Cúpula das Coreias: terra de paz, visita inédita a Seul e candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos

Pyongyang Press Corps / Pool / EPA

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, com o líder norte-coreano, Kim Jong-un

Os líderes das duas Coreias se comprometeram em fazer da península coreana “uma terra de paz”, com o Norte disposto a avançar com o desmantelamento do seu programa nuclear, se os EUA também tomarem “medidas proporcionais”.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, concordou em acabar de forma permanente o principal complexo nuclear em Nyonbyon, se os EUA tomarem “medidas proporcionais”, e em fechar instalações de testes em Punggye-ri e lançamento de mísseis em Sohae.

O desmantelamento do complexo de Yongbyon, epicentro do programa nuclear do país, fica dependente de “medidas proporcionais” a serem tomadas pelos EUA, assim como firmado na cúpula de Cingapura, que decorreu em junho e que uniu o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente dos EUA, Donald Trump.

Na declaração conjunta assinada por Kim Jong-un e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, no encontro que decorre em Pyongyang, reafirma-se o compromisso de eliminar armas nucleares da península coreana e enfatiza-se a importância de fazer progressos reais assim que possível.

A decisão de Kim Jong-un em acabar permanentemente com as principais instalações de testes e de lançamento de mísseis perto de fronteira com a China é o passo mais concreto nos dois dias da reuniões entre os dois líderes, embora deixe medidas adicionais relacionadas com a desnuclearização dependentes de Washington.

Os dois líderes, Kim e Moon, concordaram em promover esforços conjuntos para garantir uma península coreana livre de armas nucleares.

Visita inédita a Seul

A Coreia do Norte tem exigido ao longo dos anos uma declaração formal do fim da Guerra da Coreia, que foi interrompida em 1953 por um cessar-fogo, mas nenhum dos líderes mencionou esse fato. “Concordamos em fazer da península coreana uma terra de paz, livre de armas nucleares e ameaça nuclear”, disse Kim ao lado de Moon.

“O caminho para o nosso futuro nem sempre será tranquilo e podemos enfrentar desafios e provações que não podemos antecipar. Mas não temos medo de ventos contrários, porque a nossa força crescerá à medida que superamos cada tentativa com base na força de nossa nação”, acrescentou.

Na declaração conjunta, Kim Jong-un prometeu visitar Seul “em um futuro próximo”, o que, se acontecer, o tornará o primeiro líder norte-coreano a visitar a capital da Coreia do Sul desde que a península foi dividida, no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Seu falecido pai, Kim Jong-il, prometeu fazê-lo quando líderes sul-coreanos o visitaram em Pyongyang, em 2000 e 2007, mas a viagem a Seul nunca aconteceu.

Acordo para reduzir tensões militares na fronteira

No mesmo dia, o ministro interino da Defesa sul-coreano, Song Young-moo, e o norte-coreano, No Kwang-chol, assinaram o acordo no quadro da cúpula que reuniu os líderes dos dois Estados e que se prolonga até quinta-feira.

De acordo com o documento, os dois países vão suspender – a partir de 1 de novembro – as respectivas manobras junto à fronteira terrestre e eliminar 11 postos militares de fronteira até o final do ano.

As duas Coreias vão estabelecer também uma zona de restrição aérea junto à linha de divisão e determinar uma zona próxima à fronteira marítima em que serão proibidas manobras navais. O mesmo documento refere que o acordo assinado nesta quarta-feira (18) prevê o alívio da tensão militar entre os dois países.

A declaração conjunta prevê também aumentar as trocas transfronteiriças no sentido do desenvolvimento econômico comum e, em concreto, vai empreender ligações ferroviárias e rodoviárias antes do final do ano.

Por último, foi decidido promover reuniões de famílias separadas pela guerra, através de ligações em vídeo e a abertura de um gabinete na cidade fronteiriça norte-coreana para que os civis dos dois países possam localizar familiares.

Candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos de 2032

Além de todos estes compromissos, as duas Coreias decidiram avançar com uma candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos de 2032, noticiou a Associated-Press (AP).

De acordo com a AP, os dois líderes também concordaram em colaborar, em breve, em outros grandes eventos esportivos, como nos Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio.

A proposta de uma organização conjunta já havia sido anunciada, na semana passada, pelo ministro do Desporto sul-coreano. “Vou fazer essa proposta ao Norte em nome da paz. Seul e Pyongyang organizarão os jogos em conjunto“, disse Do Jong-hwan.

As duas Coreias já tinham discutido a possibilidade de sediar conjuntamente os Jogos Olímpicos de 1988, mas as negociações fracassaram e Seul acabou por avançar sozinha.

Uma nova era vigora no relacionamento entre os dois vizinhos, que chegaram a formar uma equipe unificada de hóquei no gelo para os Jogos Olímpicos de Inverno, que a Coreia do Sul organizou em fevereiro.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …