Cúpula das Coreias: terra de paz, visita inédita a Seul e candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos

Pyongyang Press Corps / Pool / EPA

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, com o líder norte-coreano, Kim Jong-un

Os líderes das duas Coreias se comprometeram em fazer da península coreana “uma terra de paz”, com o Norte disposto a avançar com o desmantelamento do seu programa nuclear, se os EUA também tomarem “medidas proporcionais”.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, concordou em acabar de forma permanente o principal complexo nuclear em Nyonbyon, se os EUA tomarem “medidas proporcionais”, e em fechar instalações de testes em Punggye-ri e lançamento de mísseis em Sohae.

O desmantelamento do complexo de Yongbyon, epicentro do programa nuclear do país, fica dependente de “medidas proporcionais” a serem tomadas pelos EUA, assim como firmado na cúpula de Cingapura, que decorreu em junho e que uniu o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente dos EUA, Donald Trump.

Na declaração conjunta assinada por Kim Jong-un e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, no encontro que decorre em Pyongyang, reafirma-se o compromisso de eliminar armas nucleares da península coreana e enfatiza-se a importância de fazer progressos reais assim que possível.

A decisão de Kim Jong-un em acabar permanentemente com as principais instalações de testes e de lançamento de mísseis perto de fronteira com a China é o passo mais concreto nos dois dias da reuniões entre os dois líderes, embora deixe medidas adicionais relacionadas com a desnuclearização dependentes de Washington.

Os dois líderes, Kim e Moon, concordaram em promover esforços conjuntos para garantir uma península coreana livre de armas nucleares.

Visita inédita a Seul

A Coreia do Norte tem exigido ao longo dos anos uma declaração formal do fim da Guerra da Coreia, que foi interrompida em 1953 por um cessar-fogo, mas nenhum dos líderes mencionou esse fato. “Concordamos em fazer da península coreana uma terra de paz, livre de armas nucleares e ameaça nuclear”, disse Kim ao lado de Moon.

“O caminho para o nosso futuro nem sempre será tranquilo e podemos enfrentar desafios e provações que não podemos antecipar. Mas não temos medo de ventos contrários, porque a nossa força crescerá à medida que superamos cada tentativa com base na força de nossa nação”, acrescentou.

Na declaração conjunta, Kim Jong-un prometeu visitar Seul “em um futuro próximo”, o que, se acontecer, o tornará o primeiro líder norte-coreano a visitar a capital da Coreia do Sul desde que a península foi dividida, no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Seu falecido pai, Kim Jong-il, prometeu fazê-lo quando líderes sul-coreanos o visitaram em Pyongyang, em 2000 e 2007, mas a viagem a Seul nunca aconteceu.

Acordo para reduzir tensões militares na fronteira

No mesmo dia, o ministro interino da Defesa sul-coreano, Song Young-moo, e o norte-coreano, No Kwang-chol, assinaram o acordo no quadro da cúpula que reuniu os líderes dos dois Estados e que se prolonga até quinta-feira.

De acordo com o documento, os dois países vão suspender – a partir de 1 de novembro – as respectivas manobras junto à fronteira terrestre e eliminar 11 postos militares de fronteira até o final do ano.

As duas Coreias vão estabelecer também uma zona de restrição aérea junto à linha de divisão e determinar uma zona próxima à fronteira marítima em que serão proibidas manobras navais. O mesmo documento refere que o acordo assinado nesta quarta-feira (18) prevê o alívio da tensão militar entre os dois países.

A declaração conjunta prevê também aumentar as trocas transfronteiriças no sentido do desenvolvimento econômico comum e, em concreto, vai empreender ligações ferroviárias e rodoviárias antes do final do ano.

Por último, foi decidido promover reuniões de famílias separadas pela guerra, através de ligações em vídeo e a abertura de um gabinete na cidade fronteiriça norte-coreana para que os civis dos dois países possam localizar familiares.

Candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos de 2032

Além de todos estes compromissos, as duas Coreias decidiram avançar com uma candidatura conjunta aos Jogos Olímpicos de 2032, noticiou a Associated-Press (AP).

De acordo com a AP, os dois líderes também concordaram em colaborar, em breve, em outros grandes eventos esportivos, como nos Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio.

A proposta de uma organização conjunta já havia sido anunciada, na semana passada, pelo ministro do Desporto sul-coreano. “Vou fazer essa proposta ao Norte em nome da paz. Seul e Pyongyang organizarão os jogos em conjunto“, disse Do Jong-hwan.

As duas Coreias já tinham discutido a possibilidade de sediar conjuntamente os Jogos Olímpicos de 1988, mas as negociações fracassaram e Seul acabou por avançar sozinha.

Uma nova era vigora no relacionamento entre os dois vizinhos, que chegaram a formar uma equipe unificada de hóquei no gelo para os Jogos Olímpicos de Inverno, que a Coreia do Sul organizou em fevereiro.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bolsonaro chama manifestantes pró-democracia de "viciados" e "marginais"

Em live, presidente pede que seus apoiadores não participem de atos contra o governo, convocados por torcidas e movimentos sociais para o próximo domingo, e volta a classificar grupos "antifa" de terroristas. O presidente Jair Bolsonaro …

Mistério da química solucionado ao descobrir a estrutura do nitrogênio “negro”

Elementos leves da tabela periódica como carbono e oxigênio seguem a regra de ter estrutura similar aos elementos mais pesados da mesma família, quando em alta pressão. Mas, até agora, o hidrogênio tinha um comportamento …

SoftBank anuncia fundo voltado a empresas lideradas por negros

O SoftBank anunciou que fará um fundo de investimento voltado a empresas lideradas por negros. Segundo o TechCrunch, o comunicado foi feito em uma carta aos funcionários do banco de investimentos assinada pelo COO, Marcelo …

Madeleine McCann: a reviravolta que levou a polícia a crer que menina desaparecida há 13 anos está morta

A menina britânica Madeleine McCann, que desapareceu em Portugal em 2007 em um caso de grande repercussão na Europa, está provavelmente morta, segundo promotores alemães que investigam o caso. Um alemão de 43 anos está sendo …

Globonews escala só jornalistas negros em programa após críticas por representatividade

Após receber críticas justas nas redes sociais por debater a pauta do racismo e os protestos gerados após o assassinato de George Floyd pelo policial branco David Chauvin em Minneapolis, Minessota, sem a presença de …

Paleontologistas descobrem 'última refeição' de dinossauro que viveu há 110 milhões de anos

Uma equipe de pesquisadores do Canadá reconstituiu o estômago de um dinossauro herbívoro, o melhor preservado de sempre. Uma equipe de paleontologistas canadenses conseguiu reconstruir o conteúdo do estômago de um dinossauro herbívoro que viveu no …

Estudo que desencoraja uso de hidroxicloroquina é alvo de investigações

Nesta quarta-feira (3), a Organização Mundial da Saúde anunciou que vai retomar os testes com o medicamento hidroxicloroquina, um dos mais cotados atualmente como possível auxiliar na luta contra a COVID-19. A notícia pegou muita gente …

Donald Trump diz por que estava em bunker subterrâneo em meio a protestos

Em meio aos protestos violentos e pacíficos que têm varrido os EUA após a morte do afro-americano George Floyd, surgiram relatos de que Trump se escondeu dos manifestantes em um bunker. Donald Trump atacou como "falsa" …

EUA: 4 policiais são acusados pela morte de George Floyd

O policial de Minneapolis que se ajoelhou sobre o pescoço de George Floyd provocando sua morte será acusado de assassinato em segundo grau. Seus três colegas também serão julgados, disse a senadora americana Amy …

Governo destina verba publicitária a canais de conteúdo inadequado

Em apenas 38 dias, o governo de Jair Bolsonaro publicou mais de 2 milhões de anúncios em canais na internet com "conteúdos inadequados", segundo mostrou um relatório da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das …