Fator inesperado pode estar na base da existência de antiga civilização

Especialistas consideram que o fluxo de frações de poeira grossa favoreceu a fertilidade dos solos, e, dessa forma, a sobrevivência dos primeiros humanos.

Um novo estudo defende que a existência de uma antiga civilização humana poderia ter dependido da qualidade do pó presente em uma região fértil a leste do Mediterrâneo, chamada Levante. Os resultados da pesquisa foram publicados recentemente pela revista científica Geology.

Segundo os especialistas, o Levante serviu como porta de entrada fundamental entre o norte da África e a Eurásia. Contudo, se a fonte de poeira na área não tivesse mudado há 200 mil anos, os primeiros humanos teriam tido mais dificuldade para sair do continente africano.

Ainda assim, os geólogos consideram que a presença de solos grossos no Levante, que tendem a se formarem em climas úmidos, o que facilitou aos primeiros humanos se estabelecerem na área. Diferentemente dos solos finos, que se formam em ambientes áridos com taxas de meteorização (decomposição de minerais e rochas) mais baixas.

Contudo, nos arredores do Mediterrâneo ocorre o contrário. As regiões mais úmidas do norte têm solos finos e improdutivos, enquanto as regiões mais áridas do sudeste têm solos grossos e produtivos.

Papel determinante da entrada do pó

Até o momento, esses padrões eram atribuídos a diferenças nas taxas de erosão impulsionadas pela atividade humana. Porém, a doutora Rivka Amit, do Serviço de Geologia de Israel, considera que a alta taxa de erosão não era uma razão suficiente.

Após a análise de amostras de pó dos solos da região, Amit e sua equipe concluíram que, provavelmente, a entrada de pó representou um papel determinante nas taxas de meteorização quando estas eram muito lentas para formar solos a partir de rochas.

Os geólogos identificaram que os solos finos tinham um tamanho de grão de pó mais fino procedente de desertos distantes como o Saara, diferentemente dos sólidos produtivos, que tinham um pó grosso chamado “loess”, procedente do deserto próximo de Néguev e seus enormes campos de dunas.

Amit considera que a erosão não é tão relevante. “O importante é se você obtém uma afluência de frações [de poeira] grossas. [Sem isso], você obtém solos finos e improdutivos”, agregou a autora do estudo, que comentou ainda que “todo o planeta estava muito empoeirado” naquela época.

Finalmente, os cientistas se surpreenderam ao encontrar solos mais finos debaixo do “loess” identificado no Levante, também conhecido como “terra do leite e mel” devido à sua produtividade.

“Sem os ventos ferozes e a formação do campo de dunas do Néguev, a área fértil que serviu como passagem para os primeiros humanos poderiam ter sido extremamente difícil de atravessar e sobreviver”, pois teria sido um entorno hostil, concluiu Amit.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

A startup brasileira White Tents lançou uma versão em formato freemium — isto é, gratuita mas com alguns recursos pagos — de sua plataforma digital para pequenas empresas que queiram monitorar a vacinação de até …

Argentina vacinará brasileiros na região de fronteira e turistas estrangeiros menores de 18 anos

O governo argentino anunciou uma nova flexibilização para a entrada de estrangeiros no país, a vacinação de turistas menores de 18 anos e de cidadãos de países vizinhos que atravessarem a fronteira por via …

CPI da Pandemia conclui trabalhos e pede o indiciamento de Bolsonaro

Senadores aprovam relatório sobre atuação do governo na crise do coronavírus que propõe punição de 78 pessoas e duas empresas, após seis meses de depoimentos, coleta de provas e repercussão na mídia. A CPI da Pandemia …

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …

Pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", diz diretor da OMS

A pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", disse neste domingo (24) o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. O representante da ONU discursou na abertura …

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …