Governo destina verba publicitária a canais de conteúdo inadequado

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Jair Bolsonaro

Em apenas 38 dias, o governo de Jair Bolsonaro publicou mais de 2 milhões de anúncios em canais na internet com “conteúdos inadequados”, segundo mostrou um relatório da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News divulgado nesta quarta-feira (03/06) pelo jornal O Globo.

Verba pública foi usada para veicular propaganda em sites que divulgam notícias falsas, que publicam pornografia e promovem jogos de azar proibidos ou investimentos ilegais.

O relatório tem como base dados fornecidos pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), que repassou apenas informações sobre publicidade feita entre 6 de junho e 13 de julho do ano passado, apesar de o pedido ser referente aos dez primeiros meses de 2019. Mesmo sem o período completo, o relatório mostra que o governo publicou 2.065.479 anúncios em 843 canais considerados inadequados, ou seja, 4,37% do volume total veiculado neste período.

O relatório afirma que entre os canais estão 47 que divulgam notícias falsas, 741 que foram removidos do YouTube por descumprir o regulamento da rede social, 12 que publicam informações sobre jogos de azar e quatro que promovem a pornografia.

Entre os propagadores de fake news que receberam anúncios do governo citados no documento estão os sites bolsonaristas Jornal da Cidade Online, Folha do Brasil, Terça Livre – do blogueiro investigado pela Polícia Federal (PF) Allan dos Santos – e até páginas alinhadas com o PT como Diário do Centro do Mundo e Revista Fórum.

Somente Allan dos Santos, que negou em novembro à CPMI receber dinheiro público, teve seu canal no YouTube beneficiado por 1.447 anúncios do governo federal no período analisado. O blogueiro, por exemplo, já publicou informações falsas sobre jornalistas que fizeram reportagens investigativas sobre o governo Bolsonaro. Seu site também é um repositório permanente de difusão de teorias conspiratórias sobre temas como a pandemia de coronavírus.

No topo dos sites que mais receberam dinheiro público para divulgar publicidade do governo está a página “Resultados Jogo do Bicho”. Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, o site conta com 319.082 impressões – a quantidade de vezes que o anúncio foi exibido aos usuários da página. O jogo do bicho é proibido no Brasil.

Já um dos sites que recebeu mais de 66 mil impressões publica conteúdos como “múmias alienígenas escondidas em pirâmides do Egito, colisores de átomos que abrem portais para o inferno e baleias encontradas em fazendas a centenas de quilômetros do litoral”. Outro em russo recebeu mais de 101 mil anúncios pagos com recursos federais.

O governo direcionou propaganda até mesmo para fanpages do presidente Jair Bolsonaro, como o canal de YouTube “Bolsonaro TV” e aplicativos para celular “Brazilian Trump”, “Top Bolsonaro Wallpapers” e “Presidente Jair Bolsonaro”, segundo o Estadão.

A CPMI ainda apontou que dos 20 canais no YouTube que mais veicularam anúncios da campanha Nova Previdência no ano passado, 14 são tem como alvo o público infanto-juvenil. Um deles tem até seu conteúdo todo em russo, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

Esses anúncios são veiculados por meio do programa Google Adsense, que administra e destina anúncios publicitários a sites cadastrados, cujo pagamento é baseado na quantidade de cliques e visualizações.

O relatório afirmou que o uso da ferramenta pela Secom gerou “incorreções na condução da política de publicidade oficial”, incluindo veiculação de anúncios em canais inadequados, falta de transparência e desperdício de dinheiro público.

Em nota, a Secom afirmou que destina as verbas publicitárias ao Google Adsense e que o programa é o responsável pela distribuição dos anúncios. “Ou seja, cabe à plataforma as explicações pertinentes sobre a ocorrência. Os veículos que constam na lista citada pela matéria foram selecionados pelo desempenho aferido pelo algoritmo do Google, e não pela Secom”, ressaltou.

Aberta em agosto de 2019, a CPMI começou investigando a disseminação de notícias falsas na campanha eleitoral de 2018 e se estendeu a atuação do atual governo. Em dezembro, em depoimento, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-líder do governo no Congresso, denunciou um esquema de propagação de notícias falsas que funcionaria na sede da Presidência. Segundo ela, os mentores da rede são os filhos do presidente Carlos Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …