Buracos negros podem reanimar estrelas mortas

A. Hobart / NASA

Imagem ilustrativa de um buraco negro interagindo com uma anã branca

Um encontro inesperado com um buraco negro pode reanimar, ainda que momentaneamente, uma estrela morta. De acordo com um novo estudo, por breves e cintilantes instantes, uma estrela pode renascer.

Uma equipe de astrônomos conduziu simulações de computador para determinar o que acontece a um corpo celeste morto – conhecido como anã branca – quando passa perto de um buraco negro de massa intermédia – cerca de mil a 10 mil vezes a massa do Sol.

Os cientistas concluíram que a poderosa gravidade do buraco negro pode esticar e distorcer tão drasticamente as entranhas da anã branca que os processos de fusão nuclear podem recomeçar, mesmo que por breves instantes, convertendo hélio, carbono e oxigênio em elementos mais pesados, como o ferro.

O violento cataclismo – apelidado de TDE (tidal disruption event; em português: evento de perturbação por forças de maré) – também pode gerar ondas gravitacionais, as ondulações no espaço-tempo previstas por Albert Einstein há cerca de um século e detectadas diretamente pela primeira vez em 2015 pelo LIGO (Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory).

Provavelmente, o LIGO não será capaz de detectar essas ondas gravitacionais em particular, de acordo com os pesquisadores do estudo. Contudo, instrumentos do futuro – como a Antena Espacial do Interferômetro Laser da Agência Espacial Europeia, que pode ser lançada em 2034 – já podem ser capazes de fazer a identificação.

Enormes quantidades de material estelar – que é como quem diz estrelas anãs “desmembradas” – podem ser sugadas por buracos negros “assassinos”, provocando fortes rajadas de radiação que os telescópios atuais são capazes de detectar.

O novo estudo, disponibilizado para pré-visualização há duas semanas no arXiv.org, sugere uma nova forma de lidar com os buracos negros de tamanho médio, que têm se mostrado surpreendentemente difíceis de estudar.

Os astrônomos já encontraram vários buracos negros pequenos (de massa estelar) e buracos negros supermassivos, que contêm milhões de massas solares e são conhecidos por se esconderem no coração da maioria das galáxias – se não de todas.  No entanto, seus “primos”, os buracos negros de massa intermédia, continuam indescritíveis.

“É importante saber quantos buracos negros intermédios existem, pois o número nos ajudará a responder à questão de onde vêm os buracos negros supermassivos”, sustentou Chris Fragile, coautor do estudo e professor de Física e Astronomia no College of Charleston, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

“Encontrar buracos negros intermédios em vez de eventos de perturbação por forças de maré seria um enorme avanço”, sustentou.

No estudo, os pesquisadores notaram ainda que os buracos negros supermassivos não são bons desruptores e, provavelmente, devorariam a anã branca antes mesmo de conseguir perturbá-la consideravelmente.

O trabalho vai além do interesse acadêmico, uma vez que descreve um cenário no qual o próprio Sol pode acabar em um futuro distante.

Cada estrela que começa sua vida com cerca de 8 massas solares ou menos vai acabar como uma anã branca superdensa. Este mesmo destino aguarda o nosso sol daqui a 5 bilhões de anos ou mais. Depois do Sol esgotar seu combustível de hidrogênio, o astro vai aumentar de tamanho e forma, tornando-se um gigante vermelho que acabará por colapsar em uma anã branca.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

‘Grande ameaça à saúde pública’: cientistas descobrem mutação resistente a remédio contra a malária

Pesquisadores em Ruanda identificaram uma cepa do parasita causador da malária que é resistente a medicamentos. O estudo, publicado na revista Nature, revelou que os parasitas eram capazes de resistir ao tratamento com a artemisinina, um …

Brasil, um ano no foco da crítica ambiental mundial

Em agosto de 2019, país virou pária ambiental devido a incêndios e aumento do desmatamento. Bolsonaro reagiu com agressividade e insultos. Agora, aumenta a pressão de investidores estrangeiros por uma mudança de rumo. Foi uma catástrofe …

Com medo da Covid-19, Venezuela discrimina venezuelanos que voltam ao país

Várias medidas vêm sendo aplicadas na Venezuela para conter a Covid-19. Um estádio foi transformado em hospital de campanha, blocos de concreto foram colocados nas vias, festas estão proibidas e há um canal de …

Centro Gamalei, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente

O diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei falou sobre os testes da vacina, que será registrada oficialmente na quarta-feira (12). As partículas do coronavírus na vacina da COVID-19 não podem prejudicar …

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …

Emocionante avanço da teoria para a realidade: bizarro efeito quântico é observado

No núcleo toda estrela anã branca — o denso resto de uma estrela que queimou todo seu combustível — existe um fenômeno quântico enigmático: enquanto ganha massa ela reduz de tamanho chegando a um ponto …

Estudo prevê 300 mil mortes por covid até fim do ano nos EUA

Pesquisadores da Universidade de Washington pintam cenário sombrio caso restrições não sejam respeitadas. Enquanto primeiros epicentros registram queda, outros estados americanos divulgam taxas de infecções recordes. A epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos …

Coronavírus: Exportações devem cair mais de 20% na América Latina, diz ONU

As exportações da América Latina e do Caribe podem cair mais de 20% em 2020 devido às consequências da pandemia do coronavírus, que também terá um impacto negativo nas importações, disse uma agência da …

O que é nitrato de amônio, que pode provocar explosões como a de Beirute?

A recente tragédia no país árabe trouxe de novo à tona preocupações sobre o armazenamento do perigoso material, tornando necessário saber como esses incidentes ocorrem para os prevenir. A explosão de nitrato de amônio em Beirute, …

Astrônomos descobrem nuvens gigantes "escondidas" em Vênus há 35 anos

Uma equipe de astrônomos encontrou nuvens venenosas, com gotas de ácido sulfúrico em sua formação, em meio à densa atmosfera de Vênus. Curiosamente, essas nuvens já estavam presente na atmosfera venusiana há pelo menos 35 anos, …