Facebook começa a esconder links “caça-cliques” no Brasil

O Facebook está iniciando, no Brasil, os testes de uma ferramenta que tenta conter a proliferação de links “caça-cliques”, com matérias cujos títulos ocultam informações e são voltadas apenas para gerar tráfego nos sites que as publicam.

O sistema automatizado já está em funcionamento há alguns meses nos Estados Unidos, também em caráter de experimentação, e chega agora a outros idiomas, incluindo o português.

Quem usa a rede social sabe exatamente como isso funciona. Títulos como “Esse homem decidiu mudar a sua vida e você não imagina o que aconteceu depois”, focados no sensacionalismo, ou até mesmo textos jornalísticos que deixam de citar informações relevantes – como “Ferramenta online é responsável por golpe” – são comuns.

Para piorar, muitas vezes não entregam o que a expectativa indica, com fatos desinteressantes e texto mal escrito.

De acordo com Greg Marra, diretor de produtos para o feed de notícias do Facebook, o algoritmo funcionará de forma semelhante a um filtro de spam.

Funcionários da rede social criaram uma lista com centenas de manchetes consideradas caça-cliques, a partir de critérios como a omissão de informações, a fonte da postagem e também as páginas responsáveis pelo compartilhamento.

A partir daí, os links podem aparecer com menor destaque na linha do tempo dos usuários, além de surgirem ao lado de outras fontes de informação que podem ser mais relevantes ou verificadas.

A rede social, entretanto, deixa claro que o sistema é automatizado e que, por mais que a categorização inicial tenha sido feita por seres humanos, não existem revisores escolhendo o que ganha destaque ou não dentro do feed.

A iniciativa faz parte de uma série de movimentos do Facebook para evitar a disseminação de informações falsas na rede social. A já citada indicação de outras fontes ao lado de links compartilhados é outra ideia que segue nesse caminho, que começou a ser trilhado apenas agora, com bastante atraso.

Quem acompanhou as eleições americanas – e também as brasileiras – sabe muito bem há quanto tempo isso é um problema e de que forma a opinião pública pode ser manipulada.

Mais do que isso, outro objetivo é atacar a rentabilidade de sites que trabalham com links caça-cliques. O alto tráfego de usuários, para tais páginas, resulta em receitas de publicidade maiores, e até mesmo veículos renomados utilizam desse tipo de estratégia para chamar usuários, alterando manchetes de forma exclusiva para o Facebook.

É uma prática de social media nada recomendada pela empresa, e que, agora, deve ser combatida ativamente.

O Facebook não comentou sobre o sucesso da empreitada, mas a duração de meses dos testes nos EUA e a chegada do sistema a outros idiomas são uma demonstração de que a empresa está vendo o experimento com bons olhos.

Tudo, como sempre afirmam representantes do próprio serviço, para garantir um ambiente saudável e informativo na rede social.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …