Para prever o perigo, lagarto pré-histórico tinha 4 olhos

Um lagarto, que viveu há 49 milhões de anos, tinha quatro olhos. De acordo com os cientistas, os dois olhos extras ajudavam a criatura a se orientar.

Cientistas realizaram novas análises a fosseis descobertos por volta de 1871, no Wyoming, nos Estados Unidos, e descobriram um lagarto que tinha quatro olhos. Os dois olhos extra, situados no cimo da cabeça, ajudavam o animal a pressentir sinais de perigo.

“Os fósseis que estudamos até agora foram encontrados em 1871 e estavam em muito mau estado. Não é por acaso que os nossos antecessores não detectaram nada no momento da análise, mas nós percebemos que estudá-los pode ser de grande valor”, disse Krister Smith, da Universidade de Yale.

Muitos vertebrados primitivos, incluindo peixes e rãs, possuem um órgão incomum conhecido como “terceiro olho”, que consegue captar a luz. Trata-se de um conjunto de células fotossensíveis que reconhecem mudanças ao nível da iluminação e respondem a certos movimentos.

Ao contrário do olho comum, o “terceiro olho” é uma continuação da glândula pineal, um grande sistema nervoso central endócrino. Por esse motivo, desempenha uma função importante em certos animais, controlando, por exemplo, sua reação à mudança das estações do ano.

Alguns lagartos, como explicou Smith, têm também um “terceiro olho”, mas sua natureza e origem são objeto de debate entre os estudiosos, uma vez que está localizado no lugar “errado”, em outra parte do cérebro. Por isso, muitos cientistas acreditam que o “terceiro olho” dos répteis é de origem diferente do dos peixes e anfíbios.

Foi no estudo dos restos fossilizados de um lagarto pré-histórico (Saniwa ensidens) que viveu nos Estados Unidos, há cerca de 49 milhões de anos, que a equipe de Smith encontrou uma resposta para a questão.

Os cientistas acreditam que esse lagarto, com dois metros de comprimento, era um parente próximo dos lagartos modernos e combinava traços modernos e primitivos.

Ao estudar os fragmentos do crânio de um desses lagartos, os paleontólogos se depararam com algo incomum: no topo da cabeça notaram dois buracos através dos quais as células nervosas podiam vazar. Depois de uma análise minuciosa, os cientistas descobriram que os buracos estavam diretamente acima da epífise e da glândula pineal.

Segundo os cientistas, isso significa que os lagartos não tinham três, mas quatro olhos, e que ambas as partes do cérebro, em vez de apenas uma delas, participavam na formação de tais órgãos de visão.

Os olhos extras deviam servir para regular os ciclos de sonos e acasalamento, funcionando também como uma bússola que ajudava na sua orientação, adiantam os cientistas.

O estudo foi publicado na Current Biology e explica também que este pode ser um novo passo na compreensão da evolução das espécies.

Ciberia // Sputnik / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …