Estados Unidos e Israel saem oficialmente da UNESCO

Albertus teolog / Wikimedia

Placa no edifício sede da UNESCO em Paris

A saída dos Estados Unidos e de Israel da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) tornou-se efetiva na terça-feira (1º), culminando um processo desencadeado em outubro de 2017.

A saída dos dois países é baseada no suposto sentimento anti-Israel da organização, alegado pelas respectivas representações diplomáticas.

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a saída da organização em 12 outubro de 2017, poucas horas antes de anúncio similar feito pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Os EUA invocaram “preocupações com os atrasos crescentes na UNESCO, a necessidade de uma reforma fundamental da organização e o permanente preconceito anti-Israel”.

O embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, disse na terça que o país “não será membro de uma organização cujo objetivo seja deliberadamente agir contra Israel”, dando argumentos aos “inimigos”.

A organização com sede em Paris foi acusada de criticar a ocupação israelense de Jerusalém Oriental, em particular por identificar locais reivindicados por Israel, como herança palestina, além de ter aprovado a plena adesão da Palestina à organização, em 2011, fato que levou os EUA a suspender, desde então, as contribuições financeiras.

Nos últimos anos, a UNESCO aprovou várias resoluções muito criticadas por Israel, como textos que omitem a vinculação judaica à denominada Esplanada das Mesquitas de Jerusalém.

No verão de 2017, a Cidade Velha de Hebrón (Palestina) foi incluída na Lista de Patrimônio Mundial, decisão que levou Israel a anunciar que iria retirar 1 milhão de dólares da sua contribuição para as Nações Unidas.

Desde a chegada de Trump à Casa Branca, no início de 2017, os Estados Unidos se retiraram da UNESCO, cortaram financiamentos a órgãos da ONU e anunciaram sua saída do Acordo de Paris de combate às mudanças climáticas, do acordo nuclear com o Irã, apoiado pela ONU, e do Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas.

Em 1984, durante a administração de Ronald Reagan, os EUA romperam igualmente com a UNESCO, por suposta cedência a interesses soviéticos, em plena Guerra Fria, tendo regressado à organização em 2003.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Há uma espiral misteriosa na atmosfera de Vênus

A nave espacial não tripulada Akatsuki, do Japão, encontrou gigantescas estruturas espirais na atmosfera de Vênus, formadas por ventos polares e pela rápida rotação do planeta. A atmosfera de Vênus ganha atenção de astrônomos há quase …

Tem “barriga de cerveja”? Seu cérebro pode estar encolhendo

Uma equipe de pesquisadores britânicos concluiu que quem acumula mais gordura na zona do abdômen apresenta uma maior probabilidade de redução do cérebro e de aparecimento de demência. Com a linha da cintura em expansão, surgem …

Até os antigos egípcios faziam tarefa de casa

Uma tarefa de casa, escrita por uma criança do Antigo Egito, ficou preservada desde o segundo século a.C. – e as palavras podem parecer familiares até nos dias de hoje. Uma lição antiga preservada em uma …

Dinamarca avança com plano ambicioso de criar 9 ilhas na costa de Copenhague

O governo dinamarquês e a prefeitura de Copenhague, em conjunto com um gabinete de arquitectura e planejamento urbano, vão avançar com um ambicioso plano de criar nove ilhas na costa da capital do país. Um grandioso …

(cv) Euronews

Submarino alemão da Primeira Guerra Mundial aparece na costa da França

Os destroços de um submarino alemão da Primeira Guerra Mundial emergiram em uma praia de Wissant, no norte da França. Há décadas enterrada na areia, a carcaça enferrujada da embarcação naufragada em 1917 agora pode …

Não somos só o que comemos, “somos o que vemos” no dia a dia

No que diz respeito à saúde física, somos o que comemos. Mas e quanto à saúde mental? Segundo o médico David Fryburg, endocrinologista, somos o que vemos. Conforme aponta Fryburg, a comida é uma mistura complicada de fontes …

Detectados misteriosos sinais de rádio de galáxia a 1,5 bilhão de anos-luz

Uma equipe de cientistas do Canadá detectou sinais de rádio provenientes de uma galáxia a 1,5 bilhões de anos-luz de distância da Terra. As rajadas rápidas de rádio, impulsos de energia com duração de apenas alguns …

Companhia aérea portuguesa é a primeira a voar sem qualquer plástico a bordo

A companhia aérea portuguesa Hi Fly tornou-se a primeira do mundo a voar sem qualquer plástico a bordo. A viagem aconteceu no dia 26 de dezembro. De acordo com o comunicado da companhia, o voo teve origem em …

Overstock é a primeira empresa norte-americana a pagar impostos com bitcoins

A Overstock é a primeira empresa norte-americana com presença nacional a anunciar que pagará os impostos no estado do Ohio com bitcoins, opção disponível desde novembro do ano passado. A Fortune informou, na semana passada, que a decisão da …

Jovem que criou plástico de maracujá será a primeira brasileira a assistir ao Nobel

Juliana Davoglio se tornou a primeira jovem brasileira da história a ser selecionada para acompanhar uma cerimônia do Prêmio Nobel. Ela foi a aluna que criou o plástico feito a partir da sobra de Maracujá. A …