA, no planeta gigante, e por 11 vezes surgiram luzes extremamente curtas e peculiares. A sonda espacial Juno, da agência espacial norte-americana NASA, captou uma …

Astrônomos descobrem atividade em objeto planetário distante do Sistema Solar

Uma equipe de astrônomos anunciou sua descoberta da atividade de Centaur 2014 OG392, um objeto planetário observado pela primeira vez em 2014. Centauros são planetas menores que os astrônomos pensam que se originaram no Cinturão de …

Com Google acusado de monopólio, Apple estaria agilizando seu próprio buscador

No mês de agosto, o Canaltech noticiou que a Apple poderia estar trabalhando em seu próprio motor de busca para não ter mais que utilizar os recursos do Google. Agora, novas informações divulgadas pelo jornal Financial …

Ataque com faca deixa três mortos em Nice, na França

Mulher é decapitada dentro de igreja e mais duas pessoas são mortas com golpes de faca. Segundo prefeito, agressor teria repetido "Allah Akbar". Atentado ocorre em meio a tensões devido a caricaturas do profeta Maomé. Ao …

Trabalhador encontra carta secreta de 1941 escondida em teto de igreja

A igreja de Saint James, na Antuérpia, é um dos locais históricos mais importantes da cidade belga. Há séculos, ela costuma ser uma das paradas para peregrinos que vão até Santiago de Compostela visitar o …

É possível que o Covid-19 esteja envelhecendo o cérebro de pacientes em 10 anos

Além de poder prejudicar o seu coração o Covid-19 pode afetar o seu cérebro. Os efeitos cognitivos do coronavírus podem durar meses em certos casos, de acordo com os pesquisadores. Pessoas se recuperando do COVID-19 podem …

Nokia é a marca de Android mais durável e segura, aponta pesquisa

A Counterpoint Research divulgou um novo relatório sobre o índice de confiabilidade das fabricantes de smartphones e destacou o desempenho da HMD/Nokia, que liderou o ranking pelo segundo ano. Em resumo, a empresa foi a …

Rejeição à França aumenta no mundo islâmico

Após governo Macron sair em defesa do secularismo e iniciar ofensiva contra o islã radical, líderes como o presidente turco Erdogan passam a insuflar suas populações como forma de distração de problemas internos. Na esteira do …

Meteoro explode no céu e causa tremor em cidades da Bahia

Um meteoro brilhou nos céus de algumas cidades da Bahia nesta segunda-feira (26). O bólido (nome que recebem os meteoros que explodem na atmosfera terrestre tornando-se extremamente brilhantes), foi detectado e registrado por câmeras de …

O salmão consumido no Brasil está acabando com a costa chilena

Comer em um rodízio de japonês pode soar como uma ótima ideia para quem gosta das iguarias orientais. O que muita gente não sabe é que o salmão comprado como matéria prima em restaurantes do …