Descoberta a evidência mais antiga de atividade humana

Michael Chazan / Universidade Hebraica de Jerusalém

Caverna Wonderwerk.

Uma das atividades mais antigas de humanos foi identificada em uma caverna na África do Sul. Uma equipe de geólogos e arqueólogos encontrou evidências de que nossos ancestrais estavam fazendo fogo e ferramentas na Caverna Wonderwerk no deserto de Kalahari, há cerca de 1,8 milhões de anos.

Um novo estudo publicado na revista Quaternary Science Reviews de pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Universidade de Toronto propõe que Wonderwerk — que significa “milagre” em africâner — contém a evidência mais antiga de atividade humana já descoberta.

“Agora podemos dizer com confiança que nossos ancestrais humanos estavam fazendo ferramentas simples de pedra Oldowan dentro da Caverna Wonderwerk há 1,8 milhões de anos”, compartilhou o principal autor do estudo, professor Ron Shaar, da Universidade Hebraica.

Ferramentas de pedra oldowan são o tipo mais antigo de ferramentas que datam de 2,6 milhões de anos atrás. Uma ferramenta oldowan, que era útil para cortar, foi feita desgastando uma pedra, ao atingí-la com outra pedra.

O professor Shaar explicou que Wonderwerk é diferente de outros locais antigos onde fragmentos de ferramentas foram encontrados porque é uma caverna, não um local ao ar livre, onde as origens das amostras são mais difíceis de identificar e a contaminação é possível.

Estudando a caverna, os pesquisadores foram capazes de descobrir quanto tempo — há mais de um milhão de anos — quando uma mudança nas ferramentas de Oldowan para os primeiros machados pôde ser observada. Investigando mais profundamente na caverna, os cientistas também estabeleceram que o uso proposital do fogo poderia ser datado para um milhão de anos atrás.

Isso é significativo porque exemplos de uso precoce de fogo geralmente vêm de locais ao ar livre, onde há a possibilidade de que eles resultem de incêndios florestais. Os restos de fogueiras antigas em uma caverna — incluindo ossos queimados, cinzas e ferramentas — contêm pistas claras sobre seu propósito.

Para datar precisamente sua descoberta, os pesquisadores contaram com paleomagnetismo e datação funerária para medir sinais magnéticos dos restos escondidos dentro de uma camada de rocha sedimentar de 2,5 metros de espessura. Partículas de argila pré-históricas que se estabeleceram no chão da caverna exibem magnetização e podem mostrar a direção do antigo campo magnético da Terra. Conhecer as datas das inversões de campo magnético permitiu que os cientistas reduzissem a faixa de data das camadas das cavernas.

O professor Ari Matmon, da Universidade Hebraica, usou outro método de datação para solidificar suas conclusões, focando em isótopos dentro de partículas de quartzo na areia que “têm um relógio geológico embutido que começa a funcionar quando entram em uma caverna”. Ele elaborou que, em seu laboratório, os cientistas eram “capazes de medir as concentrações de isótopos específicos nessas partículas e deduzir quanto tempo havia passado desde que esses grãos de areia entraram na caverna”.

Encontrar as datas exatas da atividade humana na Caverna Wonderwerk poderia levar a uma melhor compreensão da evolução humana na África, bem como o modo de vida de nossos ancestrais primitivos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …