Batalha da Segunda Guerra Mundial ficou registrada nas árvores

Depois de terem encontrado marcas incomuns em anéis de árvores na Noruega, cientistas descobriram que elas se tratam de efeitos de um nevoeiro químico usado pelos nazistas para esconder um navio de guerra dos Aliados.

Durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial, os bombardeiros aliados tentaram repetidamente afundar o Tirpitz, o maior navio de guerra da Alemanha nazista. A embarcação era uma obsessão do primeiro-ministro britânico Winston Churchill, que passou a chamá-lo “a besta”.

Na quarta-feira (11), especialistas em árvores que se reuniram no encontro anual da União de Geociências Europeia, mostraram por que os Aliados tiveram tanta dificuldade em afundar o navio, que só foi a pique no final de 1944 num fiorde da Noruega, na época ocupada pelos nazistas.

Claudia Hartl, pesquisadora da Universidade Johannes Gutenberg, em Mainz, na Alemanha, disse que “a história estava nos anéis das árvores“.

Uma evidência improvável dessa batalha da Segunda Guerra Mundial foi encontrada no verão de 2016, quando Hartl levou estudantes em uma pesquisa de rotina de florestas em volta do Kafjord, uma das dezenas de fiordes ao longo da costa norte da Noruega.

“Voltamos ao laboratório e medimos os anéis de árvores e vimos que eram muito estreitos e em alguns casos, quase ausentes“, explicou a cientista. Em outras palavras, isso era um sinal de que as florestas da região tinham sido atingidas por algum tipo de cataclismo ambiental.

As suspeitas

A primeira suspeita foi a de que alguma infestação de insetos, um fator que pode ser grave e severo, especialmente em florestas boreais de alta latitude, teria afetado as árvores. Nos últimos anos, grandes extensões de florestas no Canadá têm sido afetadas por insetos, que se propagam mais constantemente por causa do aquecimento global.

No entanto, não havia insetos conhecidos no norte da Escandinávia que pudessem ter provocado aquele tipo de choque ambiental em meados do século XX. “Foi só depois de falarmos com um cientista local que acabamos fazendo a ligação com o Tirpitz”, disse Scott St. George, geógrafo do Instituto do Meio Ambiente da Universidade de Minnesota, nos EUA.

Durante a guerra, o encouraçado Tirpitz, com uma tripulação de 2.500 homens, tinha retrocedido para esconderijos em fiordes do norte da Noruega para despistar a aviação aliada. Na era pré-satélite, até mesmo um gigante de aço de 250 metros de comprimento não era fácil de ser detectado.

Naval History and Heritage Command / Wikimedia

Tirpitz, navio da 2ª Guerra Mundial camuflado na Noruega

Mas aviões de reconhecimento aliados acabaram encontrando o navio e os ataques começaram. Os alemães, no entanto, tinham um plano: produzir grandes quantidades de névoa artificial para esconder o navio dos aviões. E é nesse ponto que os anéis de árvores entram em cena.

Os efeitos

“A fumaça lançada nas florestas em volta do fiorde danificou pinheiros e bétulas próximas, deixando para trás uma ‘impressão digital’ distintiva e incomum”, disse St. George.

O estudo dos anéis nas árvores, chamado dendrocronologia – literalmente, “medição cronológica de árvores” – é usado por cientistas do clima para traçar mudanças de temperatura, das chuvas ou do curso de rios. A medição permite conseguir dados de centenas e até milhares de anos atrás.

Os círculos concêntricos encontrados em troncos, portanto, podem ajudar a estabelecer a idade de edifícios, naufrágios, instrumentos musicais, molduras de pinturas ou outros artefatos feitos de madeira proveniente de zonas temperadas.

Como as árvores nos trópicos crescem continuamente, geralmente não produzem os anéis, que são resultados de surtos de crescimento durante a primavera e o verão.

Para investigar mais, Hartl voltou à cena da batalha para tentar entender os efeitos na vegetação. A cientista estabeleceu cinco locais para a recolha de dados na área onde o Tirpitz esteve ancorado. A distância entre a região e os lugares variava de alguns metros a até dez quilômetros.

Perto de onde o navio se escondeu, mais de 60% das árvores praticamente não apresentaram crescimento em 1945. Todas foram afetadas de alguma forma. Lacunas na floresta onde árvores jovens surgiram na década de 1950 sugerem que o nevoeiro químico também causou fatalidades na vegetação.

A quatro quilômetros de distância, mais de metade das árvores foi severamente afetada, levando oito anos em média para se recuperarem totalmente. Os pinheiros, que conseguem manter suas folhas por até sete anos, foram as árvores mais atingidas.

O nevoeiro artificial que afetou as árvores era provavelmente composto de ácido clorossulfúrico, que ao ser misturado com água produz um vapor espesso e branco. Os navios alemães costumavam ter equipes especiais com máscaras de gás para gerar esse tipo de nevoeiro artificial.

O Tirpitz

Apesar da técnica, o Tirpitz acabou não escapando para sempre da aviação aliada. Lançado em 1941 pela Kriegsmarine, o Tirpitz fazia parte da mesma classe de navios de guerra do célebre Bismarck – que também foi alvo de uma caçada implacável por parte dos Aliados. Só que ao contrário do Bismarck, o Tirpitz nunca viu muita ação no mar – foi usado mais como uma arma para dissuadir navios aliados a penetrarem no mar Báltico.

O nome do navio era uma homenagem ao almirante Alfred von Tirpitz, o arquiteto da antiga marinha imperial alemã. Em outubro de 1944, o navio foi enviado para outro fiorde da Noruega, nos arredores de Tromso. Dessa vez, o nevoeiro artificial não foi suficiente para esconder o navio.

No mês seguinte, o navio foi finalmente afundado por um esquadrão de 32 bombardeiros britânicos Lancaster. Cerca de mil tripulantes morreram no ataque. Nos anos 1950, os restos do navio foram retirados em operações para recuperar sucata.

Ciberia // ZAP / Deutsche Welle

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudos corroboram correlação entre tipo sanguíneo e risco de covid-19

A suscetibilidade ao contágio com o vírus Sars-Cov-2 pode variar segundo o grupo sanguíneo: os indivíduos do grupo O tendem a um menor risco, enquanto os demais estão também potencialmente mais expostos a quadros clínicos …

Bolsonaro reforça que brasileiro não será obrigado a tomar vacina contra a COVID-19

Declaração do presidente acontece três dias depois de o governador João Doria informar que vacinação será obrigatória no estado de São Paulo. O presidente Jair Bolsonaro reforçou hoje (19) na saída do Palácio da Alvorada o …

Engenheiros criam sabre de luz real de plasma retrátil de 2.200°C que corta aço

Os engenheiros por trás do canal do YouTube “The Hacksmith” criaram o sabre de luz de “Star Wars” no mundo real que é quente o suficiente para derreter aço e até titânio em segundos. James Hobson, …

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …