Boris Johnson pede cautela diante do fim de restrições anti-covid

number10gov / Flickr

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson

Aguardado “Dia da Liberdade” chega na Inglaterra, com o fim de medidas restritivas como a obrigatoriedade de máscaras. Em meio a infecções em alta, premiê afirma que é preciso cautela e alerta para risco de variantes.

Após mais de um ano de restrições anti-covid, a Inglaterra põe fim às últimas medidas nesta segunda-feira (19/07), em meio a infecções em alta no país. Na véspera do apelidado “Dia da Liberdade”, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pediu que a população aja com cautela.

A decisão do premiê de remover as restrições em prol da economia, prejudicada por uma série de lockdowns impostos desde março do ano passado, marca um novo capítulo na resposta global à pandemia de covid-19. Se as vacinas continuarem se mostrando eficazes contra casos graves e mortes mesmo que as infecções aumentem, a decisão de Johnson poderia servir de exemplo para outros países em que grande parte da população já foi vacinada.

Mas a estratégia é considerada arriscada, em meio a temores de que uma variante capaz de resistir a vacinas possa surgir ou de que, com a disseminação da contagiosa variante delta, os casos voltem a subir de tal maneira que a economia tenha que parar novamente. Diante das preocupações, Johnson pediu que a população adote uma abordagem cuidadosa perante a reabertura.

“Se não fizermos isso agora, nos perguntaremos: quando o faremos?“, disse o premiê numa mensagem em vídeo gravada neste domingo, afirmando que o vírus teria a “vantagem do clima frio” no outono e no inverno.

“Este é o momento certo, mas temos que fazê-lo com cautela. Temos que lembrar que, infelizmente, esse vírus ainda está entre nós. Os casos estão aumentando, podemos ver a infecciosidade extrema da variante delta”, prosseguiu.

Infecções em alta

O Reino Unido tem o sétimo maior número de mortes em decorrência da covid-19 no mundo, com mais de 128 mil vidas perdidas. A taxa de contágio britânica está atualmente entre as mais altas do mundo, com 665,22 novos casos diários por milhão de habitantes, acima da do Brasil (192,64). Neste domingo, o Reino Unido contabilizou 48.161 novas infecções, enquanto o Brasil registrou 34.126.

A previsão é que em breve o Reino Unido terá mais novos casos por dia do que no auge da segunda onda do vírus no país, no início deste ano.

Ao mesmo tempo, 87% da população adulta britânica já recebeu pelo menos uma dose de vacina contra a covid-19, e mais de 68% estão completamente vacinados. As mortes registradas por dia estão na casa dos 40, apenas uma fração das 1.800 que o país chegou a registrar em janeiro.

Centenas de milhares em isolamento

A partir desta segunda, serão extintas as exigências de uso de máscara em lojas e outros espaços fechados, assim como limites de ocupação em bares e restaurantes e regras sobre o número máximo de pessoas que podem se reunir. Johnson é responsável pelas restrições na Inglaterra, enquanto os governos da Escócia, do País de Gales e da Irlanda do Norte determinam suas próprias políticas.

Em meio à reabertura da economia, as dezenas de milhares de novas infecções registradas a cada dia vêm forçando centenas de milhares de trabalhadores a se isolarem – ou por terem contraído o vírus ou por terem tido contato próximo com pessoas infectadas. Estabelecimentos tiveram que fechar, e serviços ferroviários foram cancelados devido à falta de pessoal.

A questão respingou no próprio Johnson neste fim de semana. O premiê e seu ministro das Finanças, Rishi Sunak, estão entre os em autoisolamento no país, após o ministro da Saúde, Sajid Javid, testar positivo para o coronavírus no sábado. O plano inicial para Johnson e Sunak escaparem dos dez dias de quarentena, fazendo testes diários, foi abandonado no domingo, após uma chuva de críticas.

Esse foi último de uma série de episódios que minou a confiança da população na gestão da pandemia pelo governo. Mas o sucesso da campanha de vacinação contou pontos para Johnson.

No entanto, o principal assessor médico do governo alertou que a crise sanitária pode voltar a se agravar rapidamente. O próprio Johnson também ressaltou que há o risco de novas variantes e apelou para que os cidadãos recebam as duas doses da vacina.

“Acima de tudo, por favor, por favor, quando forem solicitados a receber a segunda dose, por favor o façam“, disse o primeiro-ministro.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

“Bolsonaro não está dando os anéis, mas os dedos para tentar salvar o braço”, diz cientista política

O novo ministro super poderoso do governo de Jair Bolsonaro, Ciro Nogueira, nomeado para a Casa Civil, toma posse esta semana. Apesar de todo o fisiologismo, a analista Graziella Testa, da Escola de Políticas …

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …