“Davos do deserto” atrai Bolsonaro e empresários à Arábia Saudita, apesar de execução de jornalista

ABr

Jair Bolsonaro

Dirigentes do alto escalão americano, grandes empresários e chefes de Estado, como o brasileiro Jair Bolsonaro, prestigiam nesta segunda-feira (29) o “Davos do deserto”, um fórum econômico promovido pela Arábia Saudita.

O reino deseja recuperar o fracasso do evento de 2018, que foi boicotado pela comunidade internacional em decorrência do assassinato do jornalista opositor Jamal Khashoggi.

Cerca de 300 participantes de 30 países confirmaram presença na Iniciativa de Investimento Futuro (FII, na sigla em inglês), nome oficial do fórum, uma vitrine da Arabia Saudita enquanto economia dinâmica do Oriente Médio e aberta a investidores estrangeiros.

O conselheiro e genro do presidente americano, Jared Kushner, próximo do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman, é uma das presenças ilustres do evento, assim como os secretários do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, e da Energia, Rick Perry.

“Para os Estados Unidos, há dois pesos e duas medidas em relação à Arábia Saudita. Todo mundo sabe que o príncipe herdeiro Salman ordenou a execução de Khashoggi, mas não houve nenhuma sanção contra ele”, ressalta Ardavan Amir-Aslani, advogado especialista em negócios com o Oriente Médio, em entrevista à RFI.

“Isso acontece pura e simplesmente para atender à vontade de fazer negócios com os sauditas. Quando o premiê indiano afirma que vai comparecer, sabemos perfeitamente que é para evitar uma maior aproximação entre a Arábia Saudita e o Paquistão”, sublinha.

Direitos humanos de lado

Além de Bolsonaro, comparecem o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, o rei da Jordânia, Abdallah II, e diversos presidentes africanos.

Os CEOs do Blackstone Group e do SoftBank Group, grandes firmas de investimentos, e os presidentes dos fundos soberanos do Kuwait, dos Emirados Árabes Unidos, de Cingapura e da Rússia também estarão presentes.

A agenda oficial divulgada pelo Planalto indica apenas dois compromissos de Bolsonaro: uma reunião com o presidente do grupo Goldman & Sachs, John Waldron, e o jantar oficial oferecido pelo reino aos chefes de Estado e de Governo.

“O FII deste ano é muito diferente do ano passado. As ameaças de sanções à Arábia Saudita pelas questões de direitos humanos passaram”, explica à AFP o analista Ryan Bohl, da consultoria americana Stratfor. “Muitos dirigentes não têm nenhum escrúpulo de se aproximar da Arábia Saudita neste ano.”

Em 2018, o fórum aconteceu pouco depois do assassinato chocante do jornalista Khashoggi, em pleno consulado saudita em Istambul. O crime provocou uma comoção mundial – o opositor foi decapitado e seu corpo, desmembrado.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Príncipe Andrew vira centro de escândalo sexual

O príncipe Andrew do Reino Unido comunicou nesta quarta-feira (20/11) que decidiu se afastar da vida pública após o agravamento da controvérsia em torno de seu envolvimento com o milionário americano Jeffrey Epstein, acusado de …

Brasil é o maior hub de fintech da América Latina

O Brasil é o maior país da América Latina — tanto em massa quanto em população — e ocupa uma posição influente no cenário global. Depois dos Estados Unidos, o Brasil lidera a lista do …

Entomólogo dos EUA acredita ter identificado fósseis de insetos em Marte

O entomólogo William Romoser, professor emérito da Universidade de Ohio (EUA), analisou fotos captadas por rovers da NASA em Marte e afirma ter achado nelas fósseis de insetos. Romoser analisou detalhadamente estruturas parecidas a abelhas, bem …

China se irrita com decisão americana sobre Hong Kong e convoca diplomata

Pequim convocou nesta quarta-feira (20) um diplomata do alto escalão dos Estados Unidos após a adoção na terça-feira (19), pelo Senado americano, de um texto que apoia os "direitos humanos e democracia" em Hong Kong. Os …

Porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle recua em novo depoimento

O porteiro que citou o presidente Jair Bolsonaro nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco e do motorista, Anderson Gomes, depôs nesta terça-feira (19/11) à Polícia Federal e recuou da versão que havia …

Anistia Internacional denuncia mais de 100 mortes em protestos no Irã

ONG relata uso de munição real contra manifestantes e diz que total de mortos pode ser ainda maior. Presidente e líder supremo dizem que país teve êxito ao lidar com distúrbios provocados por inimigos externos. A …

Áustria decide sobre polêmica do destino da casa onde nasceu Hitler

Por enquanto, parece ter se encerrado a polêmica sobre qual destino dar à residência onde nasceu Adolf Hitler. O edifício, que fica na Áustria, se tornará uma delegacia de polícia, segundo anunciou o governo austríaco …

Satélites Starlink já estão atrapalhando observações astronômicas

Em maio, Elon Musk garantiu que seus satélites Starlink não causariam impactos nas observações astronômicas — declaração dada pelo Twitter logo após o lançamento dos primeiros 60 satélites do projeto que visa pelo menos 12 …

As celebridades no esporte que adoram poker - 7 esportistas que jogam poker por lazer!

O poker está cada dia mais alcançando um status como esporte e poderá até mesmo se tornar um esporte olímpico. Desde 2009, o poker é considerado mundialmente como um esporte da mente pela International Mind Sports …

Tiro de PM causou morte da menina Ágatha no Rio, aponta inquérito

A Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou nesta terça-feira (19/11) que um cabo da Polícia Militar foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar) pela morte de Ágatha Vitória Sales Félix, de …