Energia ilimitada pode ser alcançada com novo método de extrair urânio do mar

O Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico, PNNL, um laboratório pertencente ao governo dos EUA, em associação com a LCW Supercritical Technologies fez um importante avanço para a indústria nuclear: descobriu um método econômico para extrair urânio a partir da água do mar.

O novo processo utiliza fibras acrílicas de baixo custo e reutilizáveis e pode, um dia, tornar a energia nuclear efetivamente ilimitada. Em um experimento de prova de conceito, os pesquisadores conseguiram extrair 5 gramas de urânio em pó da água do mar comum.

Junto com sal, um litro de água do mar também contém sulfatos, magnésio, potássio, brometo, flúor, ouro e urânio. Não há muito deste último elemento: algo como 3 microgramas por litro. Mas, quando consideramos quão grande o oceano é, o número se torna 500 vezes mais do que poderia ser extraído em terra.

Estamos falando de 4 bilhões de toneladas de urânio, ou o suficiente para operar mil reatores de fissão de 1 gigawatt por 100.000 anos.

O problema é como tirá-lo da água. Uma abordagem desenvolvida anteriormente pelo Instituto de Pesquisa de Energia Atômica do Japão utilizava esteiras de polímero que extraíam os átomos da água oceânica.

A técnica era muito cara, no entanto. Mais tarde, o Laboratório Nacional Oak Ridge dos EUA desenvolveu um processo com polímeros mais barato. Agora, o PNNL e o LCW deram outro passo adiante utilizando fios acrílicos comuns e convertendo-os em uma espécie de absorvente de urânio.

Os detalhes exatos do processo não foram divulgados, mas o PNNL afirmou que a técnica não apenas funciona, como o acrílico pode ser limpo e reutilizado.

Além disso, os pesquisadores dizem que é possível usar fibras residuais para uma maior economia, o que indica que a extração de urânio da água do mar pode ser competitiva com a mineração a preços atuais.

Para o experimento do novo estudo, o fio acrílico foi colocado em tanques com água do mar. À medida que a água fluía, as fibras extraíam o urânio, ligando-o quimicamente a uma molécula. Após o processamento, o resultado foi cinco gramas do elemento.

“Para cada teste, colocamos cerca de 1 kg de fibra no tanque por cerca de um mês e bombeamos a água do mar rapidamente, para imitar as condições do oceano aberto”, explicou Gary Gill, pesquisador do PNNL.

“Desses três primeiros testes, conseguimos cerca de cinco gramas. Pode não parecer muito, mas o processo pode ser escalado”, acrescentou o pesquisador.

LCW Supercritical Technologies

Gary Gill, pesquisador do PNNL, mostra uma porção de urânio extraído a partir da água do mar

O urânio dissolvido na água do mar está em um estado de pseudo-equilíbrio. Isto significa que, enquanto permanecer no nível atual, não será mais absorvido pelas rochas que formam o fundo do mar. Se a extração em larga escala fosse implementada ao longo de milhares de anos, essa concentração cairia e mais urânio seria liberado da rocha.

Além da extração de urânio, o PNNL acredita que sua técnica também possa ser usada para limpar cursos de água contaminados por metais pesados.

O próximo passo do estudo é encontrar financiamento para fazer testes em larga escala nas águas quentes do Golfo do México.

Ciberia // HypeScience / New Atlas

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …