Cientistas identificam a fonte física da ansiedade no cérebro

Uma nova pesquisa sobre a base neurológica da ansiedade no cérebro identificou “células ansiosas” localizadas no hipocampo – que não só regulam comportamentos de ansiedade, como podem ser controladas por um feixe de luz.

As descobertas, até agora demonstradas em experiências com ratos de laboratório, podem oferecer esperança para os milhões de pessoas em todo o mundo que têm desordens de ansiedade (incluindo um em cada cinco adultos nos EUA), ao levar a novas drogas que silenciam estes neurónios que controlam a ansiedade.

Os resultado do estudo foram publicados esta semana na revista Neuron.

“Queríamos compreender onde a informação emocional que entra na sensação de ansiedade está codificada dentro do cérebro”, explicou o neurocientista Mazeen Kheirbe, da Universidade da California, em São Francisco, e que faz parte da equipe de pesquisa.

Para descobrir, a equipe utilizou uma técnica chamada “imagem de cálcio“, inserindo miniaturas de microscópios nos cérebros dos ratos para gravar a atividade das células no hipocampo, enquanto os animais andavam nas gaiolas.

No entanto, não eram gaiolas comuns. A equipe construiu labirintos onde alguns percursos levavam a espaços abertos e plataformas elevadas – ambientes expostos conhecidos por induzir ansiedade em ratos devido ao aumento da vulnerabilidade destes animais face a predadores.

Longe da segurança das paredes, algo se desligou nos cérebros dos ratos – com os observadores notando que as células em uma parte do hipocampo chamada ventral CA1 (vCA1) dispararam. Quanto mais ansiosos os ratos ficavam, mais a atividade neural se intensificava.

“Chamamos essas de células da ansiedade porque só disparam quando os animais estão em locais que, para eles, são assustadores”, explicou o pesquisador sênior Rene Hen da Universidade de Columbia.

A saída das células foi atribuída ao hipotálamo, uma região do cérebro que, entre outras coisas, regula os hormônios que controlam as emoções. Como o processo de regulação opera também em pessoas, e não apenas em ratos, os cientistas formularam a hipótese de que os neurônios da ansiedade poderiam também fazer parte da biologia humana.

“Agora que descobrimos essas células no hipocampo, isso nos abre uma nova área para explorar ideias de tratamento que não sabíamos que existiam antes”, disse a cientista Jessica Jimenez, que também fez parte da pesquisa.

O mais excitante de tudo isto é que os cientistas já descobriram uma forma de controlar as células de ansiedade, pelo menos em ratos, ao ponto de ser observável mudanças no comportamento dos animais.

Através da utilização de uma técnica chamada optogenética, os cientistas puseram um feixe de luz nas células da região vCA1 e conseguiram silenciar as células ansiosas. “Se as desligarmos, os animais se tornarão menos ansiosos?”, perguntou Kheirbek.

“O que descobrimos foi que, efetivamente, os ratos se tornaram menos ansiosos e mostraram tendência de querer explorar os espaços abertos cada vez mais”. Mas este interruptor não funciona apenas em um sentido.

Ao alterarem as definições da luz, os cientistas também conseguiram melhorar a atividade das células, provocando tremores nos animais mesmo quando estavam perfeitamente seguros e rodeados por paredes – não que a equipe acredite que a vCA1 é a única região cerebral envolvida nisto.

“Essas células são provavelmente apenas uma parte de um extenso circuito através do qual o animal aprende mais sobre a ansiedade”, explicou Kheirbek, alertando que outras células neurais justificam estudos adicionais.

De qualquer forma, o próximo passo será entender se o mesmo controle funciona nos humanos e, com base no que sabemos sobre as similaridades com os ratos, isso parece plausível.

Se isso acontecer, os resultados abririam um nova pesquisa sobre formas de tratar a ansiedade. E isso é algo pelo qual todos devíamos agradecer.

Ciberia // Science Alert / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Plataforma de gelo no Canadá quebra e cria iceberg pouco menor que Vitória, do Espírito Santo

Após um aquecimento de cerca de 9 ºC nas últimas décadas, a Milne, considerada "a última plataforma de gelo completa" no mundo, perdeu uma grande parte, formando um iceberg. Uma das maiores plataformas de gelo no …

Cientistas propõe adicionar drogas psicoativas na água potável

Pesquisadores do Reino Unido propuseram uma idéia radical para reduzir a taxa de suicídios: incluir o medicamento psicoativo lítio — um estabilizador de humor — na água potável da população. Parece uma idéia completamente radical, mas …

Magnata da mídia é preso em Hong Kong

Jimmy Lai, crítico do regime de Pequim e proprietário de jornal pró-democracia, foi detido com base em nova lei de segurança nacional imposta pela China. O empresário Jimmy Lai, uma das figuras mais influentes do movimento …

Twitter entra na briga pela compra do TikTok e pode fundir redes sociais

O banimento do TikTok nos Estados Unidos virou uma verdadeira novela mexicana. O aplicativo chinês, que tem até 45 dias para encontrar uma companhia americana para assumir suas operações no país e não ser bloqueado …

Motoboy é vítima de racismo de homem branco: "Você tem inveja disso aqui [minha cor]"

A manhã de sexta-feira (7) começou com mais um caso de racismo no Brasil. Um vídeo que viralizou no Twitter registra um homem branco fazendo injúrias raciais contra um entregador de delivery. As fortes imagens são …

‘Grande ameaça à saúde pública’: cientistas descobrem mutação resistente a remédio contra a malária

Pesquisadores em Ruanda identificaram uma cepa do parasita causador da malária que é resistente a medicamentos. O estudo, publicado na revista Nature, revelou que os parasitas eram capazes de resistir ao tratamento com a artemisinina, um …

Brasil, um ano no foco da crítica ambiental mundial

Em agosto de 2019, país virou pária ambiental devido a incêndios e aumento do desmatamento. Bolsonaro reagiu com agressividade e insultos. Agora, aumenta a pressão de investidores estrangeiros por uma mudança de rumo. Foi uma catástrofe …

Com medo da Covid-19, Venezuela discrimina venezuelanos que voltam ao país

Várias medidas vêm sendo aplicadas na Venezuela para conter a Covid-19. Um estádio foi transformado em hospital de campanha, blocos de concreto foram colocados nas vias, festas estão proibidas e há um canal de …

Centro Gamalei, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente

O diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei falou sobre os testes da vacina, que será registrada oficialmente na quarta-feira (12). As partículas do coronavírus na vacina da COVID-19 não podem prejudicar …

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …